Sera Gamble falou sobre várias coisas dessa nova temporada. Sobre os conflitos internos de Dean, sobre Sam tomando conta de si mesmo e o que iremos ver na próxima temporada. Confira a tradução abaixo:

Tivemos a chance de conversar com a roteirista e produtora de Supernatural, Sera Gamble, na Comic Con de 2009. Ela conversou com a gente sobre a nova temporada, personagens que irão retornar e porque Sam Winchester não consegue tomar conta dele mesmo. Confira abaixo:

Você ainda é a única mulher roteirista na equipe?

SG: Não, temos outra mulher roteirista, Julie Siege.

Como é o processo de escrever em um seriado liderado por homens?

SG: É bom, é bom. Está de acordo com as estatísticas na indústria como um todo. Posso estar errada sobre isso. Estou acostumada a trabalhar em ambientes cheios de homem. É bom. Se eu digo, como garota, isso é o que eu penso. Então eles geralmente aproveitam o que tenho a dizer. Não uso muito disso.

Então não é um ambiente hostil?

SG: Oh, não, não. Na verdade, é uma sala bem safada e um pouco pornográfica. Eu gosto desse jeito. Somos meio que imaturos e temos o senso de humor do Dean na sala. E eu estou bem incluída nisso. Tenho o senso de humor de um garoto de 12 anos, por isso trabalho no seriado

Com o que Dean vai lidar internamente nesta temporada?

SG: Bem, ele tem bastante rancor pelo seu irmão por uma coisa. Uma coisa bem interessante que iremos ver com Dean nos primeiros episódios é que ele sempre foi muito de família e sempre cuidando de seu irmão, e colocamos ele em situações onde ele é diretamente responsável pelo bem estar de um grupo de pessoas e é meio que ‘Salve-os ou vá atrás de seu irmão’. Uma coisa que eu amei sobre o que está acontecendo com Dean nessa temporada é que veremos ele mais maduro e sendo um líder de um modo que nunca vimos antes. Não porque ele necessariamente tem isso nele, mas porque ele não esteve nessas situações antes. É o apocalipse, e terão várias dessas situações que envolvem grandes coisas. Será uma cidade sob ataque ou várias pessoas se escondendo em porões. Você meio que poderá ver Dean em sua maturidade total. É meio que um tipo de Dean que (nota: a entrevista tá cortada aqui, mas por interpretação eu acredito que ela queria dizer que é um tipo de Dean que nunca vimos antes)- e ele está desconfortável com isso. Tudo que Dean quer é pegar sua espingarda e ir atrás de seu irmão para salvá-lo. Como sabemos, Sam sempre é raptado, e Dean fica meio que ‘Preciso ir atrás de Sam’. Agora estamos o colocando em situações onde ele não pode apenas sair correndo e fazer isso imediatamente. Isso é meio que mostrar como é ser adulto e responsável. Se ele pode ou não olhar nos olhos de Sam depois do que ele fez também é uma grande parte.

Sam não consegue se cuidar ainda?

SG: Eu acho que ele conseguindo ou não, a pergunta é se ele deveria. Este sempre foi meu ponto de vista sobre isso. Este é meu ponto de vista sobre a última temporada também. Isso é o que ele sempre quis, o que ele sempre pediu. Parte de sua perspectiva sobre ir pra estrada ele fez com Ruby, querendo enfrentar Lilith sozinho e isso se manifestou com o sangue demoníaco que ele bebia. Ele pensou ‘Agora sou crescido, e é isso que farei e você não precisa concordar com isso’. É o tipo de clássico de tensão entre irmãos se desenrolando.

O que mais você pode fazer com Sam?

SG: Temos mais pra fazer com Sam e Dean. Há um limite para o que podemos fazer com eles fisicamente. Já os matamos, mandamos para o inferno, todo esse tipo de coisa – mas tortura piscológica não há fim. Em Supernatural, nosso pão com manteiga é a tortura piscológica de Sam e Dean. Agora temos Castiel como regular. Ele está presente o suficiente na vida dos garotos para vermos ele se humanizar um pouco. Quando um anjo se torna mais emocional e mais humano, eles se tornam vítimas fáceis de torturas psicológicas.

Como você mantém o humor nesses episódios apocalípticos?

SG: Na verdade tem sido surpreendentemente fácil. A última temporada foi tão sombria, foi suicida em vários locais. Especialmente Sam que foi para um lugar mais sombrio. O apocalipse tem sido surpreendentemente fantástico. Estamos nos divertindo bastante com isso. Estamos ficando doidos. Estamos indo no futuro, os cavaleiros do apocalipse tem senso de humor, e Lúcifer é um cara legal de várias maneiras. Ele é bem perigoso, tudo é perigoso, pessoas estão morrendo aos montes. Qualquer um no planeta terra pode morrer. Talvez os riscos estejam tão altos que criaturas tão poderosas que nunca tiveram ponto de vista antes, digamos o Trickster, terão que pesar em um dos lados. Deuses com o ‘d’ minúsculo terão que pesar em um dos lados. Eles são engraçados. Será assustador, nojento e maluco. Eu acho essa temporada bem mais engraçada que a anterior.

Veremos Lúcifer durante toda a temporada?

SG: Ele definitivamente é o malvadão da temporada. Eu o compararia a Lilith. Nós a víamos algumas vezes, ouvíamos bastante sobre ela, conhecemos alguns servos, conhecemos seu braço direito. Talvez vocês vejam um pouco mais de Lúcifer do que de Lilith nas duas últimas temporadas. Temos um excelente ator, Mark Pellegrino, e não acho que ele quer voltar pro inferno. Ele está andando pela terra e causando problemas nesta temporada

Há algum outro personagem recorrente que voltará nesta temporada para ajudar na luta final?

SG: Jessica, a namorada de Sam, tem um papel em um episódio que está por vir. Estamos trazendo todos os caçadores que podemos: Ellen, Jo e Rufus. Tivemos uma maré de boa sorte com todos os atores disponíveis.

Fonte: Fanbolt.com