Tenho uma notícia boa pra vocês. De agora em diante, faremos uma série de postagens com um certo período de distância uma do outra, as quais serão relacionadas aos escritores mais conhecidos de Supernatural e todos os episódios que escreveram até agora.
Acredito que, assim como Jared, Jensen e todo o restante do cast de Supernatural, os escritores merecem incrível reconhecimento perante seu trabalho, pelo fato de todas as ideias que são colocadas em prática virem destes que nem mesmo aparecem na série e desempenham um papel mais do que importante, fazendo tudo, de fato, acontecer.
Em vista disso, falarei um pouco sobre determinado(a) escritor(a) e cada episódio seu, data de exibição original, por quem foi dirigido, nº total de espectadores atingidos e etc – curiosidades em geral.
Já que o meu escritor favorito – creio que de muitos outros também – é o gênio chamado Ben Edlund, começarei por ele. Kripke ou Carver talvez sejam os próximos.
Ao longo da postagem vocês terão um melhor entendimento sobre o que tentei deixar claro acima. Agora, vamos ao que realmente interessa.


O artista de quadrinhos e escritor/roteirista de televisão chamado Ben Edlund (nascido no ano de 1968 em Pembroke, Massachusetts) juntou-se a equipe de Supernatural em 2006, quando a série estava recém em sua segunda temporada.
Edlind é considerado um dos melhores escritores que passaram por Supernatural (ou que, no caso dele, remanescem no show), pois escreveu e continua a escrever episódios irrevogavelmente importantes para a mitologia da série.
A maneira que Ben conduz a trama de seus episódios é simplesmente brilhante, tanto que alguns fãs sentem-se até mais ansiosos por um episódio quando estão cientes de que o mesmo foi escrito por ele.
Arrisco-me a dizer que Edlund é um dos escritores mais geniais que os shows da televisão americana possuem atualmente. Sinto-me orgulhoso de tê-lo em Supernatural e espero que ele permaneça até o final, mostrando-nos o que sabe fazer de melhor.
Prossigamos com uma lista de todos os episódios extraordinários que Edlund escreveu até agora.

2×05 – Simon Said

As visões de Sam os levam até Andy Gallagher, um outro ‘escolhido’. Dean é vítima dos poderes mentais de Andy, permitindo que Sam, que não pode ser afetado, a ouvir os medos enterradas de seu irmão. Percebendo que, Sam pede a seu irmão para deixá-los ir na frente enquanto eles resgatam Tracy, a vítima do gêmeo até então desconhecido de Andy. As habilidades de Webber, com controle muito superior a Sam e Andy, poderiam significar a condenação para Dean.
Episódio que foi dirigido por Tim Iacofano, originalmente exibido no dia 26 de Outubro de 2006.e assistido por 3.65 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– A música “Stonehenge” que toca durante a cena quando a van de Andy é descoberta pela primeira vez é um dos hits da banda de ficção narrada no documentário “This Is Spinal Tap”.
– O título do episódio refere-se ao jogo de crianças “Simon diz”.

– Outra referência a Star Wars do primeiro filme de Star Wars: “A New Hope”: a placa da van de Andy é “RU-OBI-1” ou “Are you Obi Wan”.

2×12 – Nightshifter

Um assalto a joalheria cometido por um empregado que está ligado a misteriosos assaltos a bancos traz Sam e Dean para a perseguição. A parte estranha parece ser o fato de que os suspeitos acabam mortos antes mesmo de porem suas mãos sobre o dinheiro. Típicas características apontam para um outro Metamorfo. No entanto, a pesquisa é interrompida por uma crise de um refém.
Episódio que foi dirigido por Phil Sgriccia, originalmente exibido no dia 25 de Janeiro de 2007 e assisto por 3.42 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:

– Ronald agita Fortean Times, em que a reportagem de capa é um artigo sobre o Cyberman, uma referência ao médico popular da série Doctor Who.
– A identidade do FBI de Sam o nomeia como “Han Solo”, uma referência a Star Wars.
– A identidade do FBI de Dean o nomeia como “Jack Bauer” de 24 Horas ou “Jack Ryan”, que é um personagem fictício criado pelo escritor Tom Clancy.

2×18 – Hollywood Babylon

Os Winchesters vão disfarçados de PAs em um set de gravação assombrado de um filme depois de receberem vários relatos envolvendo fantasmas. Os irmãos lidam com um executivo de estúdio asinino para fazer acrobacias de marketing barato, um roteirista desprivilegiado em busca de vingança a revisões desnecessárias para um script formalmente grande, e com os sentimentos fã-juvenis de Dean quanto ao protagonista.
Episódio que foi dirigido por Phil Sgriccia, originalmente exibido no dia 19 de Abril de 2007, e assistido por 3.25 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O título do episódio é tirado de um livro de Kenneth Anger sobre escândalos de Hollywood dos anos 1920 a 1950.
– Os esboços de conceito para o monstro CG que o diretor mostra a Tara são uma reminiscência do personagem da Marvel Comic chamado Ghost Rider, que também tem um crânio flamejante, mas ostenta um chicote de fogo, em vez de uma motosserra.
– Martin Flagg e Walter são duas referências para o personagem finalmente conhecido como Merlim na Torre Negra (ou Gunslinger), série escrita por Stephen King. Walter é um mestre de magia e encantamento.
– O último nome de Tara, Benchley, pode ser uma referência ao autor Peter Benchley, que escreveu Jaws.
– O set de Hell Hazers II: The Reckoning pode parecer familiar.  A torre de água é do episódio 2×08 –  Crossroad Blues, e a cabine é do 2×16 – Roadkill. A cabeça do cervo na parede já apareceu em um quarto de motel dos meninos em 1×14 – Nightmare, o quarto de John em 1×21 – Salvation, e casa de Steve Wandell em 2×14 – Born Under a Bad Sign.
– Antes de começar a filmagem com os atores na cabine, o som do claquete diz Rol 6, Cena 6, Tomada 6. O número 666 é uma referência ao diabo e é considerado um número “ruim”. Tem sido utilizado em inúmeros romances de terror e filmes.
– Quando Dean vai falar com Tara, ele diz que a amava de Boogeyman (filme) e ela diz que o mesmo tinha um script terrível. Boogeyman foi escrito por Eric Kripke e ele admitiu no Paley Festival de que o filme não foi muito bom, porque ele perdeu substância e alma, ao contrário de Supernatural, que tem tudo isso, graças a Bob Singer.
– Brad está reclamando porque o filme é muito sombrio e que ele deveria ser mais leve e não “deprimente”. Na Comic Con, Kripke disse que todas as reclamações de Brad e conselhos sobre o filme foram tiradas de coisas semelhantes que haviam sido ditas por executivos da rede sobre Supernatural.
– No início, os meninos estão em uma excursão da Warner Brothers. O guia diz que eles estão passando pelo lugar onde Gilmore Girls é filmado, e se tiverem sorte eles podem começar a ver uma das estrelas. Jared Padalecki teve um papel recorrente em Gilmore Girls, como Dean Forester. Neste ponto, Sam parece desconfortável e sai rapidamente do ônibus da turnê.

– No trailer falso para Hell Hazers II: The Reckoning, o escritor Martin Flagg também é creditado como o autor de Cornfield Massacre e Monster Truck, que são ilustrados com imagens de episódios de Supernatural (1×11 – Scarecrow e 1×13 – Route 666). Há também uma foto do gancho de 1×07 – Hookman, das mãos ressecadas da Claire de 2×07 – The Usual Suspects, Gordon e sua faca ensanguentada de 2×03 – Bloodlust, e no interior do caixão as de Angela de 2×04 – Children Shouldn’t Play With Dead Things.

3×03 – Bad Day at Black Rock

Os Winchesters são chamados a respeito de um roubo da unidade de armazenamento de seu pai para rastrear os ladrões e encontrar o item roubado, o qual é um maldito pé de coelho, que fornece muita sorte até o momento que é perdido, e uma vez perdido o anterior proprietário morre dentro de uma semana. Sam pega o pé e arrecada uma grande fortuna, até que é roubado pela mercenária Bela. Dean deve, então, obtê-lo de volta antes de a má sorte de Sam acabar matando-o. Para complicar a situação, Gordon, da prisão onde está, convence dois outros caçadores que Sam é pura maldade e deve ser morto.
Episódio que foi dirigido por Robert Singer, originalmente exibido no dia  18 de Outubro de 2007 e assistido por 3.03 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– Bad Day at Black Rock é o título de um filme de 1955 estrelado por Spencer Tracey como um misterioso estranho que chega a uma pequena cidade em busca de alguém e acaba mudando a vida na cidade para sempre. É também o título do episódio 1×06 de The A-Team.
– O nome de Kubrick é possivelmente uma referência ao diretor de cinema Stanley Kubrick. Kubrick dirigiu The Shining, um dos filmes favoritos de Dean.
– John Winchester usou o pseudônimo de Edgar Cayce, um vidente americano renomado da primeira metade do século XX, que é considerado o antecedente do movimento moderno da Nova Era.
– Kubrick dirige (e vive em) uma kombi. No lado esquerdo traseiro tem três adesivos: “Como é que Jesus dirige?”, “Não me faça descer lá – Deus”, e “Belém ou busto”.
– Sam e Dean ganham um ano de fornecimento de alimentos para o restaurante do Biggerson. A mesma sequencia é depois apresentada em 5×14 – My Bloody Valentine, 6×06 – You Can’t Handle The Truth, e 7×09 – How to Win Friends And Influence Monsters.
– Dentro do recipiente de armazenamento de John, Sam e Dean encontram o troféu de Sam de 1995 da Divisão do Campeonato de Futebol, e a primeira escopeta que Dean havia feio (na 6ª série).
– Este é o primeiro episódio em que descobrimos o nome do demônio ajudando Sam – Ruby.
– O pseudônimo Bela dá – Lugosi – é uma referência a Bela Lugosi, um ator do início de 1900 que mais infamemente interpretou Drácula.
– O armário de John tem muitas referências visuais a uma cena do filme “O Silêncio dos Inocentes”, onde Clarice Starling investiga uma instalação de armazenamento de Hannibal Lecter e descobre uma cabeça decepada em um frasco. Itens semelhantes podem ser vistos em ambos, incluindo pássaros empalhados, crânios de animais e uma bandeira vermelha e azul estendida sobre um caixão / carro fúnebre.

3×09 – Malleus Maleficarum

Parece que há mais para as artes negras do que as pessoas pensavam, como Sam e Dean, que tem de lutar contra um grupo de bruxas. A princípio, as bruxas pensaram que estavam fazendo alguma magia inofensiva, mas elas começaram uma série de assassinatos enquanto “rezavam” para um demônio. Ruby vem para ajudar os meninos em sua luta contra o demônio, mas alguns de seus segredos são revelados.
Episódio que foi dirigido por Robert Singer, originalmente exibido no dia 31 de Janeiro de 2008 e assistido por 2.95 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– Malleus Maleficarum foi normalmente traduzido como “O Martelo das Bruxas”, em latim, e foi o título de um tratado do século XV em bruxas. Ele foi usado para apoiar e discutir a natureza da bruxaria, que proclamou que as mulheres eram mais suscetíveis à influência do mal, e, portanto, mais propensas a se tornar bruxas, devido ao seu caráter moral fraco e desejo sexual insaciável. O tratado foi popular, e tornou-se o manual de fato para a perseguição e assassinato de mulheres acusadas de bruxaria na Europa nos séculos XV e XVI, apesar do fato de que o trabalho não foi oficialmente sancionado pela Igreja Católica. A Igreja, de fato, se recusou a apoiá-lo e disse que era impreciso.

3×13 – Ghostfacers

Sam e Dean fazem uma pausa de seu show habitual para estrelar um reality show empoeirado chamado “Ghostfacers”, que narra a busca do paranormal. Ed e Harry criaram um show radicalmente diferente e às vezes violento, cheio de palavrões que os leva para a Mansão Morton, um imóvel abandonado que se torna um dos lugares mais assombrados da América uma noite a cada ano bissexto. No entanto, como sua equipe começa a ser escolhida fora de maneiras terríveis e não aptas para a televisão, eles percebem que estão em cima das suas cabeças.
Episódio que foi dirigido por Phil Sgriccia, originalmente exibido no dia 24 de Abril de 2008 e assistido por 2.22 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– Este foi o primeiro episódio filmado após a greve de escritores americana ter acabado. Há um elemento meta para o episódio, que, como um show improvisado, é o tipo de programação que estava prevista para substituir scripts de dramas como Supernatural se a greve tivesse continuado.
– Ed e Harry apareceram pela primeira vez em 1×17 – Hell House.
– O estilo de posição da câmera no episódio referencia o filme de terror A Bruxa de Blair, em que um grupo de jovens universitários estão fazendo um documentário sobre uma bruxa.
– O cenário da “festa de aniversário com cadáveres” lembra o clímax do filme de terror canadense de 1980 chamado “Happy Birthday to Me”. Este filme foi produzido pela mesma equipe que fez My Bloody Valentine. Jensen filmou um remake do mesmo no intervalo de verão em 2008. Também pode ser uma referência ao filme de 1987, “American Gothic”, em que uma família perturbada do sertão acolhe em sua casa pessoas sem recursos da cidade e em seguida, procedem ao assassinato e na preservam/enchem, a fim de fazer bonecas para ocupar uma “menina” super-crescida e maior de idade chamada Fanny.
– A música de abertura dos “Ghostfacers” lembra muito a de “Ghostbusters”, tendo também uma fala sobre “quem você vai chamar”. Além disso, os Ghostfacers tem um ânimo trapalhado semelhante ao dos Ghostbusters.
– O mecanismo de elaboração do episódio dos Ghostfacers  Ed e Harry adequados e sentados em frente a um fogo – é uma reminiscência de Masterpiece Theatre, que seria introduzida pelo acolhimento que estaria sentado em uma cadeira grande por uma lareira.
– Há um cartaz do filme em preto-e-branco de terror “Coven”, na porta da sede dos Ghostfacers.

4×05 – Monster Movie

Os irmãos investigam vários assassinatos na Oktoberfest. A primeira vítima foi encontrada com marcas de mordida em seu pescoço, como se um vampiro as tivesse deixado, enquanto a segunda vítima tem ferimentos que parecem um ataque de lobisomem.
Após uma múmia levantar-se de sua cripta, Dean determina que um demônio metamorfo está aterrorizando a cidade como monstros ícones dos velhos filmes de Hollywood.
Episódio que foi dirigido por Robert Singer, originalmente exibido no dia 16 de Outubro de 2008 e assistido por 3.06 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– Os disfarces do FBI de Sam e Dean, Agente Angus e Agente Young, é uma referência ao guitarrista Angus Young da banda AC/DC.
– O Combo Schnapps Feliz é uma banda de polca da Manitowoc, WI.
– O Teatro Goethe, onde Ed Brewer é um projecionista, refere-se ao escritor alemão Johann Wolfgang von Goethe, autor de, entre outras obras, a tragédia “Fausto” de duas partes, que recorda o pacto de Dean.
– O Metamorfo se refere a Dean como o Sr. (Jonathan) Harker, a Jamie como Mina, e quando Sam chega à cena, ele o chama de Van Helsing, todos os personagens do romance gótico mais popular de todos os tempos, “Drácula” de Bram Stoker. No romance, Drácula persegue Mina, a logo-a-ser-noiva do jovem Jonathan Harker, que conhece o caçador de vampiros Van Helsing.

– O episódio fortemente referencia outros filmes de terror clássicos, além de “Drácula”: O Teatro Goethe toca “O Fantasma da Ópera”, e quando vemos Ed Brewer dobrado loucamente sobre o seu piano, esta é uma referência ao filme de 1925. Quando vemos Dean acorrentado a um dispositivo de tortura na adega do Drácula, é realmente uma referência a “Frankenstein” (1931). Outros filmes referenciados são A Múmia (1932), com Boris Karloff (que também interpretou Frankenstein no filme de 1931).
– Créditos loucos – O episódio tem uma sequência de abertura como nos filmes antigos com todos os créditos em ordem, bem como um tela de “Intervalo” com música, e a maneira que um filme clássico acaba (com um fecho em círculo preto).
– Todo o episódio foi transmitido em preto e branco  no início, Dean chama sua caça atual de um “caso preto e branco”.
– Quando Sam se aproxima das escadas no cinema, um cartaz para a “Casa de Cera” (filme de 1953) pode ser visto em primeiro plano. Jared Padalecki co-estrelou o remake de 2005 do filme.

4×08 – Wishful Thinking

Sam e Drean investigam uma pequena cidade onde o poço dos desejos realmente funciona. Um ursinho de pelúcia vem à vida, alguém ganha na loteria e o geek cidade recebe uma namorada quente. Os irmãos percebem que, enquanto todo mundo está feliz agora, o resultado final será desastroso.

Episódio que Ben Edlund escreveu junto com Lou Bollo, foi dirigido por Robert Singer, originalmente exibido no dia 6 de Novembro de 2008 e assistido por 3.24 milhões de espectadores.

Outras curiosidades:
– O título do episódio Wishful Thinking pode ser uma referência a uma banda de rock britânica formada em 1965.
– O garçom irritantemente alegre no início do episódio é uma referência ao Brian do filme Office Space, um garçom que tem uma personalidade muito semelhante e também usa vários “pedaços de talento.”
– O nome da namorada de Wes é Hope (esperança). É o nome de um vilão em Xena – o programa de TV sobre a princesa guerreira, no qual Ted Raimi interpretou Joxer.

4×16 – On the Head of a Pin

Alguém encontrou a espada de Lúcifer e está usando-a para matar anjos. Castiel e Uriel capturaram Alastair e pedem a Dean para usar as habilidades que ele aprendeu no inferno sobre como torturar para extrair informações dele para que possam parar os assassinatos. Sam está preocupado que Dean não consegue lidar com o trabalho, mas Dean concorda em fazê-lo. No entanto, quando Alastair revela algumas informações chocantes, o mundo de Dean é abalado.
Episódio que foi dirigido por Mike Rohl, originalmente exibido no dia 19 de Março de 2009 e assistido por 3.37 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O título refere-se à questão medieval “Quantos anjos podem dançar na cabeça de um alfinete?”
– Castiel e Uriel prendem Alastair a uma armadilha do Diabo, que é descrita como Enoquiano antigo.
– Alastair canta “Cheek to Cheek” de Irving Berlin, escrita para o filme “Top Hat” de 1935, mas também é notavelmente usada no filme “The Green Mile” de 1999, quando John Coffey a canta antes de ser executado.

5×04 – The End

Sam diz a Dean que ele quer voltar a ativa na batalha do Apocalipse, mas Dean diz a Sam que eles ficam melhores separados. Mais tarde, Dean acorda cinco anos no futuro, numa cidade abandonada e é atacado por humanos que foram infectados com um vírus demoníaco que transforma humanos em zumbis. Zachariah aparece para Dean e explica que este é o mundo que existe como resultado se ele recusar-se a ajudar os anjos a derrotar Lúcifer. Dean se encontra com o Dean do futuro, que lhe diz que o vírus é o fim de jogo do diabo para destruir a humanidade.
Episódio que foi dirigido por Steve Boyum, originalmente exibido no dia 1º de Outubro de 2009 e assistido por 2.62 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– Sinais do Apocalipse – Sarah Palin é o Presidente, como visto no jornal que Zachariah está lendo no carro quando ele confronta Dean. Também, o estado de abandono do Impala.

– O cinema tem um filme listado como “Route 666”. 1×13 – Route 666 é o episódio 13 da 1ª Temporada. Este é outro exemplo da Rota 666 “Easter Eggs”.
– O Dean do futuro não estava usando seu amuleto.
– Na convenção Salute to Supernatural em Chicago no ano de 2009, Jensen falou sobre os desafios de interpretar duas versões de Dean.
– A cena final é definida no mesmo local em que Dean e Sam partem com John em 1×21 – Salvation.

– O título do episódio pode referir-se à canção “The End” de The Doors , que usa temas do apocalipse e um mundo enlouquecido (“todas as crianças são loucas”). A canção também evoca a imagem do diabo (“a serpente é longa, sete milhas, (…) e ele é velho, e sua pele é fria”), e tem uma parte edipiana, em que um filho vai para assassinar sua irmã, irmão e, finalmente, o pai, com o intuito de confrontar sua mãe, com a qual ele deseja ter relações sexuais. Além disso, a canção foi usada no filme de guerra icônico de Francis Ford Coppola, “Apocalypse Now”.
– O episódio é tão popular no fandom, que gerou a sua própria comunidade no Livejournal, chamada “Spn – O Fim”.
– Houve opiniões diversas entre os fãs a respeito de que se o futuro mostrado aqui é “real” ou meramente construído por Zachariah para convencer Dean a se tornar o receptáculo de Michael. O comentário sobre o episódio nos DVDs da 5ª Temporada por Ben Edlund e Eric Kripke defende que este é um modelo de universo alternativo, em vez de viajar no tempo.
– A infecção pelo vírus Croatoan é uma reminiscência do filme “28 Days Later” de Danny Boyle, sobre um mundo dominado por zumbis infectados por um vírus.

5×10 – Abandon All Hope…

Sam, Dean e Castiel rastream o Colt e desviam-se para encontrar Lúcifer para enviá-lo de volta ao inferno. Torna-se uma reunião de caçadores quando a equipe junta forças com Bobby, Ellen e Jo para o que pode ser sua última noite na Terra.
Episódio dirigido por Phil Sgriccia, originalmente exibido no dia 19 de Novembro de 2009 e assistido por 2.51 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– “Abandon All Hope” é uma referência para a linha final da inscrição sobre o portão do inferno no Inferno de Dante – “Abandone toda a esperança, vós que entrais aqui.” – de acordo com o Canto III do Inferno de Dante.
– O nome de Crowley é, possivelmente, um brado ao personagem de mesmo nome, no livro “Good Omens” de Neil Gaiman e Terry Pratchett
– Ellen: “Kick it in the ass… and Dean – don’t miss.” (Arrebentem… e Dean – não erre.)
“Kick it the ass” era um bordão de Kim Manners. Samantha Ferris relatou em seu blog como a fala no episódio surgiu:

O brado referente a Kim Manners foi uma ideia de um dos caras da câmera, Brad. Ele veio até mim em silêncio no chão antes de filmarmos aquele pedaço em que eu digo adeus a Dean e falou: “Quando virar-se para dizer ‘não erre’ tente uma em que diga ‘arrebente’.” A fala deveria ser apenas “…e Dean, não erre”. Fizemos ambos e eles foram colocados. Foi um momento agridoce para o elenco e a equipe. A garota dos adereços, Robin, chorou… Kim é / foi e sempre será um homem muito amado, que deixa saudades. Especialmente nos sets.

– A cidade Carthage no estado de Missouri também serviu de cenário para o episódio 4×04 – Metamorphosis na 4ª Temporada
– Sam dizendo a Lúcifer que irá arrancar seu coração fora pode ser uma referência ao filme “The Prophecy”. Neste filme a única maneira de matar um anjo era remover seu coração.
– No episódio 5×04 – The End,  Dean do futuro diz a Dean que Sam disse “o grande sim” para Lúcifer em Detroit. Neste episódio, Lúcifer prevê este futuro para Sam, dizendo-lhe: “Não sei, Sam, acho que vai… Acho que vai acontecer em breve, dentro de seis meses. E acho que vai acontecer em Detroit.” O primeiro episódio foi ao ar em 19 de novembro de 2009. Se você olhar para um calendário de 2010, seis meses após esta data é a terceira semana de maio – aproximadamente o período de tempo para finais de temporada de vários programas de TV.

5×14 – My Bloody Valentine

Castiel ajuda Sam e Dean a caçar o Cupido no Dia dos Namorados após moradores começarem a matar uns aos outros por amor. No entanto, depois do Cupido lhes dizer que é inocente, eles descobrem que Fome, um dos Quatro Cavaleiros do Apocalipse, chegou na cidade.
Episódio que foi dirigido por Mike Rohl, originalmente exibido no dia 11 de Fevereiro de 2010 e assistido por 2.51 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O título do episódio, “My Bloody Valentine”, é uma referência ao filme de mesmo nome. Em 2009, Jensen estrelou um remake 3-D do filme, “My Bloody Valentine 3D”. Dean oferecendo o coração numa caixa era uma marca comercial do filme, em que o assassino deixou um coração humano em uma caixa de chocolate.
– O Cupido canta uma parte da canção “Cheek to Cheek” para Dean, em referência a necessidade de John e Mary Winchester estarem juntos para que Sam e Dean pudessem nascer, pouco antes de Dean lhe bater no rosto. Esta é a mesma canção que Alastair cantou para Dean quando Dean estava prestes a começar a torturá-lo em 4×16 – On the Head of a Pin.
– Dean e Sam se disfarçam como “Agentes Marley e Cliff”, referindo-se aos cantores de reggae Bob Marley e Jimmy Cliff.
– O restaurante do Biggerson é o mesmo restaurante em que os meninos ganharam o valor de um ano de alimentos no episódio 3×03 – Bad Day at Black Rock. Ele também é visto em 6×06 – You Can’t Handle the Truth.
– A alma humana na mala é uma referência à lenda urbana do filme “Pulp Fiction” de 1994 onde o misterioso objeto brilhando na mala é dito ser a alma de Marsellus Wallace.
– O carro da Fome é um Cadillac Escalade preto. De acordo com o livro do Apocalipse, Fome monta um cavalo negro.
– O telefone de Dean é um Nokia N78.

5×20 – The Devil You Know

O demônio Crowley diz a Sam e Dean que ele pode ajudá-los a encontrar os anéis restantes dos Cavaleiros para que eles possam prender Lúcifer. Os irmãos ficam em dúvida até que Crowley os leva a Brady, o manipulador da Peste e da Morte. No entanto, Brady se recusa a entregar suas localizações e manda a Peste atrás dos Winchesters.
Episódio que foi dirigido por Robert Singer, originalmente exibido no dia 29 de Abril de 2010 e assistido por 2.38 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O título do episódio refere-se ao ditado “mais vale um diabo conhecido do que um desconhecido”, o que significa que é melhor ir com um familiar se fizer a escolha imperfeita, do que um desconhecido. É também o nome de um álbum da banda Heaven and Hell, que é composto por membros de Ronnie James Dio da era Black Sabbath. Heaven and Hell era também o nome de um episódio na 4ª Temporada (4×10). Há também uma música chamada “The Devil You Know”, da cantora pop australiana Kylie Minogue.

– É revelado neste episódio que Brady matou Jess. Em 2×21 – All Hell Breaks Loose (Part 1), Azazel tinha revelado a Sam que ele foi responsável pela morte de Jess: “É o custo de se fazer negócios, eu receio. Quero dizer, a doce e pequena Jessica – ela apenas tinha que morrer. Você estava com tudo pronto para casar-se com aquela coisinha loira, tornar-se um advogado de imposto, com duas crianças, uma barriga de cerveja, e um pouco de McMansion nos subúrbios. Eu precisava de você acentuado na estrada, aprimorando suas habilidades. Seus dons”.
Sam, e os fãs, haviam assumido que o próprio Azazel tinha matado a Jess, ao invés de Brady seguindo as instruções de Azazel. Embora a visão de Jess que Sam teve em 5×03 – Free To Be You And Me disse: “Eu estava morta no momento em que você disse: Olá”.
Originalmente, os executivos da rede queriam que Kripke escrevesse Jessica como um personagem em andamento, mas Eric pensou que não iria funcionar, e ele sugeriu matá-la, o que eles gostaram. Em seguida, o estúdio pediu a Kripke para fazer de Jessica um personagem que era um demônio perverso, que foi plantada na vida de Sam de propósito, e cuja traição o leva para a estrada visto que ele percebe que demônios estão mais próximos do que ele pensava. O desenvolvimento neste episódio revive uma versão desta idéia.
– Brady é semelhante a Patrick Bateman, o personagem principal na novela e filme American Psycho, embora não existam referências ao personagem, a novela ou ao filme no episódio.

6×03 – The Third Man

Sam e Dean pedem ajuda a Castiel quando eles investigam um caso de vários policiais mortos que parecem ter sido mortos por pragas do Egito. Castiel confirma que o Cajado de Moisés foi usado para matar os policiais e diz a Sam e Dean que o Céu está em um estado de caos e que armas de Deus foram roubadas. Os três desviam-se para encontrar o ladrão e ficam cara a cara com um velho inimigo.
Episódio que foi dirigido por Robert Singer, originalmente exibido no dia 8 de Outubro de 2010 e assistido por 2.16 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O episódio ganha seu título a partir do filme noir “The Third Man” (1949) de Orson Welles.
– Em relação ao episódio, o “terceiro homem” pode ser uma referência a Castiel. Também pode estar relacionado a Rafael, o terceiro Arcanjo mais poderoso (depois de Miguel e Lúcifer e, acima de Gabriel), e Colfax Ed como o terceiro policial a ser morto.
– No sonho em que fazia amor com Lisa, Dean não pareceu ainda ter a marca da mão de Castiel em seu ombro (como visto em 4×01- Lazarus Rising).
– Quando Sam e Dean entram no necrotério, o médico de jaleco branco na mesa parece ser o diretor deste episódio, Robert Singer.
– Castiel encontra Sam e Dean, apesar dos Sigilos Enoquianos que Castiel queimou em suas costelas para impedir os anjos de localizá-los no episódio 5×01 – Sympathy For The Devil. Isso pode ou não ser porque eles entraram em contato com ele.
– Castiel usa um ritual Enoquiano com mirra, água benta, e sangue humano (de Dean) para localizar Balthazar.
– Castiel ter usado mirra pode referir-se ao fato de que Balthazar muitas vezes é dado como o nome de um dos Três Reis Magos, cujos presentes foram ouro, incenso e mirra.

– Aaron, o nome do menino que tinha um pedaço do Cajado de Moisés, é também o nome do irmão de Moisés.

6×09 – Clap Your Hands If You Believe

Enquanto Sam e Dean estão investigando um avistamento de OVNI, Dean é abduzido de um círculo de cultura. No entanto, quando ele acorda, descobre que não está lidando com aliens, porém fadas. Infelizmente, apenas Dean pode ver a fada que a continua a atacá-lo, o que faz dela algo difícil de ser rastreado e parado. Os irmãos ficam ainda mais perplexos quando a investigação de Sam leva-os a um mundo cheio de duendes, gnomos e um leprechaun.
Episódio que foi dirigido por John Showalter, originalmente exibido no dia 19 de Novembro de 2010 e assistido por 1.94 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O título do episódio é uma referência a uma fala do filme “As Aventuras de Peter Pan” de JM Barrie, no qual Peter pediu às crianças que sonham com a Terra do Nunca para baterem palmas se acreditassem em fadas, a fim de manter a Tinkerbell (fada) viva. Também é o nome de um filme animado de 1989.
– Os irmãos primeiramente investigaram uma possível abdução alienígena no episódio 2×15 – Tall Tales. Bobby declara no episódio que ele nunca havia encontrado qualquer evidência real de uma abdução alienígena. O culpado, nesse caso, foi descoberto a ser o Trickster.

– Os créditos de abertura do episódio são uma homenagem à série dos anos 1990, ‘The X-Files”, usando a música e imagens semelhantes. O texto final, “A verdade está lá dentro”, é uma torção ao slogan de Arquivo X, “A verdade está lá fora.”

Quando o episódio, “Clap Your Hands If You Believe”, estava na fase de planejamento, “decidimos fazer uma abdução alienígena como o teaser do mesmo, e nós imediatamente pensamos em fazer a seqüência do título”, disse Gamble.
Sera Gamble sobre por que eles decidiram homenagear X-Files:

“Seria difícil encontrar alguém que trabalha no show que não é um fã de X-Files”, continuou Gamble. “Foi especialmente divertido montar a homenagem porque Supernatural tem uma dívida de gratidão verdadeira e criativa para o show, o que eu acho que toda a geração atual de shows do gênero tem.”

Os títulos de X-Files mantiveram-se inalterados às primeiras sete temporadas da série, mudando quando David Duchovny (Fox Mulder) partiu, e novamente na saída de Gillian Anderson (Dana Scully).
Supernatural deu um aceno para X-Files no episódio piloto, quando Dean e Sam apresentaram-se a um grupo de agentes do FBI como agentes Mulder e Scully (nomes dos personagens principais de X-Files). Em 2×07 – Os Suspeitos, Dean chama Sam de Scully, o qual responde:

Sam: Eu não sou Scully, você é Scully.
Dean: Não, eu sou Mulder. Você é uma mulher de cabelos vermelhos.

Em 3,11 Mystery Spot, Dean disse “isso soa muito X-Files para mim.” Coincidentemente o episódio foi dirigido por Kim Manners, que também dirigiu o episódio de repetição do tempo de The X-Files, “Monday”.
O produtor e diretor de Supernatural, Kim Manners, dirigiu 52 episódios de The X-Files e foi também um produtor do show de 1995 a 2002. Outros membros da equipe técnica que trabalharam em ambos os shows incluem o escritor John Shiban, o diretor David Nutter e o produtor Vladimir Stefoff.
Como Supernatural, The X-Files também foi filmado em Vancouver. Muitos atores têm aparecido em ambos os programas, incluindo:

  • Mitch Pileggi (Samuel Campbell) interpretou o chefe de Mulder e Scully, Walter Skinner
  • William B. Davis foi o infame homem fumante em X-Files, e apareceu em 1×11 – Scarecrow.
  • Steven Williams (Rufus Turner) foi o Sr. X em X-Files.
  • Mark Sheppard (Crowley), Chad Lindberg (Ash), Frederic Lehne (Azazel), Katharine Isabelle (Ava Wilson), Nicki Aycox (Meg) apareceram em episódios de The X-Files.

Kramer, que interpreta o Sr. Cooper, o proprietário carnival em 2×02 – Everybody Loves a Clown, apareceu em três episódios X-Files (como personagens diferentes).
Outras possíveis referências a X-Files incluem:

  • A exclamação de Dean “fight the fairies” (lute contra as fadas) é uma reminiscência do primeiro filme de Arquivo X, o “X-Files: Fight the Future” (Arquivo-X: Lute contra o futuro)..
  • Sam derramou sal, e  leprechaun começou a contar cada grão. No episódio da 5ª Temporada de X-Files, 5×12 – Bad Blood, Mulder derramou sementes de girassol para parar o vampiro – neste episódio, vampiros devem se inclinar para contar cada grão.
  • A perseguição no milharal é semelhante a de The X-Files: Fight the Future, que é uma homenagem ao North by Northwest.

– Dean “microondando” a fada poderia ser um brado à uma cena do filme “Gremlins” (1984), onde a Sra. Peltzer mata um dos gremlins maus ao “microonda-lo”.
– O feitiço de banimento que Sam usa é em gaélico escocês:

Leig seachad an ceangal sin, agus smàl an solus sin, agus fuadaich an sídhe air ais gu’n àite-breith. Сum sabhailt ar naoidhein gun am breith, agus cum dùinte an geata uamhasach seo.

Deixe de lado essa ligação, sopre essa luz, e bana as fadas de volta à sua terra natal. Mantenha as crianças por nascer seguras, e mantenha esta terrível porta fechada.

– Na noite em que o episódio foi ao ar, a hashtag #FightTheFairies foi tendência no Twitter. Semelhante a quando #LuciferIsComing foi tendência e causou muita confusão, alguns no Twitter pensaram que a hashtag fosse um insulto homofóbico.

6×15 – The French Mistake

Raphael lança um ataque sobre Castiel e seus aliados, enviando um particularmente assustador matador angelical atrás de Balthazar, Sam e Dean… Em um esforço para proteger os irmãos, Balthazar os envia para um universo alternativo onde eles são as estrelas de um programa de TV chamado “Supernatural” e eles são atores chamados “Jensen Ackles” e “Jared Padalecki”. Os irmãos ficam confusos quando Castiel  parece ser um feliz ator que gosta de tweetar chamado Misha Collins e Sam está casado com Ruby (Genevieve Cortese).
Episódio que foi dirigido por Charles Beeson, exibido originalmente no dia 25 de Fevereiro de 2011 e assistido por 2.18 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O título do episódio The French Mistake refere-se a uma sequência famosa no filme “Blazing Saddles”, de Mel Brook. No final do filme, a ação do filme, que é definido no Velho Oeste, trava através de uma parede (literalmente quebrando a quarta parede) para o conjunto de um musical sobre a Warner Brothers. A música que está sendo executada no musical é chamado de The French Mistake . O termo “French Mistake” (erro francês) supostamente se refere a um cara hetero ter um encontro sexual gay, mais tarde.
– Os outros episódios-meta principais na série foram os seguintes:

  • 2×18 – Hollywood Babylon
  • 4×18 – The Monster At The End Of This Book
  • 5×09 – The Real Ghostbusters

– Outros episódios definidos em universos alternativos são:

  • 2×20 – What Is and What Should Never Be: sobre a influência do veneno de um Djinn, Dean experiencia como sua vida poderia ter sido de Mary, sua mãe, nunca tivesse sido morta.
  • 4×17 – It’s A Terrible Life: O anjo Zachariah põe Dean em uma realidade onde ele e Sam não são irmãos, e Dean é um executivo, a fim de provar a ele que a caça está em seu sangue.
  • 5×04 – The End: Zacarias envia Dean para uma possível versão de 2014, em que o Apocalipse já aconteceu, a fim de convencê-lo a se tornar o receptáculo de Michael.
  • 5×08 Changing Channels: O Trickster é revelado como o Arcanjo Gabriel e prende Sam e Dean em uma série interminável de programas de TV e anúncios, para tentar ensinar-lhes a lição de que devem “fazer a sua parte” e cumprir o destino que o Céu desempenhou para eles.

– No episódio, verdadeiros membros do elenco e da equipe de Supernatural são apresentados – alguns interpretados por atores, enquanto outros interpretam a si ou versões muito bizarras de si mesmos.
“O elenco do quase ficcional e a equipe de Supernatural”:

  • Genevieve Padalecki como ela mesma
  •  

  • Misha Collins como ele mesmo
  •  

  • Diretor e produtor Bob Singer é interpretado por Brian Doyle-Murray
  •  

  • Diretor de fotografia Serge Ladouceur é interpretado por Art Kitching
  • Coordenador/supervisor Lou Bollo interpreta ele mesmo
  • A voz de Sera Gamble foi dublada por outro ator
  •  

  • Eric Kripke é interpretado por Micah A. Hauptman
  •  

  • Kevin Parks é interpretado por Jason Bryden
  • Produtor Jim Michaels é interpretado por Garwin Sanford, que também interpretou Deacon em 2×19 – Folsom Prison Blues
  •  

  • Clif Kosterman – motorista e guarda-costas – é interpretado por Philip Maurice Hayes
  •  

  • Mike Carpenterand e Todd Scott (os dublês de Jared e Jensen) como eles mesmos

– Balthazar faz referência ao filme “O Poderoso Chefão” (1972), onde o padrinho envia assassinos para matar os outros Dons. Este é então jogado fora no universo alternativo quando Virgíl atira na equipe no set.
– Em seu feitiço para enviar Sam e Dean ao universo alternativo, Balthazar usa água salgada do Mar Morto, sangue de cordeiro e os ossos de um santo menor, que ele usa para desenhar um sigilo.
– Quando Misha encontra-se pela primeira vez com Sam e Dean, pensando que são Jared e Jensen, ele recita versos de seu roteiro, no personagem de Castiel. As falas recitadas descrevem o enredo do episódio-meta.
– Sam encontra um clipe de Jensen, de quando ele quando interpretou Eric Brady em Days of Our Lives.
– O real Clif Kosterman aparece em um camafeu como o membro da equipe que está colocando lama no Impala.
– O estúdio no episódio é chamado de “KM Studios Motion Picture”. Na convenção Salute to Supernatural San Francisco 2011, em janeiro de 2011, Clif Kosterman informou que os estúdios de Supernatural em Burnaby (Vancouver), foram oficialmente nomeados em honra do recentemente falecido diretor e produtor Kim Manners.
– Jared e Genevieve casaram ​​na vida real em 27 de Fevereiro de 2010, em Sun Valley, Idaho. A foto da capa (ao lado da alpaca) é uma foto do casamento real tirada por Kirsten Schultz, a qual é destaque em um artigo na revista Sun Valley.
– Misha também usava a camisa com a palavra NAMASTE – que é uma saudação indiana. O símbolo na camisa é um Yantra Maha.
– No escritório de Bob Singer, uma revista chamada “TV Weekly”, com Jared e Jensen na capa, está em exibição – uma referência para os fãs votaram em Supernatural no TV Guide Cover.
– A cena em que Virgíl obtém armas em uma loja de armas, incapacitando o proprietário antes de disparar em um cliente é uma reminescência a uma cena semelhante em O Exterminador do Futuro, onde o T-800 interpretado por Arnold Schwarzenegger faz a mesma coisa, mas mata o dono, em vez.
– Misha Collins passou muito tempo no Twitter no episódio, e em um certo momento ele tweeta, “Ola, mishamigos! J2 me pegaram legal. Realmente começando a se sentir parte da turma”. Só para realmente mexer com a nossa mente, o Misha verdadeiro realmente enviou esse tweet enquanto a fala foi ao ar na costa leste dos EUA no correr do episódio. Ambos Misha Collins e Misha tweetaram “Na minha humilde opinião, J & J tiveram uma longa madrugada ontem. Rotflmfao!”. Após estes dois tweets, Misha então diz: “Meu telefone foi roubado e, aparentemente, lançado em um universo paralelo desprovido de magia. Eu o recuperei. Prometo que não vai acontecer de novo”. Todos os três tweets foram retweetados por mais de 100 pessoas em uma questão de horas e depois desapareceram do feed do twitter de Misha. Algumas horas mais tarde, foram republicados, mas os links diretos para os tweets originais ainda funcionam. As palavras #Misha, #metamadness e #kripke chegaram aos dez maiores Trending Topics do twitter, enquanto o episódio foi exibido.
– Na Rising Con Spain 2010, Misha Collins expressou o desejo de Castiel ter uma longa cena chorando na 6ª Temporada. É possível que este fosse o impetuoso para a longa cena de Misha chorando com Virgíl.
– Quando Sam e Dean chegam de volta para a casa de Bobby em seu universo, vemos que a janela e grande parte da parede atrás deles foi obliterada. Como em Blazing Saddles, do qual este episódio recebe o seu nome, eles literalmente quebraram a quarta parede. No final, Sam verifica que o “muro” é sólido novamente – talvez uma garantia para os telespectadores, também.

6×20 – The Man Who Would Be King

Castiel diz a Sam, Dean e Bobby sobre a guerra no Céu e como ele e Raphael se tornaram inimigos. Bobby acredita que Castiel está escondendo algo, mas Dean se recusa a acreditar.
Episódio que foi dirigido também por Ben Edlund, originalmente exibido no dia 6 de Maio de 2011 e assistido por 2.11 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– The Man Who Would Be King é um conto de Rudyard Kipling, feito em um filme de 1975 por John Houston, estrelado por Sean Connery e Michael Caine. Ele conta a história de dois ex-oficiais do Raj britânico que se tornam aventureiros e tornar-se saudados como divindades em uma vila remota no Hindu Kush. Eles levam batalhas vitoriosas contra as aldeias inimigas, mas tornam-se envoltos em suas próprias ilusões de grandeza. Eventualmente, as aldeias se voltam contra eles. No filme, a história se desenrola conforme o personagem sobrevivente relata sua história para um jornalista. Coincidentemente (ou talvez não), o episódio foi ao ar exatamente uma semana após o casamento real, em que o príncipe William (segundo na linha de sucessão ao trono britânico) se casou com sua namorada de longa data.

– Alguns dos clipes de filmes usados ​​na montagem dos flashbacks de Castiel no início onde ele se lembra da queda da Torre de Babel, parecem ser a partir da queda de seção Babilônia do filme de 1916 por DW Griffith Intolerance. Este filme também apresenta uma narrativa não-linear e abrange 2,5000 anos de história. Ele é considerado uma das obras-primas do cinema mudo de filmes.

– Crowley se refere ao vampiro que ele está torturando como Chocula, que é o logotipo vampiro de um cereal de café-da-manhã.
– Um dos demônios que traz um monstro a Ellsworth – antes de ser morto por Castiel – também interpretou um demônio no episódio 1×22 – Devil’s Trap. Em Devil’s Trap  ele está vestindo um uniforme mecânico de automóveis com o nome de “Kim”.
– A armadilha do diabo no teto acima da cabeça de Red é a mesma que foi usada em Meg em 1×22 – Devil’s Trap e novamente em 2×14 – Born Under a Bad Sign. Também foi utilizado no título de abertura da 3ª Temporada.
– Entre a lista de demônios e anjos que Crowley alega terem subestimado Sam e Dean, ele menciona Lilith, embora ela estivesse totalmente destinada a ser morta pelos irmãos. É provável, porém, que nenhum demônio sabia que sua morte era o selo final.

7×02 – Hello, Cruel World

Castiel continua lutando com os encargos de seu novo super poder exibicionista/excessivo. A parede quebrada na cabeça de Sam faz com que ele tenha alucinações e ele tem dificuldade para discernir o que é real e o que não é. Bobby se preocupa que Dean está começando a tropeçar sob o peso da luta contra Castiel e ficando de olho em Sam.
Episódio que foi dirigido por Guy Bee, originalmente exibido no dia 30 de Setembro de 2011 e assistido por 1.80 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O título do episódio “Hello, Cruel World” (Olá, Mundo Cruel) é uma recreação na frase “adeus, mundo cruel”, que é muitas vezes referenciada como últimas palavras de uma pessoa antes de cometer suicídio. A referência aqui é para o estado de espírito de Sam.
A origem da expressão obscura, embora ela apareça na novela de Kurt Vonnegut, chamada “Mother Night” (1961). Vonnegut era um escritor que frequentemente utilizava dispositivos literárias de metaficção, dos quais Supernatural também gostava. Vonnegut foi mencionado em 4×18 – The Monster At The End Of This Book.
Ambas as frases têm caracterizado muitas vezes como os títulos de músicas e álbuns desde bandas/cantores incluindo Pink Floyd, Elvis Costello e Siouxsie and the Banshees.
Em 2006, o escritor de gênero estranho Kate Bornstein publicou um livro chamado “Olá, Mundo Cruel: 101 alternativas ao suicídio para adolescentes, malucos e outros bandidos” (que em um bom pedaço de circularidade foi revisado por Kurt Vonnegut).
– Ao visitar a cena do crime, no vestiário, Dean usa o pseudônimo de Ian Anderson, uma referência à cantora e flautista do Jethro Tull.

7×09 – How to Win Friends and Influence Monsters

Sam, Dean e Bobby irão tornar-se caçadores no sentido mais verdadeiro da palavra, quando eles acamparem num parque nacional em New Jersey para localizar uma criatura que está atacando pessoas na floresta. Os moradores da cidade afirmam que é o demônio de Jersey. Dean está emocionado em achar um restaurante chamado Biggerson’s na cidade, mas fica desolado quando descobre que o sanduíche especial parece estar fazendo as pessoas ficarem loucas.
Episódio que foi dirigido por Guy Bee, originalmente exibido no dia 18 de Novembro de 2011 e assistido por 1.55 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O título do episódio é uma brincadeira com o famoso livro How to Win Friends and Influence People por Dale Carnegie publicado em 1936.

– Bob Singer (diretor) fez a narração da gravação sobre os Sons Suaves da Natureza.
– A cerveja que Dean bebe é chamada de Beer MargieKugel. Feita pelo departamento de arte, ela é nomeada após mãe de Jerry Wanek combiná-la com uma cerveja loca de Wisconsin chamada Linenkugel.
– O “Turducken” é um prato em que uma galinha é recheada dentro de um pato que é recheado dentro de um peru. Cada ave é desossada primeiro, e depois a coisa toda é torrada.
– A autópsia zumbi feita por Sam e Bobby, onde eles puxam itens bizarros do estômago da criatura, pode ser uma referência a famosa autópsia tubarão em Jaws, onde entre outras coisas, uma placa de carro é encontrada no estômago do tubarão.

7×15 – Repo Man

Quatro anos atrás, Sam e Dean ajudaram uma mulher chamada Nora a exorcizar um demônio que estava sistematicamente matando mulheres em uma pequena cidade. Eles conseguiram salvar o trabalhador postal, enquanto derrotavam o demônio, mas agora parece que o demônio tem erguido sua feia cabeça e retornado para uma segunda porção. Os irmãos visitam Jeffrey, que foi trancado em uma ala psiquiátrica desde o incidente, para ver se ele consegue se lembrar de qualquer um dos planos do demônio enquanto ele estava possuído.
Episódio que foi dirigido por Thomas J. Wright, originalmente exibido no dia 17 de Fevereiro de 2012 e assistido por 1.74 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– O título de “Repo Man” refere-se ao filme Repo Man de 1984, estrelado por Emilo Estevez e Harry Dean Stanton sobre um punk rocker que acaba trabalhando para uma agência de reintegração de posse de carro e fica preso com um monte de personagens estranhos e um mistério envolvendo um Chevy Malibu 1964 com aliens mortos em seu tronco.
Outra referência é ao filme Repo Men, que trata-se de agentes de coleções que têm de reaver os órgãos das pessoas de uma realidade futura, onde as pessoas podem comprar órgãos, mas a um preço muito alto.
Lúcifer se refere à mulher que Jeffrey diz que será a próxima vítima como “próximo doador de órgão do nosso demônio”.
– O demônio possuindo Jeffrey temporariamente dá a ele o controle de seu corpo. Isso aconteceu uma vez antes – em 4×22 Lucifer Rising, o demônio possuindo Cindy McClellan dá o controle a ele em uma tentativa de impedir Sam de matá-los. Ruby diz a Sam que o demônio está fingindo. Sam não acredita em Ruby, mas, não vendo outra opção, mata o demônio e Cindy de qualquer maneira.
– O cão de auxílio adotado por Jeffrey, e a discussão sobre cuidar dele, pode ser uma referência a caridade A Dog’s Life Rescue de Jared Padalecki.
– Jeffrey pede perdão ao seu cão pelo colar Elizabetano, ou “cone da vergonha”, ele deve usá-lo após a cirurgia. Esta é uma referência para o filme animado “Up”, no qual um grupo de cães utiliza o “cone da vergonha” como uma punição.
– Quando Lúcifer mostra sua língua para Sam, pode-se ver que ela é bifurcada, referenciando a forma de cobra que Lúcifer assumiu quando ele tentou Adão e Eva em Gênesis.
– Nora diz a Sam que o número de seu telefone não está funcionando. Isso é por causa de os meninos terem seguido o conselho Frank em 7×06 – Slash Fiction: “E mudem seus telefones em uma agendada não-agendada, entenderam?”
– O demônio faz uma valsa, literalmente, de rosto colado com Jeffrey.
Em 4×16 – In the Head of a Pin, Alastair cantou uma frase da música Cheek to Cheek de Irving Berlin para Dean – “O céu, eu estou no céu, e meu coração bate tanto que eu mal consigo falar, e eu pareço encontrar a felicidade que eu procuro, quando estamos juntos dançando de rosto colado…”

– A parte do ritual de Jeffrey exigindo o sangue do exorcista para trazer de volta o demônio é semelhante a uma cena de Harry Potter e o Cálice de Fogo, onde um dos apoiantes de Voldemort usa o sangue de Harry, como parte do ritual para trazer Voldemort de volta. “B-sangue do inimigo… tirado à força … você vai… ressuscitar seu inimigo.”

– O diretor do episódio Thomas J. Wright era produtor/diretor de um programa de TV chamado “Millennium” (1996 ~ 1999), que tratava-se de assassinos em série e demônios.

7×21 – Reading is Fundamental

Meg liga pra Dean e Sam e diz a eles que Castiel está acordado e conversando. Enquanto isso, um adolescente chamado Kevin é atingido por um raio e é transformando em um relutante profeta. Sam e Dean acredita que Kevin tem a chave para derrotar os Leviatãs, mas devem lutar contra dois Anjos que querem-no para seus próprios propósitos.
Episódio que foi dirigido também por Ben Edlund, originalmente exibido no dia 27 de Abril de 2012 e assistido por 1.66 milhões de espectadores.
Outras curiosidades:
– “Reading is Fundamental” é uma organização sem fins lucrativos que promove a alfabetização de crianças.
– Dean e Castiel jogam o jogo de tabuleiro “Sorry!”, que teve origem na Inglaterra em 1920. Baseia-se no antigo jogo indiano de Pachisi. Os jogadores tiram cartas que dirigem o seu movimento em torno da placa. Os movimentos de um jogador podem resultar em outro jogador que está sendo enviado de volta ao começo – por isso o título de “Sorry”.
– O disfarce de Edgar, Detetive Collins, é uma referência a Misha Collins, que reapareceu na série após 7×17 – The Born-Again Identity.

8×05 – Blood Brother

Depois de Benny ser brutalmente agredido por alguns vampiros, ele liga para Dean e pede ajuda. Dean do nada, faz as malas e diz a um confuso Sam que está tirando “um dia de folga”. Benny confessa que ele está indo atras do vampiro que o transformou, então Dean se oferece para ajuda-lo, lembrando-se das vezes nas quais Benny ajudou a ele e Castiel no Purgatório. Enquanto isso, Sam usa o seu tempo sozinho para refletir sobre a vida que ele deixou para trás com Amelia. Entretanto, quando as coisas vão de mal a pior para Dean e Benny, Dean liga para Sam e pede ajuda, o que faz com que tudo fique muito complicado.
Episódio que foi dirigido por Guy Bee, originalmente exibido no dia 31 de Outubro de 2012 e assistido por 1.72 milhões de espectadores.

Outras curiosidades:

– O barco do qual Dean e Benny tomam posse para irem até a ilha apresenta as iniciais C & D inicial pintadas no mesmo. Guy Bee confirmou que era uma referência ao nome que tinha sido sugerido por Jensen para chamar o barco que ele comprou no início de 2012 – O Capitão e Danneel (esposa de Jensen).

O crédito de todas as imagens usadas vai exclusivamente para a CW.