Eu já vou logo avisando: gostei sim do episódio. Não teve o brilhantismo dos 3 anteriores, mas foi um bom episódio. Teve as coisas que me fizeram apaixonar pela série: os irmãos juntos, os conflitos entre eles, e uma boa história de caçada (que definitivamente não é o mais importante pra mim no contexto todo do seriado). E acima de tudo quero deixar registrado aqui: PQP, que episódio nojento!! Argh!! Desde A Very Supernatural Christmas eu não via uma coisa tão nojenta.. E antes que algum idealista de plantão venha jogar pedras: eu tive nojo sim de ver aquele homem comendo tudo aquilo e daquele jeito, mas quando eu vejo pessoas comendo restos num lixão, eu tenho é vergonha, raiva e indignação perante a crueldade humana. Então são situações bemmm diferentes. Eu gostei da atuação dos atores (e não queria ter que dizer isso agora, mas essa nova Ruby está cada dia mais difícil de engolir. O jeito dela falar mexendo a boca daquela forma já está me irritando) , gostei da história. O grande problema (ou felicidade, não sei rsrs) foi que tivemos 3 maravilhosos episódios anteriores, 3 maravilhosas histórias, e então esse episódio voltou a algo que a gente não esperava que voltasse nessa hora, mas que foi necessário pra dar mais lógica a certas coisas. Esse episódio, eu arrisco a dizer que foi meio que “jogado” no meio do seriado, pra dar certa continuidade a ITB, devido ao fato de Jared não ter podido participar do mesmo. Mas enfim, tivemos algo de muito proveitoso no episódio que foi os lances acontecidos entre os irmãos, as conversas, os desabafos. Isso valeu pelo episódio inteiro. E isso é um recado pra Eric Kripke: quem manda o senhor nos tornar fãs tão exigentes, e segundo suas próprias palavras “mais infelizes e inteligentes” do mundo do show-bizz? Hehe..



Falo a vc Eric Kripke, o mesmo que vc falou a Jensen: vc é vítima do seu próprio sucesso. . Foi por sua culpa que somos os xiitas, os chatos, os insatisfeitos de plantão. Foi por sua causa que nos tornamos tão pentelhos quando o assunto envolve a palavra “Winchester”… E por isso, Sr. Eric Kripke, eu só tenho a lhe dizer: MUITO OBRIGADA… E chegamos ao quarto episódio..”Metamorphosis”.. E como sempre o título nos remete a pensamentos.. O que seria uma metamorfose? Quando falamos em metamorfose o quem em nossa cabeça num primeiro momento? Em biologia, metamorfose ou “alomorfia” é uma mudança na forma e na estrutura do corpo, bem como um crescimento e uma diferenciação, dos estados juvenis de muitos animais, até chegarem ao estado adulto. Essa é definição científica pra metamorfose. Partindo dessa definição, o que dizer disso em Supernatural? Eu como fã de Supernatural e uma viciada em literatura, de imediato comparei esse episódio com Kafka, com a novela “A metamorfose” escrita por Franz Kafka. Quem um dia se interessar por ler Kakfa, vá sabendo que o cara é simplesmente fantástico (na minha modesta opinião rsrs). Kakfa normalmente retrata indivíduos preocupados em um pesadelo de um mundo impessoal e burocrático, sua narrativa é marcada pelo seu tom despegado, imparcial, atenciosa ao menor detalhe, e que abrange os temas da alienação e perseguição. A obra de Kakfa normalmente reflete crises existencialistas, seus personagens sofrem conflitos que são perfeitamente encaixados no mundo de hoje. Em suas histórias, seus personagens não sabem que rumo tomar, não sabem objetivos de sua vida, questionam seriamente sua existência e o porquê de estarem ali, muitas vezes acabam sós, perante uma situação que não queriam e muito menos planejaram pq tudo que acontece simplesmente se vira contra eles próprios, não lhes dando nenhuma chance, seja de ficar nela ou de fugir. E “A Metamorfose” mostra isso muito bem. A obra retrata um indivíduo que simplesmente ao acordar vê seu mundo de cabeça pra baixo. Tudo se transforma, a começar pela sua forma, que de humano vira inseto. E a partir disso várias situações vão acontecendo, e mudando totalmente as coisas, sejam elas no cotidiano, sejam elas mais subjetivas. As pessoas envolvidas nisso tudo passam por sentimentos de medo, de repulsa, raiva, desespero, coragem, covardia, alienação. Portanto, é uma bela obra e que se encaixa muito bem no episódio, mas como aqui não é análise de obra literária e sim comentário sobre um episódio de um seriado (que volto a falar, anda por deveras filosófico rsrs), vamos voltar ao tema proposto.. Mas fica a dica, quem se interessar por Kaflka, eu garanto que só tem a ganhar.



Voltando ao episódio, eu sei que está cheio de lugar aí que esta descendo a lenha no Sam, que está com raiva dele, que está com pena do Dean e que não gostou nem um pouco desse episódio. Mas eu vou aqui, agora dar minha opinião como fã do seriado e não gostaria de ser chamada de “sabe-tudo” ou de parcial. Pq eu não sei de nada, assim como todos vcs. O que eu faço é analisar um episódio sob minha ótica pessoal, sob minha ótica de fã e não de uma simples observadora que está ali vendo algo pro tempo passar. Eu gosto de ler as entrelinhas do seriado, gosto de tentar captar o que os roteiristas quiseram dizer com uma simples frase, ou mesmo o que os atores e diretores quiseram mostra com um simples franzir de cenho. E dessa vez eu vou falar primeiro de uma maneira geral sobre determinadas partes do episódio que me chamaram a atenção, e depois eu parto pra uma análise mais direcionada, parto pra uma análise mais centrada no que eu acho do 4×04. Metamorphosis iniciou exatamente de onde Castiel indicou que Sam estaria, Dean correu pra lá e viu Sam usar seus poderes de forma que ele jamais imaginou.




O demônio que Sam estava exorcizando falou umas verdades pro Sam (aliás, os demônios sabem fazer isso como ninguém), e eu notei que realmente o que Sam fez quando Dean estava no inferno deve ser algo que o incomoda muito, deve ser algo que o envergonha muito, pq bastou o demônio dizer isso que nosso Winchester caçula foi lá e fez o que a maldita demônia “orientou” ele a fazer. E como é peculiar ao nosso Sammy ele logo fica extremamente feliz por ver que conseguiu salvar mais uma pessoa. Esse é o doce Sammy. O rapaz que no fundo só quer ajudar as pessoas. E eu vou dizer aqui: essa Ruby é uma “capeta” mesmo!! Affff… E então entra cena a pessoa que Sam menos espera ver ali, seu irmão, Dean. Dean já entra no recinto muito bravo, se sentindo traído e pronto a brigar com o primeiro que lhe enchesse o saco. Ele já entra no recinto confrontando Sam e suas atitudes. Sam literalmente ficou sem reação, já que ele sabe que está fazendo coisa indevida. Dean então mostra pq é bom de briga, ele sem nem pensar ataca Ruby, e ela com todo ódio que ela sente pelo mais velho revida e está prestes a matá-lo se Sam não intervém. E começou aqui minha indignação.. E então numa atitude típica de quem está completamente inconformado Dean só olha pro Sam e sai.


Em seguida vemos Sam no hotel e Dean chegando do mesmo jeito que saiu, sem trocar nenhuma palavra com Sam e com muita raiva contida. Então Sam puxa conversa pra tentar esclarecer as coisas e Dean solta um: “Vc não precisa de mim”…. E essa é a grande verdade pro Dean. O que lhe machuca mesmo. Ele se sentir que é um inútil. Sam tenta consertar, se explicar pra ele, e então Dean desce a porrada. Dois socos no meio das fuças de Sam que expressa toda sua indignação, toda sua revolta, sua dor. Tudo bem que pode não ser a maneira mais correta, mas que Sam andava merecendo aquilo, andava. E depois dessa “explosão” vem o desabafo, o descarrego de tudo que estava dentro dele. Dean solta o que se passava em sua cabeça pro Sam, e o caçula tenta explicar ao Dean seu ponto de vista. Dean se mostra completamente traído e Sam tenta de todas as formas consertar as coisas, Sam tenta mostrar que ainda estava salvando as pessoas, que ele podia fazer isso, mas Dean só estava enxergando ali que Sam mentiu pra ele, que Sam estava usando uma coisa que ele tinha acabado de descobrir que estava relacionado diretamente a morte de seus pais. Dean tentava mostrar ao Sam que o fato dele estar fazendo isso com a ajuda de um demônio podia fazer com ele fosse pra um buraco tão fundo que talvez não houvesse nem fundo e sim só descida escura. E Sam tenta mostrar a Dean e a ele mesmo que tudo está sob controle e então Dean chega no seu limite. Explode mais ainda e mostra ao Sam que ele estava aos poucos se tornando aquilo que eles caçavam que Sam estava se tornando uma coisa que Dean sempre combateu e odiou, e que isso estava o destruindo. Sam reage de uma maneira tão dolorida que eu tive vontade de pega-lo no colo e embalar, ele revela que está tão perdido e tão sem rumo que me deu pena, mas que no meio de tudo isso ele pensa ter achado um propósito pra continuar nessa vida. Dean revela a Sam de uma maneira tão dolorida que nada estava sob controle, que Sam estava metendo a eles dois numa estrada mais que perigosa. E foi aqui no meu ver a coisa mais interessante nessa cena, o momento que Dean questiona ao Sam o por que dele ter mentido e isso: ”pq um anjo me disse pra parar vc? Castiel me disse que se eu não parar vc, ele vai. Veja o que isso significa Sam. Significa que Deus não quer vc fazendo isso. Então vai ficar aí parado me dizendo que está tudo ótimo?”.. E Sam cai a ficha. Pra mim esse foi o momento mais importante dessa cena toda, foi quando Dean conta ao Sam o que os aguarda se ele insistir em trilhar esse caminho obscuro. Dean olha pra Sam como que dizendo: “E aí? Como eu posso te ajudar depois? O que vc quer que eu faça?”.. Lindo isso, maravilhoso.

Ponto pros dois atores. Ponto pro Jared que fez a gente sofrer com ele, se apavorar com ele e segurar o choro com ele. Valeu. E eles mostram que realmente foram criados por John Winchester. Dois durões, que não dão o braço a torcer e que mesmo com todas as diferenças eles têm um trabalho a fazer. Então entra em cena a caçada da semana. O monstro da semana. E poderia ser somente mais uma caçada, mas como em Supernatural tudo tem uma razão de ser, o monstro da semana foi mostrado de forma a ligar os acontecimentos propostos no seriado e no episódio em si. Os irmãos tiveram que deixar de lado esses problemas entre eles, viajarem juntos pra lutar contar o Rugaru, uma criatura que sofre metamorfose com o tempo, passando por vários estágios que são medidos por sua fome desmedida e completamente bizarra. Dean e Sam são chamados por Travis, um antigo amigo de seu pai, pra poder ajudá-lo na caçada a esse mosntro, que está “encarnado” na pessoa de Jack Montgomary, um cara bacana, legal, bem-casado, com uma vida perfeitamente normal, mas por causa de sua herança genética estava fadado a se tornar algo desprezível e maligno. Então a caçada serviu de pano de fundo pra demonstrar de certa forma os principios ideológicos tanto de Sam quanto de Dean no que diz respeito ao tratamento e ao comportamento que cada um tem perante aos fatos que aparecem em suas vidas.


Quero ressaltar tb a conversa dos dois no carro antes de encontrar com Travis. Dean abrindo o jogo sobre Mary ser caçadora, sobre John ser tão diferente e sobre seus avós. Em seguida a essa revelação vem mais uma explosão de indignação de Sam e com isso pela segunda vez em seguida Dean percebe que Sam lhe escondeu outra coisa importante. E a reação dele é típica de quem está realmente magoado e se sentido traído “Que seja, não quer me contar, não precisa”..Mas uma farpa aí.. Novamente eles tem uma conversinha no Impala, e Kripke realmente não mentiu quando disse que usaria muito o carro pra fazer muitas cenas importantes entre Dean e Sam.. Nessa conversa que começou no carro e terminou as margens de um lago lindo. Dean jogou duro com Sam, cutucou na ferida, foi um tantinho cruel com Sam e recebeu um desabafo que estava passando da hora de acontecer. Sam abriu o jogo, Sam revelou o que tanto lhe incomodava no comportamento do Dean e Dean tb revelou que o maior medo dele era Sam não ter discernimento quando as coisas fossem longe demais. Sam nos mostra o quanto ele vem sofrendo ao longo desse tempo, Sam nos mostra o quanto essa coisa que está dentro dele o está corroendo. Quando ele fala“Eu tenho sangue demoníaco em mim Dean! Essa doença pulsando em minhas veias, e eu não posso arrancar ou esfregar até sair. Eu sou um nível totalmente novo de anormal. E só estou tentando pegar essa maldição e tentar fazer algo bom com ela. Porque eu preciso”.. E então Dean treme o queixo e fica sem palavras. E sua eterna praticidade entra em cena. Ele tenta mostrar ao Sam que vai tentar se controlar, e o primeiro passo é conversar com o cara e não caçá-lo. Tenho certeza que Dean entendeu tudo que Sam falou pra ele, tenho certeza que ele soube captar a mensagem de desespero do Sam. E se naquele momento Sam tivesse dito a ele: eu vou continuar usando meus poderes com ou sem vc, Dean teria ficado do lado de Sam mesmo contra sua vontade. Pq Dean jamais vai abandonar seu irmão, seja de que modo ele estiver. Dean vai sempre ficar do lado do Sam, mesmo que pra isso ele tenha que enfrentar anjos e demônios e voltar pro inferno. O que ele não quer, é que Sam lhe esconda as coisas, e que Sam ache que ele não merece ou não saiba compreender as coisas.


Jack se transforma, Jack se mostra totalmente impotente diante da maldição que está dentro de si.. Por eventos que não estavam sob seu controle ele não pode ou não soube deter aquela monstruosidade dentro de si e toda barbaridade veio a tona E então vemos um Sam totalmente primeira temporad ali. Um Sam inteligente, argumentador, um Sam que tenta tirar algo bom de tudo que acontece. Eu gostei de ver o jeito que ele lidou com a situação. E mais uma vez ele teve que fazer algo que não lhe agradava nem um pouco. Mas tb com isso ele pode perceber que mesmo que vc tenha muita força de vontade, mesmo que vc tente, muitas vezes as coisas simplesmente fogem do seu controle. E então o melhor a fazer é dar um tempo e repensar nas coisas. E foi o que ele fez. Ele preferiu parar, repensar e ver que rumo seguir. Sam viu que o melhor a fazer pra ele mesmo, era não se deixar levar por coisas que podem fugir ao seu controle, que o melhor a fazer por enquanto é recuar e não ser teimoso simplesmente pq “eu quero e pronto”.. Quando Sam decidiu não mais usar seus poderes (o que sinceramente eu duvido muito que ele vá fazer), não foi por medo ou por obediência. Foi pq ali resolveu finalmente seguir o que seu pai e seu irmão sempre tentaram enfiar na cabeça dele: vc tem muito a mais a perder do que a ganhar se bater de frente com algo que desconhece, então pare, pense e escolha vc mesmo seu destino. Sam decidiu parar pq ele finalmente está vendo que suas decisões além de afetá-lo de maneira assombrosa, tb vai afetar outras pessoas que estão a seu redor. Foi nesse momento que minha raiva dele passou.

Pois bem eu não vou dizer que não fiquei com raiva do Sam. Simplesmente pq eu fiquei. Fiquei mesmo, que o diga Fred, Ce e Vicki.. rsrs Aliás quem acompanha meus comentários aqui, sabe que eu quero dar uns petelecos nele desde Long Distance, ( hehe), mas igualzinho a Dean eu adoro esse moleque e minha raiva do mesmo jeito que vem, vai embora. E eu gosto tanto dele que me preocupa muito o rumo que ele decidiu tomar na sua vida. É por isso que fico brava com Sam. Pelo medo que eu tenho dele fazer algo que não possa ser revertido, algo que o destrua e em conseqüência destrua tb Dean. Mas eu não sou cega e sei que ele tem sérios motivos pra estar do jeito que está. Sam tem mil motivos pra se tornar um “protótipo” de Lúcifer, mas até agora não se tornou e está lutando como um guerreiro pra não se tornar aquilo que ele jamais imaginou e queria ser. E eu como fã dele, aposto que não irá ser. Sam é um personagem que fascina que nos faz ter sentimentos de amor e ódio. Ele nos fascina pq ele tem uma bondade, uma pureza, uma rebeldia, uma esperança, uma determinação, uma força de vontade linda. Mas isso tudo pode simplesmente desaparecer por uma simples coisa nele: sua teimosia, sua mania de achar que pode resolver as coisas sem ajuda, e pela sua eterna mania de achar que Dean é alguém limitado em suas possibilidades… Tudo bem, comecem a me xingar, comecem a dizer que eu puxo sardinha pro Dean comecem a dizer que isso é visão de fã do Dean que só enxerga um lado da questão. Podem começar os ataques.. Eu estava esperando por eles.. E sei que eles virão. Mas eu espero que minha explicação possa pelo menos apagar a péssima imagem que escrevi ali em cima.. rsrs.. Quero deixar bem claro uma coisa aqui: EU ADORO SAM WINCHESTER… E sempre defendi que não é fácil ser Sam. Nunca foi.. Então vamos com calma, ok?

Eu sempre procuro analisar o seriado vendo as coisas desde Pilot. E partindo disso é que venho a afirmar: o personagem Sam Winchester sofreu mudanças drásticas desde Pilot.. Ele deixou de ser um menino que tinha problemas em aceitar o jeito que vivia sua família, pra se tornar um homem responsável por tudo que aconteceu com sua família, ou seja, mesmo sem querer ele foi enfiado nisso tudo e de forma muito, mas muito intensa. Então nada mais previsível e normal do que ele estar com tantos conflitos, tantas atitudes que parecem não pertencer a Sam. Ele está tentando se encontrar, ele está tentando ser a pessoa linda que ele (e metade da torcida do flamengo) acredita que ainda é. Ele está vendo sua vida escorrer pelos seus dedos e pode simplesmente não conseguir deter isso

Isso realmente é assustador.. É apavorante… Mas, ele nesse processo todo está esquecendo de algo importantíssimo: ele não é sozinho no mundo. Ele não veio de chocadeira. Ao lado dele tem uma pessoa que morreu e vai morrer quantas vezes for preciso por ele. Ao lado dele está uma pessoa que deixou de ser ela própria pra fazer dele um homem de verdade. Então por mais que Sam tenha seus conflitos, tenha suas dúvidas, tenha seus medos, ele não tem o direito de jogar pra escanteio alguém que sempre lutou por ele e acreditou nele. É disso que eu falo..

Eu não sou contra Sam tomar suas próprias decisões, não sou contra ele assumir sua vida, não sou contra ele usar seus poderes. Eu só fico muito chateada de ver que simplesmente parece que ele esqueceu que existe uma pessoa no meio disso tudo que está sendo destruída, não por ele estar fazendo isso, mas simplesmente pq Sam resolveu excluí-lo do processo todo; e essa pessoa é seu irmão. Alguém que Sam adora, eu sei, alguém que ele admira, mas parece que simplesmente Sam se esqueceu que Dean também está enfiado nessa história até o pescoço. Mas uma vez eu li algo que me marcou profundamente: amor e confiança são duas coisas distintas. E nesse caso aqui se aplica muito bem.

Eu sei que Dean é a pessoa mais complicada do mundo, Dean não é a pessoa mais fácil de lidar, mas Sam que se diz tão inteligente, tão racional, simplesmente está sendo burro e cego perante as coisas. E podem dizer o que quiserem: Dean sempre foi o mais transparente nessa relação. Mesmo com aquele jeito broncão, rude e inconseqüente dele, Dean nunca escondeu o jogo do Sam. A única vez que ele tentou fazer isso, ele simplesmente quase se destruiu. Então nessa jogada toda quem está pisando na bola, quem está enfiando o pé na jaca é Sam, mesmo que as intenções dele sejam as melhores possíveis.

A atitude de mentir, esconder o jogo e se achar auto-suficiente numa luta em que eles todos podem sair seriamente prejudicados, mais do que já estão, não é de forma alguma a melhor atitude a tomar.

Então Sr. Sam Winchetser, vê se acorda e enxerga que tem um aliado do seu lado, e não um inimigo. Vê se pára de dar trela pra um demônio FDP e agora vê resolve confiar mais no seu irmão, ao invés de confiar e se aliar com um DEMÔNIO…
Muita gente pode me perguntar: mas pq cargas d´água Dean simplesmente não conversa sobre o que Sam quer? Eu respondo: pq Sam não sabe o que quer. Pq se Sam soubesse, o próprio Sam já teria batido o pé, já teria confrontado Dean e já teria dobrado o seu irmão. Pq se tem uma pessoa que tira tudo do Dean, esse alguém é Sam. Então Sam está mais perdido que cego em tiroteio. E Dean tb, simplesmente pq tudo que ele acreditava e tinha como verdade, virou de pernas pro ar, mas com uma diferença: ele está compartilhando tudo com aqueles que ama. Ele não está escondendo o jogo, ele não mentiu de forma deliberada como Sam fez até agora, nesse episódio.

E mais uma vez volto a afirmar: eu entendo totalmente as razões do Sam, mas o fato de entender não significa que eu preciso concordar né? Entendo que ele tenha medo, que ele tenha vergonha, que ele esteja confuso, que ele esteja assustado, que ele esteja com raiva.. Mas não concordo de maneira nenhuma que ele minta que ele afaste Dean de tudo como se Dean não fosse alguém que mereça o mínimo de consideração. Sinto muito, mas é exatamente isso que Sam está transmitindo ao próprio Dean e a quem está vendo o seriado. Só uma coisa: isso aqui que eu estou falando não significa em hipótese alguma que Sam menospreza ou não goste de seu irmão. Não confundam as coisas.. O que estou tentando expor aqui é que Sam está perdido, confuso, apavorado e não sabe de que maneira arrumar as bobagens que fez e com isso faz mais bobagens ainda.

Dean é um cabeça dura, turrão, mandão e extremamente explosivo. Dean tem uma baixa auto-estima (ficou estranho isso não?) violenta.. Ele tem uma tendência a ser auto-destrutivo. Na concepção dele, Sam e John são muito mais que ele.. Então ele não merece algo mais que eles.. Essa é a concepção distorcida dele.. Ele aprendeu a duras penas que tudo na vida pode lhe ser tirado num piscar de olhos. Dean desenvolveu como mecanismo de defesa, a agressão, seja ela verbal ou física. Na visão dele, quando alguém lhe magoa tudo pode ser resolvido no soco, na pancada. Pq ele aprendeu assim. Pq durante toda sua existência lhe foi mostrado que se ele quisesse alguma coisa, ele teria que partir pro ataque. Na sua vida inteira, ele nunca foi levado em conta, e a maneira que ele achou de ser notado foi essa. Ser o rebelde, o maluco, o encrenqueiro. Mas no fundo Dean é uma pessoa extremamente carente que necessita de forma quase doentia se sentir útil e importante pra uma única pessoa, uma única pessoa que lhe resta e em quem ele apostou todas as suas fichas, a pessoa a quem ele deu o melhor de si, e essa pessoa é Sam. E então quando ele descobre que Sam não levou em conta o que ele lhe pediu e ainda por cima que essa pessoa mentiu pra ele, ele simplesmente não acredita e não pode assimilar muito bem. E faz com Sam aquilo tudo que nós vimos no episódio.

Eu amo tanto Sam em parte pq Dean o ama tb, mas em 90% é pq ele é uma pessoa linda, pq ele é uma pessoa que merece toda a consideração e respeito. Eu nunca desejei e fico puta mesmo qdo vejo Dean ou quem quer que seja ser leviano com sentimentos do Sam, ele não merece isso de jeito nenhum. Sam sempre se rebelou contra a vida que seu pai e Dean tinham, e queria que ele levasse. Sam sempre foi determinado naquilo que queria pra si, e isso é uma das melhores coisas nele: a determinação. Sam não gosta de ser caçador.. Ele simplesmente aceitou isso, pq os fatos assim o forçaram…E com isso descobriu toda a história de seu nascimento, de sua família e td que isso implica .

E junto com isso veio a revolta, dor, a frustração e a raiva. Mas no meio de tudo isso uma coisa prevalecia: a união entre eles. Esses são os principais pontos fortes entre eles, a união, a confiança e o amor.. Depois de Metamorphosis, o amor ainda continua firme e forte, a união pode estar sendo minada e a confiança ficou quebrada. Então eu acho que o ponto forte do episódio foi esse: o que sobrou da relação deles e como isso tudo vai ficar daqui pra frente. Pq Dean está se sentindo magoado, traído e apavorado. Sam está se sentindo um lixo, um nada, uma aberração da natureza. E então eu tenho receio, mas muito receio mesmo que isso possa separá-los de vez. Mas eu acredito e torço muito pra seja o contrário, para que as adversidades possam uni-los ainda mais, que as brigas possam selar o que eles sempre nos mostraram até hj: somos mais fortes unidos e trabalhando em família; somos mais fortes simplesmente pq a gente acredita um no outro e luta um pelo outro e acima de tudo somos mais fortes pq temos um amor fenomenal nos unindo. E esse amor pode superar tudo, pode superar anjos, demônios, fantasmas, mentiras e decepções.

Então vamos rumo ao 4×05!

Abraços