Vimos por meio dessa declaração nos posicionar diante do anúncio do cancelamento da convenção, que seria realizada em São Paulo e foi cancelada, ontem, pelos organizadores. Essa é a posição oficial do site sobre o assunto, uma vez que somos fãs e parte ativa no fandom brasileiro de Supernatural.

Se alguém tiver interesse em divulgar e mostrar isso ao mundo, esteja à vontade. Para isso ele é bilíngue. Você estará ajudando o fandom brasileiro.

This is where we stand regarding the cancelation of the convention that was about to take place in São Paulo. Please keep scrolling down for the English version. Thanks.

Em Português.

Lamentamos profundamente o cancelamento da convenção de Supernatural, que seria realizada em São Paulo por uma empresa estrangeira. Queremos, no entanto, esclarecer colocações feitas na declaração oficial sobre o cancelamento e sobre a justificativa para tal atitude.

Em primeiro lugar e acima de tudo, é inadmissível lançar a responsabilidade pelo cancelamento do evento no fandom brasileiro.

 Não é culpa dos fãs brasileiros se quem se propôs a fazer o evento cometeu erros graves desde o início e perdeu completamente a credibilidade. A começar pela tática de aproximação e divulgação da empresa. Não somente nessa edição, mas desde a primeira empreitada. Não se pode chamar a primeira edição do evento no Brasil de um sucesso estrondoso.

 

A maioria dos fãs cobrava direitos básicos do consumidor, com os quais os brasileiros estão acostumados. Uma empresa que  nunca forneceu a informação sobre representação oficial no Brasil mesmo quando indagada por várias pessoas , insistia em divulgar valores em moeda estrangeira, se negava a tratar com os fãs no idioma local (só respondia a quem se dirigisse a ela em inglês ou espanhol) e disparava tweets de extrema indelicadeza a quem fazia perguntas simples, óbvias e absolutamente legítimas, como onde aconteceria o evento ou quando anunciariam o primeiro convidado (quem nunca leu um tweet como “Se não concorda com o que [empresa] esta faz por voce não venha. Não precisamos de voce”? Hoje acho que cada tweet poderia significar um fã que “desprezou” os atores, não é mesmo? E quem leu mensagens como essa sabe muito bem que não exagero na imitação do Português sofrível). Éramos incentivados a comprar pacotes de ar, já que não havia local ou convidados anunciados. Quem comprou um pacote certamente acreditou na palavra da empresa ‘que já havia realizado uma convenção de sucesso no seu país de origem’. Basta dizer que a empresa que se aventurou a fazer uma convenção concorrente só se embrenhou nessa mata por total discordância com a postura da empresa detentora dos direitos do nosso sonho de fãs. Bem, o resultado todos viram.

 

A segunda tentativa da mesma empresa de realizar uma convenção em terras brasileiras vinha sendo adiada por vezes seguidas, sem que detalhe algum fosse divulgado a quem já havia adquirido pacotes. O evento seria agora em junho e o local ainda não havia sido divulgado. Não é assim que se trabalha no Brasil, ao menos não quando se busca eficiência. A empresa continuava com sua proposta de fazer uma convenção inesquecível, já que eles tinham know how para isso, tinham “na lista de clientes os protagonistas da série”, como gostavam de anunciar. Essa dubiedade na comunicação, aliada à falta de domínio do Português, levou o fandom a conclusões que a empresa não desmentiu e preferiu alimentar. Não é preciso ter memória de elefante para lembrar do bordão “Compre pacotes que eles virão”, sempre em referência aos protagonistas da série ou da histeria que dominou os que já haviam comprado pacotes e quem eram incitados a convencer o fandom de que eles só viriam se a empresa vendesse mais pacotes. Isso pôs os hunters brasileiros em pé de guerra. Interessante… Será que os atores que ontem lamentavam o fato  de não querermos vê-los aqui sabem que jamais foram anunciados como grandes atrações, mas sim como “o que tem pra hoje”?

 

A estratégia estava correta. O brasileiro não é exatamente um povo rico, em sua maioria. Muitos hunters conhecem Supernatural pela TV aberta, ou seja, alguns dos personagens ainda nem existem em seu universo de fãs. É preciso levar em conta a necessidade de uma boa dose de sacrifício para comparecer a um evento para o qual muitos teriam que arcar com passagens aéreas, hospedagem e alimentação, além do pacote propriamente dito. Não queremos desmerecer ninguém, somos apaixonados pelo elenco e queríamos vê-los de perto, mas um sacrifício deste tamanho só se consegue realizar uma vez, para ver quem é imprescindível abraçar antes de morrer. Se o objeto de sua admiração máxima estava entre os presentes, imagino que você estava entre os tais 180 que haviam comprado pacotes. Mas que não se diga que a empresa não prometeu mesmo a esses compradores mais do que efetivamente ofereceu. Não passa uma semana em que a gente não receba um tweet em que se lê “comprei um pacote pra tal Con. Você acha que os Js vêm?” Desmerecer o trabalho de um ator coadjuvante é coisa que jamais iremos fazer, mas é evidente que a esmagadora maioria gosta da série por causa dos irmãos Winchester. Fato.

 

Não se pode, da mesma forma, querer que os pacotes esgotem se não há divulgação. Por vezes seguidas indagamos como seria tratada a imprensa no evento. A resposta era sempre a mesma (em inglês ou espanhol): “Não temos interesse em divulgar a convenção em nível de imprensa por se tratar de evento particular”. Também presenciamos, com o Fã Clube Supernatural Brasil, o número de fãs que viam nossas fotos com os atores e ficavam surpresos, querendo saber onde elas haviam sido feitas. Moral da história: muitos hunters brasileiros nunca tiveram ideia de que alguns atores já estiveram ou estariam aqui inclusive pela TERCEIRA VEZ! Talvez seja o momento de, imodestamente, fazer um mea culpa. O Supernatural Is Life declarou publicamente seu repúdio a essa convenção pelo tratamento dispensado aos fãs, pelo total desprezo pelas leis brasileiras e por ter basicamente impedido o nosso objetivo de realizar uma convenção completa e inesquecível por aqui. Na época, recebemos mensagens que afirmavam “o sonho vai se realizar. Vocês não conseguiram, mas nós vamos levar esse presente a vocês”. Em tempo: nós não havíamos desistido. Sim, parte da revolta foi pessoal. Quem viveu, viu.

 

Esse era, inclusive, o tom do discurso da empresa. O do favor, da mão estrangeira estendida aos menos favorecidos. Tom esse que mudava para o de vítima quando a situação apertava, o que colocava o fandom em mais aflição: “Se voces não acreditar nos, os atores não vem” ou coisa assim. Quem já havia adquirido seu pacote à base de pagamento suado berrava nas redes sociais que por culpa nossa os Js não viriam ao Brasil, já que o blog (agora site) atacava a honrosa empresa, que na época produzia a segunda edição no seu país de origem.. Sem os protagonistas. Por que?

 

Basta. Com pesar, concluímos que é melhor assim. É melhor que essa empresa que nunca respeitou o fandom brasileiro, nunca respeitou as leis do nosso país, nossa conjuntura econômica e nossa cultura tenha desistido de suas operações por aqui. Matamos a impressão de que o brasileiro é crédulo e ingênuo. Mostramos que não somos manipuláveis, mas que não se diga que não amamos os atores que confirmaram presença. A Jim Beaver, Misha Collins, Ty Olsson, Richard Speight Jr. e Steve Carlson, nosso profundo respeito e admiração. Ainda nos encontraremos em melhor situação. Jamais o descrédito. Esse é todo dirigido à empresa que tratou nossa paixão como moeda (estrangeira) de troca.

 

In English.

 

We’re truly sorry for the cancelation of the convention that was about to take place in Sao Paulo, produced by a foreign company. However, we’d like to enlighten a few statements that we feel were directed to us, as part of the Brazilian Supernatural fandom, about the reasons behind their move.

 

First, foremost and above all the rest, we won’t tolerate the statement that we are to blame for the cancelation.

It’s not our fault if the company that jumped in made terrible mistakes from the get go and lost all credibility. Their approach and marketing estrategy, for starters. Not only for this edition, but since their first endeavor, which we think wasn’t anywhere near what you can call a huge success.

 

Most of Brazilian fans started asking for basic consumer rights, because we are used to having an efficient Consumer Affairs policy. A company that, when asked, never provided local representation, insisted on advertising packs in foreign currency, wouldn’t speak to fans in their language, only in Spanish or English (we speak Portuguese, by the way) and sent rude tweets to anyone who asked even obvious questions, such as “where will the Con take place?” or “When are you going to announce the first (!!) guest?”. We were supposed to buy air packs, since we didn’t know who would be coming or where would the event take place. Suffice to say that the second team, which decided to host another Con, was born from the extreme disagreement with the first company’s attitude toward the fandom.

 

The foreign group’s second attempt at a successful Supernatural Con in Brazil was postponed at least once, from May 2012 to June 2013, with no further information to the ones that had already bought their packs. The Con was just around the corner and we still didn’t know where it was going to take place. Brazil has many problems, but we’re not used to this kind of treatment, not when you expect efficiency and for such an expensive dream to come true. They said they were the ones with the know-how, they had the leading men listed among their clients. This kind of dubious communication, combined with their lack of anything near an understandable knowledge of Portuguese, led the fandom to conclusions that the company never clarified and chose to encourage. They had this motto: “Purchase packs and they will come”, always in reference to the actors who played the main characters. A certain hysteria took the fandom by storm and soon all social networks were flooded with threats just like the ones we’ve seen now, “I’ll blame YOU if they don’t come”, because fans who had bought packs were firm believers in what the company preached. And even sooner that turned into a war. We wonder if the actors who now regret the fact the WE didn’t want them here know that they were never advertised as the stars they are but as ‘second best’, since the promise as of four months ago was still the presence of the leading men? Too bad we wouldn’t buy that anymore, in fact even for this very reason. Now we wouldn’t buy packs for the principle of not believing a word the company said and upset that the actors were being treated that way in our eyes.

 

Their strategy was good enough, though. Brazilians are not exactly wealthy. Many hunters watch Supernatural on public television, and some of the new characters don’t exist in their universe yet, since SBT stopped airing the show after its fifth season. It would take a huge sacrifice for most fans to attend an event for which they needed to be able to afford plane tickets, hotel reservations and food, not to mention that pack itself. Not to belittle any of our beloved actors, we love all characters and would give the world to meet them, but that is a once-in-a-lifetime effort and by then most people couldn´t tell if some other company would walk the extra mile and bring them AND the Js and those customers would be feeling left out, since the well would have gone dry. Those professionals are people we want and need to hug before we die. But we think it’s a bit of a stretch to say that those who bought packs didn’t care that the Js weren’t coming, because they too were always led to believe otherwise. Not a week went by that we wouldn’t get a tweet like “I bought a pack. Will the Js be  attending?/Now I hope the Js confirm their presence!” We will never belittle any of the actors here, but most fans obviously fell in love with Supernatural because of the main characters.

 

Packages aren’t sold if the fans are not aware of the upcoming event. We asked many times about the role of the media/press regarding the Con, since we have two journalists in the crew. The answer has always been: “We’re not interested in advertising the Con, since it’s a private venture”. We also attend multifan events with Supernatural Brasil Fan Club, and lots of ‘hunters’ (as we call ourselves here) would come to us astounded after seeing pictures of fans with the stars of the first con. People who didn’t know they’d been here. Ever! Please notice it would have been Misha’s THIRD time in Brazil (and we love you even more for that, Mr. Collins) and there were fans still oblivious to what should have been great news, broadcast to the world… but not to us, apparently. The pictures were taken here, in Sao Paulo, those fans’ hometown. Maybe now it would be a good time for a mea culpa. Supernatural is Life declared early on to be against the whole affair, mostly because of the attitude we were getting from the producers, for the total disrespect of Brazilian consumer rights’ laws and for basically having buried our dream. By that time, most of us believed it would never be possible to see a decent Supernatural Convention in Brazil.

 

Their speech was always patronizing, like they were the foreign helping hand that was doing a favor on behalf of the less fortunate. Tone that changed to the role of victim when they’d blame us for not buying, thus getting in the way of their perfect event. “If you don’t buy, they won’t come”, but what were we buying anyway? By that time they were producing the second edition in their country. Without the leading actors. Why?

 

Enough. We’re sorry to realize it’s for the better. We never had the respect we deserve and for that we hopefully have killed the impression that Brazilians are gullible. We’ve shown that we are not to be manipulated, but never ever let it be said that we didn’t want the actors and the musician here or that we didn’t care. To Mr. Beaver, Mr. Collins, Mr. Olsson, Mr. Speight and Mr. Carlson our love, respect and admiration. We’ll still meet, for that we’re sure. Our disdain was never directed to you and we’re sorry if that is what this whole disaster led you to believe. Our disdain go to the people who thought our passion was small change. In foreign currency.