O site Fangasm postou o Q&A de Jensen Ackles na convenção de Vancouver. Essa é uma sessão privada para poucos fãs. E sempre surge algo bem interessante.

Quem quiser ler o original, em inglês, CLICA AQUI.


Jensen Ackles começou sua sessão de Perguntas e Respostas com uma pergunta para os fãs presentes:
“Alguém já passou vergonha na Con até agora?” Ele parecia ter certeza de que Misha já teria conseguido um mínimo de embaraço (a gente se pergunta por que…) 
Fãs: Bem, teve o Russ Hamilton e um certo poste de pole dance…
Jensen: (impassível) Sair para tomar café com o Russ pode ser embaraçoso.
Uma fã perguntou para Jensen se sua terceira experiência como diretor foi mais difícil ou mais fácil.
Jensen: Dessa vez havia muitas cenas com Dean, então eu estava mais tempo diante da câmera, o que foi um desafio a mais.  Quando estou trabalhando apenas como ator, limpo minha mente e não me preocupo com mais nada, o que me deixa aberto para as nuâncias de uma cena. Você precisa ser capaz de estar envolvido naquele momento com a outra pessoa, estar aberto para a cena que se desenrola entre você e o outro ator.  Atores convidados às vezes decoram suas falas por dias e as sabem muito bem, mas aí o outro ator diz algo diferente e você precisa estar apto a reagir a aquilo, você tem que estar aberto a isso, pra não parecer ensaiado demais. Senão você só recita suas falas. Kim Manners costumava dizer que o legal das cenas são suas nuâncias, o subtexto, o que torna a cena única [concordo com Kim!]
Jensen fez uma pausa nesse momento e riu.
Jensen: Desculpe, essa explicação ficou longa!
Fãs: (baixinho e com sarcasmo) Nossa, verdade, foi um fardo aguentar isso, totalmente desinteressante…
Uma fã perguntou se as temporadas 9 e 10 estão fechadas e todos no local sorriam felizes com a perspectiva.
Jensen: Não oficialmente, a emissora tem que decidir, mas a perspectiva é boa – ajuda o fato de que o novo presidente da emissora apoia o show de verdade. Mas ainda temos que ser escolhidos – vocês precisam continuar assistindo!
 A pergunta seguinte foi de uma pessoa que declarou ser nova no fandom e estava indo à sua primeira convenção.
Jensen: E você continua aqui?? A maioria teria pulado do barco a essa altura!
A intrépida novata permaneceu ali bravamente, por sorte, e perguntou como Jensen achava que a série vai terminar.
Fãs: Terminar? O que? *lalalalalala não estou te ouvindo*
Jensen: Como a gente já disse, eu acho que vamos morrer como heróis, como Butch e Sundance. Um pisca pro outro e aí a cena congela, então ninguém vai saber o que acontece de verdade. E se houver um filme, você pode pegar o fio dali, mas se não rolar…
Fãs: (baixinho) Ohhhhh, um filme… Ok, estamos ouvindo de novo.
Outra fã perguntou sobre Jensen se dedicar à música, como muitos de seus amigos.
Jensen: Eu não me considero um músico, mas sim um amante de música. Ela me faz relaxar — quando eu vou pra casa, posso passar o dia tocando.
Fãs: E sobre o que você tocou com Steve Carlson?
Jensen: (rindo) Steve é um músico tão talentoso que compensa o que eu faço.
Outra fã perguntou se ele tem algum projeto querido que gostaria de fazer.
Jensen: Há algumas histórias que eu gostaria de contar como ator, que gostaria de desenvolver – e não conheço exatamente tudo o que é necessário, mas conheço pessoas que sabem, então eu pediria a ajuda delas. E eu não me permitiria dirigir!
Fã (protestando) Mas você poderia, já é experiente.
Jensen: (ironicamente) Eu sou experiente, sim….
Perguntamos para  Jensen sobre um dos livros novos que fomos designados a escrever sobre Supernatural – mais sobre essa boa notícia em breve.
Lynn: É uma nova série de livros chamada Fan Phenomena, e há volumes sobre várias séries , filmes e atores de todos os tempos. E  Supernatural é um deles – o único ainda no ar e relativamente novo a ser incluído, então nós estamos muito excitados. [quem está escrevendo o livro é a equipe do Fangasm, tá? Quem dera fosse a gente!]. Por que você acha que Supernatural é um fenômeno tão grande?
Jensen pareceu tão animado quanto nós  – quis saber que outros fenômenos estavam na lista e ergueu as sobrancelhas, impressionado pelo show estar em tão boa companhia. Então ficou pensativo, considerando as razões para SPN estar na lista, e merecer estar.
Jensen: Na verdade, eu acho que é por causa dos fãs. São vocês, gente. Foi um grupo que abraçou esse nosso showzinho e levou sua paixão para a internet e descobriu que existe todo um universo social em torno dele, que sustentou a paixão. É um ótimo show, mas muito dele se deve aos fãs. Vocês nos deram os People’s Choice awards e a capa do TV Guide.
Fãs incham de orgulho.
Jensen: E eu acho que o legal nesse show é o relacionamento entre esses dois caras. Eric Kripke nos disse faz tempo: pode haver fantasmas e monstros e tal, mas esse show gira em torno de vocês dois, é sobre os dois. E é sobre essa relação complicada, esses dois caras que nem deveriam conviver, que são tão diferentes.  Sabe, uma história boa ou é sobre dois caras comuns em circunstâncias incomuns ou sobre dois caras incomuns em circunstâncias comuns. E esse é o primeiro caso: dois caras comuns em situações incomuns. E eu acho que as pessoas se identificaram com isso.
Fãs: Definitivamente.
Jensen: (rindo) Que bom que Jared e eu nos damos bem!
Lynn: Eu acho Jared e você merecem crédito também, por fazer Sam e Dean tão verdadeiros.
Certo, fandom?
Outra fã perguntou se Jensen já colocou algo estranho em seu currículo, como Misha Collins aparentemente colocava quando estava começando.
Jensen: Certamente, em algum momento, sim. Embora eu não ache que “atuar diante das câmeras” entra no currículo de muitos atores por aí…
Perguntaram a Jensen no que ele se considerava bom mesmo e o ator expôs sua visão de si mesmo e do que ele faz bem.
Jensen: Eu já fiz muita coisa, sempre pratiquei muitos esportes, mas nunca me destaquei em nada.
Fãs protestam.
Jensen: Eu nunca fui o melhor, nem o mais alto – (‘Esse era o Jared’, diz, rindo) – mas sempre estive entre os primeiros. Sou bom em várias coisas, mas não o melhor. Eu sou um bom ator, mas não o melhor que existe.
Fan: Sim, é sim – bem, ok, talvez haja um melhor.
Jensen: (direto) Não no nosso show!
Outra perguntou qual é a dificuldade de fazer um programa em que só existem dois personagens principais.
Jensen: Não é assim tão diferente, porque mesmo em um show com elenco maior, você só se envolve em cena com dois ou três personagens, então não faz tanta diferença. Só é uma carga mais pesada. Os roteiristas querem manter a história apenas nos irmãos.
Outra fã fez uma pergunta interessante. Existe algo que Jensen tenha aprendido com os fãs?
Jensen: (pensa) Eu teria que pensar para achar algo específico, mas aprendi muita coisa.
Fã: Como o quanto somos loucos?
Jensen: (ri) Não, com toda honestidade, como eu disse, o coletivo trouxe um impacto poderoso para o show. É muito bom saber que o que nós fazemos se traduzirá para vocês. Essa consciência é um excelente fator motivacional em horas de necessidade. Ser capaz de ver o rosto de vocês nas cons é tão bom pra nós — nós sabemos pra quem estamos  fazendo isso. Nós vemos o que causamos nas pessoas. Quando estamos cansados e chove há 6 meses e filmamos a noite toda,  pensamos “nós teremos algo para contar pra eles!”
Fãs agradecidos.
Outra pergunta como Jensen e Jared memorizam tantas falas.
Jensen: Jared e eu lemos nossas falas duas vezes e pronto, duas páginas de diálogo. É como um músculo, quanto mais você o estimula… [é bem por aí!] E nós conhecemos tão bem os personagens, assim como os roteiristas os conhecem, então a coisa flui, há uma certa cadência nas cenas. Nós passamos o texto no trailer de maquiagem enquanto nos preparam e então fazemos o ensaio geral e nessa hora fazemos associações com as marcas também. A cena toma forma, as falas se formam de acordo com o movimento, o que também ajuda o editor de continuidade, para quando vem o corte e depois a retomada da cena, o braço de alguém não esteja na posição errada. [nota da Vicki: é nessa hora que eu aproveito e defendo um pouco o currículo do Misha. Muito ator no Brasil, por exemplo, tem anos de experiência no teatro, mas não sabe interpretar para a tv. Fica mudando de posição ou fazendo gestos que atrapalham a continuidade e a edição. Interpretação para vídeo é uma habilidade importante, afinal. Isso sem contar o tom da interpretação, que é bem mais contido no vídeo].
Fã: É um desafio interpretar um personagem por oito temporadas?
Jensen: O desafio é manter seu frescor. Os roteiristas, pra nossa sorte, ainda são apaixonados pelo show e pelos personagens, então isso mantém a paixão viva. Na minha opinião, o show é muito bom, então não tem sido um trabalho difícil. Eu vou interpretar Dean de uma forma pouco diferente nessa temporada…
Fãs: (interrompendo) O quê??
Jensen: (rindo) Não tão diferente! Não vai ser um cara completamente diferente, ele ainda é o mesmo cara, mas com um toque a mais. Tenho certeza de que vocês vão sacar na hora em que eu não o fizer lá muito bem.
O único homem do grupo faz uma pergunta: Qual é o seu próximo desafio?
Jensen: Poxa, isso já não basta? O que mais você quer de mim? Música e dança, sapatos lustrosos? O que??
(Ele faz uma dancinha e canta)
Jensen: Eu acho que estou bastante satisfeito. Eu acho que seria a fotografia.
Nesse momento, ele pega seu iPhone com entusiasmo infantil.
Jensen: Aqui, posso mostrar pra vocês, gente – eu deixo  minha câmera boa em casa e uso só o meu iPhone.
(Mostra a todos no recinto a foto que fez da frente do Impala – um close lindo em preto e branco).
Fãs: Ooooooh.
Jensen: (orgulhoso) Eu dei um toque antigo. Eu me abaixei (ele se agacha no chão para demonstrar) e cliquei bem de perto. Tentei fazer pintura abstrata por um tempo, mas não sou bom em pintar ou desenhar ou o que seja.
Fãs: Bem, você é bom nisso!
E bom pra caramba fazendo Dean Winchester também!
[Concordo em gênero, número e grau! Mas ainda quero ver as fotos dele e mal posso esperar pra ouvir o disco de Steve Carlson com várias composições em conjunto com Jensen e um solo do nosso querido nos vocais. O álbum se chamará “Sharing the Covers” e deve ser lançado no final de setembro. Jensen multi-uso… Precisava ser tudo isso?]