image

 

Este foi na minha opinião um dos melhores finais de temporada de Supernatural. Não vou dizer aqui qual foi o melhor, acho que cada final tem a ver com a mitologia da temporada e também para mim, cada final tem um valor sentimental. E este não foi diferente. Apesar de ter sido o fim, pra mim teve um sentido de recomeço. Carver foi lá na essência de Supernatural e aos poucos foi colocando a série nos eixos, esta pelo menos, foi minha percepção.

Começamos com a quase morte de Xerife Mills, mas uma das amadas personagens, amiga dos meninos, protetora, que nos faz lembrar de Bobby (como esquecer o flerte entre os dois) e Crowley resolve matar justo ela. Às vezes acho que estes escritores usam Crowley só para brincar com nossos corações apaixonados e passionais. O que ele faz com Dean e Sam, os escritores fazem conosco. Atacam na ferida, se mostram donos da situação. Mas Sam e Dean vencem a todos, eles têm vida própria.

A chantagem parece funcionar já que os meninos estão indo ao encontro de Crowley para fazer um acordo. Adoro como os acordos do demônio são sempre enormes. Dean, como um bom irmão mais velho, toma a frente e começa a ler. Crowley foi tão inocente ao se aproximar de Dean. Estamos falando de um dos heróis desta história, é obvio que ele não iria se entregar assim. Amei as algemas com armadilhas contra demônios. Mas amei ainda mais a cara de espanto de nosso amado vilão ao saber que ele seria o último teste.

Toda esta questão do fechamento ou não dos portões do inferno estava me parecendo muito fácil, é claro que os autores não iriam simplesmente deixar isto acontecer, e querem saber? Eu gostei que não fecharam. Eu gosto dos demônios na série, e Abaddon me parece que será a nova chefe. Excelente a cena dela com Crowley. Agora teremos uma rainha do inferno, ao que parece, porque Sam a mandou para algum lugar, mas não a matou, certo?

Mark Sheppard merece um prêmio. Ele me fez ter ódio e pena dele no mesmo episódio. Todo o discurso dele para Sam ao se sentir sendo curado, foi tocante. De fato, como ele vai começar a pedir perdão? Será que ele merece? Será que ele, mesmo “envenenado” com os poderes demoníacos não sabia de fato o que fazia? Olha aí os autores falando de redenção mais uma vez. E como Sam não terminou todo o teste, o que será de Crowley agora? Ele se curou? Continua “do mal”? Um belo gancho e uma ótima maneira de manter o personagem na próxima temporada, afinal, com todos os conhecimentos dele, ele pode se tornar um aliado.

“A maior parte do tempo de um escritor é passado na leitura, para depois escrever; uma pessoa revira metade de uma biblioteca para fazer um só livro.” Samuel Johnson.

Eu citei agora Samuel Johnson, porque o Metatron disse uma frase dele para Naomi: “Of the blessings set before you,make your choice and be content”. Se contente com aquilo que você tem. E não foi exatamente isso que ele fez? Passou anos e anos lendo livros e alimentando o que ele tinha: o desejo de vingança. Bem que eu o achei muito bonzinho no último episódio. Cas cometendo mais um erro, acreditando em um desconhecido apenas por ele se dizer da família. Foi um erro honesto, mas e as consequências? Logo Cas, que queria tanto a redenção, o perdão. Olha aí os autores batendo novamente nesta tecla.

Naomi morreu. RIP. Cheguei a ter pena dela, mas depois me lembrei que ela mandou Cas matar Dean, então já foi tarde.

Vamos ver qual será o arco de Cas na 9ª temporada. Amo o personagem, mas não quero que ele esteja lá apenas para satisfazer os fãs. Que tenha um fundamento, principalmente agora que ele perdeu sua graça (sem duplo sentido).

 

Os irmãos. Posso dizer que há tempos não me emocionava tanto com uma cena destes dois. Obviamente o sacrifício era a morte de Sam assim que terminasse de fazer os testes. Tá, vamos dar uns pontos para Naomi por contar isso ao Dean. Meu coração saiu pela boca de ansiedade com a cena, Sam prestes a terminar os testes, Dean longe, o fandom inteiro gritando em frente ao computador e/ou televisão. Dean chega, conta pra Sam que ele é o último sacrifício e que irá morrer e Sam diz: E daí? Meu coração se despedaçou, como estes meninos se subestimam! Samuel Winchester dizendo que em sua confissão, ele disse que seu maiores pecados foram todas as vezes em que ele decepcionou seu irmão e que agora ele poderia faze-lo se orgulhar, e que tinha medo de que ele um dia se cansasse. Quem nunca se sentiu assim, com medo de perder a confiança de quem  ama? Tudo bem que o Sam exagerou em alguns momentos, mas que atire a primeira pedra quem nunca fez a escolha errada tentando acertar. Finalmente eu entendi porque Sam não gostava de Benny. Era puro medo. Ele sabia que tinha errado ao não procurar o irmão (nunca vou perdoar o Carver por esta, tá vou perdoar, mas não gostei #prontofalei) então imagina quando ele descobre que Dean fez amizade logo com um vampiro. Justo Dean, que sempre foi o que mata monstros sem pensar. Como ele disse, medo de ser trocado por um anjo ou vampiro.

E então, Dean diz a ele aquilo que todos nós sempre soubemos, que nada e nem ninguém é mais importante pra ele do que seu irmãozinho. Que ele faz tudo para mantê-lo a salvo e feliz. Eles se perdoaram. Finalmente abriram seus corações e como bons irmãos fizeram as pazes. Isto é família. Erramos, brigamos, mas no fim, o amor fala mais alto.

Acabamos a temporada com anjos caindo do céu. Literalmente. Se Lúcifer ao cair fez o que fez, imagina o céu todo? E será que em 2014 veremos Lúcifer novamente, como ele mesmo disse ao Dean lá no episódio The End?

A única certeza que tenho é que aconteça o que acontecer, os Winchesters estarão mais unidos do que nunca para resolver tudo. Fortes eu não sei, porque não sabemos o que irá acontecer com Sam agora. Acredito que os Homens das Letras devam ter escrito sobre algo que possa cura-lo.

Kevin continuará, já que tem mais uma tábua para decifrar, e o coitado achando que estava tudo terminado. Vida de Profeta não é fácil.

Gostei de tudo, até do que não gostei, fiquei louca quando Dean deixou Sam sozinho com Crowley para ajudar Cas, mas depois gostei porque ficou bem mais emocionante todo o nervosismo para ele chegar a tempo e salvar o irmão. Foi por pouco, Carver.

Bom amigos, vamos todos dar um abraço coletivo e gritar no travesseiro, porque agora só daqui há 4 meses!

Carry on!