Segunda e última parte da edição com a equipe do SPNisLife sendo Hunter da Vez. Divirtam-se!

Já passou por alguma experiência sobrenatural real?
A Clarice mandou simplesmente um categórico “Não”.

Guilherme: Nunca. Não faço a mínima ideia de como reagiria se passasse por uma.

Rafael: Apesar de eu acreditar no “sobrenatural”, não tenho nenhuma experiência marcante que eu me lembre.

Thiago: Sim, durante uma noite em que dormi na minha avó paterna, aos meus 14 anos mais ou menos. Estava dormindo na sala e a luz da cozinha estava acesa. Acordei durante a noite para ir ao banheiro e logo vi a luz apagada. Fiz menção de ir acender para ir ao banheiro, mas foi apenas eu me virar para ver uma sombra vindo em minha direção, e tão logo o vi, perdi qualquer controle sobre meu corpo. Tentei gritar e me mexer, sem sucesso, enquanto a tal sombra se aproximava. Quando ele estava prestes a me tocar, eu desmaiei.

Polly: Não, minha praticidade talvez impeça isso. XD Se aparecer um fantasma no meu quarto à noite é bem capaz de eu dizer: ‘Vai dormir, cara, se você é um desocupado, eu não sou’ e caso ele insista em ficar, me viro e o deixo falando sozinho. Já fiz isso com muita gente que não é fantasma… ^_^

Suelen: Sim. Uma vez senti alguém tocando nas minhas costas, mas não tinha ninguém em casa. E outra vez, dormi na casa de uma amiga e ouvi passos no quarto dela, mas ela estava na sala. Fiquei com medo, mas me lembrei dos Winchesters e fui atrás do sal e do ferro! rs

Vicki: Várias. Venho de família espírita e, apesar de não fazer mais parte dessa crença, a mediunidade é algo forte entre nós e não raro eu vejo, ouço e sinto presenças claras. Minha intuição também é bem forte. “Atividade Paranormal” é o que pode acontecer se eu não me policiar: minha casa fica “cheia”!

Diga qualquer coisa que queira registrar, mas que não teve oportunidade nas outras perguntas.
Thiago: Queria dizer que estou muito feliz por nesses últimos dois anos ter tido uma mudança tão significativa na minha vida, ganhando tantos amigos, a possibilidade de escrever sobre minha série favorita, e, o mais importante, uma namorada maravilhosa que ama tanto a série quanto eu.

Polly: Eu não mordo e eu não odeio o Sam. Hehe.

Rafael: Acho que reafirmar que a equipe do IsLife tá aqui pra sempre tentar levar as notícias de SPN o mais rápido o possível e com qualidade, logicamente! A gente tem nossas vidas, trabalhos, mas sempre fazemos o melhor! 😉

Suelen: Supernatural me fez descobrir várias coisas sobre mim. Uma delas é que me identifico com o Sam porque já passei pela mesma situação que ele, de ser forçado a fazer algo apenas pra agradar sua família. No meu caso, sentei e conversei com eles e tudo foi resolvido, mas sempre fica aquela sensação de que você está decepcionando por não querer seguir aquele caminho. Então sou grata à série por ter me ajudado a fazer esta viagem para dentro de mim.

Vicki: Eu amo essa equipe e a série mais que muita coisa nessa vida! É um prazer imenso fazer parte desse fandom apaixonado. Tenho muito orgulho de dizer que sou hunter, que sou do FCSPNBR, de sair de camiseta da série, de olhar em volta no meu quarto e ver mil referências a Supernatural (a faxineira hoje mesmo entrou no meu quarto e disse: “Quem são esses moços? Você gosta deles, hein?”) Sério. Tem literalmente foto dos Js descendo do teto. A Organização Mundial da Saúde não recomenda meu nível de fanatismo.

A Cla não quis registrar nada em especial e o Gui na época tava empolgado com a participação do vovô Henry (a gente avisou que fazia tempo).

O que de bom [tirando as amizades que fizeram a partir disto, claro] Supernatural trouxe para suas vidas?
Thiago: Lições de vida sobre como apreciar e valorizar a família, vontade de estudar vários temas sobrenaturais explorados na série e uma certa obsessão por luzes piscando (risos).

Suelen: Eu gosto de fanfics, de ler e escrever e a série me levou para este mundo alternativo. Por conta da série, conheci histórias lindas que me inspiram todos os dias e me fazem passar por dias ruins.

Rafael: Acho que toda série que você vê, todo livro que lê ou filme que assiste sempre traz novos conhecimentos ou atitudes pra você aplicar na sua vida. Em Supernatural eu fico com a parte de colocar a família acima de tudo.

Vicki: Supernatural só trouxe coisa boa pra mim. Amizades incríveis, oportunidades impensadas inclusive de trabalho, um senso de dever que nunca tive antes por coisas que não eram trabalho – passe um episódio com a equipe Ghostfacers fazendo legenda e você vai entender o que é comprometimento sem ganho material.
Conheci muita gente fazendo eventos com o FCSPNBR, já que vamos a uma média de 8 eventos por ano, onde decoramos salas e estandes e aí expomos não só material, mas orgulho de representar Supernatural para fãs de todos os produtos possíveis e ouvir coisas como “Vocês falam com tanto amor que eu vou começar a assistir” ou “Caaaaaara! Eu achava que só eu amava Supernatural!” e abrir um sorriso quando chega no nosso espaço (sim, existe gente assim, que acha que só ela conhece a vice-líder de audiência da 1ª à 4ª temporadas todo dia no SBT, hehehe). Sem contar que um mundo de downloads, torrents, streams e tais se abriu diante dos meus olhos. Eu nem sabia que era possível assistir a uma série ao vivo pela internet!

Guilherme: Como disse acima, Supernatural começou como um hobby para mim, porém o interesse se intensificou a ponto de que eu me tornasse fã, o que me fez levar tudo na série bem mais a sério e passar a dar grande importâcia a toda e qualquer mensagem e/ou lição que seja passada, por menor que seja. Hoje em dia, lembrando de tudo o que aprendi com Supernatural, penso duas vezes antes de tomar alguma decisão precipitada ou fazer algo estúpido. Não há um aspecto negativo sequer na influência que a série teve na minha vida, e serei perpetuamente grato a Supernatural por isto.

Polly: Melhorei meu inglês, aprendi a me virar na internet, me mostrou o mundo das fanfics que eu amo.

Clarice: Acho que foi um conhecimento e aperfeiçoamento no quesito sobrenatural e na mitologia da série e tudo que faz parte do folclore, e na parte mais espiritual, que veio à tona com os anjos… Para mim tudo é muito interessante e divertido.

Qual o sistema de crença de cada um de vocês? Todos têm alguma fé?
Rafa: Bom, eu acredito em Deus, acima de tudo… posso dizer que tenho um pezinho (pezão) no espiritismo.

Clarice: (como diria a minha querida amiga e chefinha Polly) Vamos combinar que sou ecumênica. Você respeita a minha religiosidade e não tenta me catequizar (tipo como os índios quando o Brasil foi descoberto) e também te respeitarei e não vou te catequizar, e aí nós dois viveremos felizes para sempre…

Thiago: Eu sou católico de formação, mas com uma mente bem aberta religiosamente, pois meus pais são espíritas, e uma parte da minha família paterna é evangélica. Tenho fé em Deus, mas hoje vejo-o com mais sinceridade, em grande parte graças a Supernatural.

Guilherme: Sou evangélico não praticante.

Polly: Eu sou cristã, de coração e alma. Fui criada no Catolicismo, vou a Igreja Católica, mas não endosso todas as coisas que a Igreja Católica prega. Na minha casa meu pai é extremamente católico e minha mãe é espírita convicta. Aprendemos a respeitar a diferença de religião de cada um. E como Cristã tento praticar a máxima do Cristianismo, que é “Amar ao próximo”. Não é culpa minha se instituições tentam dominar e doutrinar a fé. Me recuso a institucionalizar minha fé em Jesus Cristo.

Vicki: Eu nasci em família metade católica, metade espírita. Fui bastante praticante no Kardecismo na adolescência, até conhecer uma pessoa que me ouviu dizer que faltava pra mim algo mais “mão na massa”, porque amo as fases da Lua e as mudanças de estação e o fato de o Sol nascer hoje aqui desse lado da janela e do outro lado daqui 3 meses. Essa pessoa me emprestou livros e eu descobri exatamente o que procurava. Hoje sou bruxa, faço parte do paganismo e amo o que acredito. Mas isso é papo para outra hora.

Suelen: Eu acredito em quase tudo…(rs) Sou de uma família religiosa e tenho a mente aberta para todas as religiões, mas não tenho disciplina pra seguir nenhuma. Então, acredito em Deus e sou devota de Nossa Senhora Aparecida.

Se pudessem passar um dia ao lado de alguém do elenco, quem seria e por quê?
Rafa: Acho que seria o Jim Beaver! Sou maluco pra conhecê-lo.

Vicki: Um? Poxa, achei que ia ser fácil: Jensen, com sua concentração, sabedoria, sagacidade, humor ácido e aquela beleza estonteante. Mas Misha é tão culto e divertido, Jared é um meninão apaixonante, que parece não deixar ninguém pra baixo, Jim Beaver, Ty Olsson e Mark Sheppard parecem ter horas de papo de ator pra conversar e Osric Chau me viciou em Candy Crush. Posso responder um dia com o elenco ou deixar pra sorte, quem vier é lucro?

Polly: Jensen Ackles. Poderia dizer que é porque sou fã dele, daquele jeito totalmente fangirl, sabe? Mas na verdade seria para ver como ele ‘trabalha’, como ele incorpora o personagem, como ele estuda seus textos, como ele se comporta nas gravações, como ele interage com os demais membros da produção. Seria a cereja no bolo se fosse quando ele estivesse num dia ruim. Porque aí eu teria a oportunidade de vê-lo controlar seu gênio. Ou não!

Clarice: Eu gostaria de conhecer, mas principalmente ter a oportunidade de bater um papo, com a maioria dos atores (personagens recorrentes, tipo Ellen, Jo, Rufus etc…) Algo que seria praticamente impossível. Mas acho que além dos meninos (óbvio), todos tiveram uma grande importância na série e deixaram muita saudade.

Suelen: Meu coração se divide entre Jensen e Jared, sempre. Gostaria de passar um dia com eles no barco do Jensen, ouvindo ele cantar e Jared gargalhar das próprias piadas!

Thiago: Provavelmente o Mark Pellegrino. Ele parece ser uma pessoa extremamente divertida.

Guilherme: Se eu pudesse passar um dia ao lado de qualquer membro do elenco, estaria realizado para o resto da vida. No entanto, se tivesse de escolher alguém, seria o Jared. Identifico-me com o jeito brincalhão dele, pelo fato de também ser um palhaço (ba dum tss!) enquanto perto das pessoas que eu gosto. Sempre admirei pacas a maneira que ele interage com os fãs, então eu acredito que, se tivesse uma oportunidade e inglês suficiente para isto, iria exercer uma interação boa com o gigante. Não que eu esteja desmerecendo o Jensen, muito pelo contrário, trata-se apenas de uma questão de afinidade. Pelo o que entendi, a pergunta se referia somente aos membros principais, mas se estou enganado e membros recorrentes estão permitidos, eu certamente escolheria a Katie Cassidy, hahaha. Um dia seria até pouco para aproveitar o bastante ao lado dessa dlç :p Digo, mulher maravilhosa. Concordam, manos?

Queria saber como vocês planejam as matérias que vão ser postadas e vocês se reúnem pessoalmente pra fazer isto?
Vicki: Teletransporte serviria bem pra nós! Não tem planejamento: apareceu, quem puder traduz e posta. Gostaríamos de fazer todas, sem exceção, mas é impossível. Essa pedrinha no caminho chamada vida real nos impede. Garanto que o indispensável vocês leem. O imprescindível a gente não deixa passar. E agora a galera deve ter percebido que o conteúdo original nosso tem aumentado cada vez mais. A gente não tá só traduzindo e queremos cada vez mais a participação dos leitores.

Polly: Não planejamos matérias, porque somos um site de informação sobre a série. Nós procuramos locais onde se fala da série e trazemos para cá, no Brasil e em português, essas informações sobre o seriado, que na grande maioria das vezes, são disponibilizadas em inglês. E não nos reunimos pessoalmente não, porque existem membros que moram em lugares bem distantes um do outro. Reunimo-nos muitas vezes virtualmente via skype ou facebook. Normalmente para distribuir trechos de tradução, ou só pra falar bobagem mesmo. Claro que tecer teorias entre nós sempre rende coisas bem bacanas!

Rafa: Na realidade não planejamos… temos um bate-papo em grupo no facebook pelo qual a gente se comunica sobre quem está produzindo o que, ou mostramos algum link que saiu para quem estiver disponível postar. Acho que mesmo se morássemos todos na mesma cidade seria difícil nos reunirmos sempre para discutir as postagens.

Suelen: Nós conversamos via chat sobre as matérias. Quando alguém tem uma ideia, entra em contato com o grupo e anuncia. E se aparece um spoiler, quem está online no momento, publica.

Guilherme: Cada um é responsável por algo. Os posts de vigília e comentários normalmente são feitos pela Cla. Polly, Rafa e Vicki são responsáveis pelas redes sociais do blog. Thiago tem a coluna Lore. Eu, com a ajuda de todo o pessoal em determinadas traduções, legendo as promos para o canal do blog no YouTube. Porém, todos nós também nos dedicamos às postagens aleatórias, que são muito importantes (como os spoilers, por exemplo). Já reunirmos a equipe inteira pessoalmente torna-se um pouco complicado, pela certa distância que está estabelecida entre alguns de nós. Vicki, Thiago, Suelen e Cla são residentes de SP. Polly, de GO. Rafa, do PR. Eu, do RS. Portanto, infelizmente, seria extremamente difícil reunir todos pessoalmente.

Thiago: Não posso falar pelos outros, mas geralmente eu penso em uma criatura que possa ficar interessante na Lore, procuro informações, apuro, monto o post, e tcharã! O mais perto de uma reunião de todos os membros pessoalmente que já tivemos (pelo menos comigo) foi um encontro entre Vicki, Polly, Clarice e eu. Mas sempre nos comunicamos bastante por chat. (N. do E.: a Suelen também estava nesse dia, mas ainda não era da equipe. Cósmico!)

Qual é o personagem ou monstro ou fantasma que vocês gostariam de criar para entrar na série?
Thiago: Gostaria muito de ver um caçador que fosse um detetive a la Hercule Poirot, tivesse uma habilidade enorme para dedução, odiasse se sujar (isso com certeza renderia muitas risadas), trabalhasse sempre com ordem e método, e uma arrogância intelectual que causaria bastante tensão entre ele e Sam.

Rafa: Putz, queria ter a cabeça de um roteirista de Supernatural, mas não tenho essa capacidade!! Admiro eles por inventarem esses monstros, porque eu já tentei e não consegui! =(

Clarice: Acho que usarei uma ideia do Sr. Ackles – Surfista Prateado. Visualizem. Os meninos numa praia, pouca roupa, muita ação… (sim,eu sou superficial – kkkkkkkkkkkkk)

Vicki: Não é monstro. Eu queria que uma bruxa, das de todo dia, que são bem diferentes das podronas que aparecem na série (que “vivem espalhando seus fluidos corporais”, de acordo com Dean), que não usam seus poderes para o mal, ou sequer usam seus poderes todo dia, salvasse a vida dele, para redimir todas as outras supracitadas podronas. E eu faria essa personagem, claro. Eu também curtiria fazer Deus, se ele um dia aparecer em Supernatural.

Polly: Não sei, porque não é algo que eu entenda muito. Essas coisas de criaturas. Não sei mesmo. Mas talvez eu fizesse o fantasma de Samuel Colt voltar.

Gui: Lembro que na 5ª temporada saiu um boato de que Sam e Dean iriam enfrentar o Jason Voorhees, de Friday the 13th (nota: para quem curte terror e ainda não viu o remake de mesmo nome estrelado por Jared, está perdendo. Baita filme!). Até hoje fico imaginando o quão épico e ao mesmo tempo bizarro seria se eles enfrentassem uma criatura fantasiada de Jason (risos infinitos).

Suelen: Um fantasma brasileiro. Seria legal se eles se deparassem com o fantasma de uma garota brasileira, imigrante que ficou sem dinheiro para voltar pra casa e acabou assassinada por um homem alto de cabelos castanhos e longos e agora está se vingando indo atrás do Sam. Me habilito para interpretá-la.

Como vcs conheceram a série? Como isso influencia a vida de vocês? Contem sobre o dia a dia do hunter nesse ‘Mundo’.
Rafa: Conheci por meio do SBT, como já disse, e eu lembro de Supernatural em qualquer hora da minha vida.. seja alguma situação que eu lembrei alguma fala de personagem, ou lembre de algum episódio, mas tá direto presente na minha vida! o/

Thiago: Conheci a série vendo uma chamada do SBT, vendo algum filme da noite. Fiquei curioso com a temática e até gostei do episódio (Phantom Traveler), mesmo pegando pela metade. Mas como esqueci o nome, só fui ver de novo quando era exibida aos domingos, agora vendo Devil’s Trap, na íntegra, e me apaixonando instantaneamente. Influencia, e como! Desde que me viciei, não consigo ouvir Carry On Wayward Son sem colocar a mão no peito! Mais seriamente, me tornou membro de um grupo muito legal, me dá a chance de frequentar eventos e estimular e brincar com as pessoas sobre a série, arrebanhando mais e mais fãs. Além de me tirar muitas ideias erradas que eu tinha sobre símbolos como o pentagrama.

Gui: Assisto Supernatural praticamente todo dia, estou sempre a par das notícias e spoilers relacionados ao show, gosto de interagir com os hunters e o próprio cast no twitter, teorizar sobre episódios futuros com os amigos mais próximos e muitas outras coisas.

Suelen: Conheci a série vendo o comercial da Warner que anunciava uma nova série. Eu já gostava do Jensen por conta de Smallville e conhecia o Jared de Gilmore Girls, então resolvi assistir, mas claro que me esqueci e perdi o Piloto. Comecei a ver a partir do episódio Wendigo e desde então minha vida mudou muito. Supernatural me ajudava a reunir meus amigos em casa para assistir a série, além de conhecer outros fãs. Eu aprendi a ler em inglês e a assistir videos sem legenda por causa da série e o fato de estar na faculdade de Letras na época em que a série estreou me direcionou a estudar mais inglês e hoje sou uma professora do idioma. Então a série é muito mais importante pra mim do que eu pensava que seria. Como eu disse na outra pergunta, ela me ajudou a me descobrir!

Clarice: Eu ainda assistia muito a Warner em 2005 e quando vi a chamada para a série nova, disse para mim mesma “PQP, finalmente uma serie com 2 homens lindos (estou reforçando a minha imagem de superficial). E como também já disse anteriormente, eu curto muito a parte da mitologia e mistica da serie, isso desde o começo me chamou a atenção. Quanto a como eu sou no mundo “normal”, bom eu me considero uma pessoa superficialmente (kkkkkk) normal. Nada de muito extraordinario, creio que o Dean me acharia uma chata, mas que teria um papo muito cabeça com o Sammy.

Vicki: Conheci a série em propagandas da Warner (“acredite no inexplicável”). Do mesmo jeito que a WB ta fazendo agora com The Following foi com Supernatural. A cada minuto passava algo: clipes, entrevistas (awn, aquela entrevista com os Js lá no começo era lindinha. Jensen perguntava onde ia passar, se era só no México e o entrevistador dizia “não! Em toda a América Latina” e ele “Uau!”), promos. Como disse antes, tinha ‘aquele cara de Gilmore Girls’ (que cresceu lindo, hein?) e eu decidi ver pra checar se aguentaria o tal terror. Não demorou dois eps pra eu ver que não era nada tão terrível assim. Confesso que já tinha visto o Jensen em Dawson’s Creek e em Smallville, mas apesar de achá-lo bonito não vi o que vejo no Dean. Acho que eu devia ter visto Dark Angel antes…
Meu dia a dia nesse mundo inclui falas, pensamentos…
Também descobri como baixar ep, conheci torrent, aprendi a fazer legenda, queimar dvd, “upar”, zipar, embedar, usar várias ferramentas em hardware e software por causa desses dois heróis lindos. E do anjo. E do dono do ferro velho. E do vampiro bonzinho. E do profetinha. E do demo charmosão.

Polly: Eu conheci a série por causa de Jensen Ackles. Eu sou fã de Superman, e obviamente eu assistia Smallville, e quando na quarta temporada da série, eu conheci Jensen Ackles eu me ‘apaixonei’ por ele. Virei fangirl mesmo, sem vergonha de admitir. Continuei vendo Smallville por causa dele, e quando fiquei sabendo que Jensen iria sair para estrelar outro seriado eu fui atrás. Mas me bateu um desânimo quando eu comecei a ler que a série seria “um filme de horror semanal, contado na TV”.. Mas meu amigo Angellus (pra quem é do tempo do Orkut e viveu muitas coisas lá, vai saber quem é o Angellus), que já me conhecia por causa de Smallville, me disse para dar uma chance, que eu poderia gostar, já que eu adoro Stephen King. Eu dei uma chance, e claro que queria ver Jensen em ação de novo. Então em novembro de 2005, eu vi a estreia na Warner Brasil. E confesso que meu primeiro pensamento depois de 3 minutos foi “Porra, cadê o Jensen?”, e o segundo pensamento foi: “Ei, olha lá o Dean de Gilmore Girls. Nossa como ele cresceu!” hehe.. Confissões de uma fangirl: quando vi Jensen escarranchado em cima do ‘moleque de Gilmore Girls’ dizendo ‘Whoa! Easy Tiger’, eu ria feito uma abestada na frente da TV.. hehe.. Então, eu não me envergonho de dizer que comecei a ver Supernatural por causa de Jensen Ackles, mas me apaixonei mesmo pela série quando ele disse “Dad’s on a hunting trip. And he hasn’t been home in a few days” e Sam faz aquela bitchy face que lhe tornaria tão ‘Sam’, eu disse: aí tem. E então quando chegou no 1×03 e Dean teve toda aquela conversa com Lucas sobre coragem e a falta que a mãe lhe fazia, eu nunca mais parei de ver Supernatural e que o slogan “um filme de terror por semana” era conversa fiada.
E por causa desse meu ‘vício’ eu já fui criticada, já briguei, já fiz muita gente se apaixonar pela série, me tornei uma geek. Meu marido e meus filhos sabem que Supernatural se tornou minha ‘obsessão’, pode-se assim dizer. Já deixei de ir a alguns encontros sociais por causa da série, e confesso que dedico mais tempo a ela do que seria considerado ‘saudável’. Mas não me arrependo nem por um minuto. Supernatural me trouxe amigos inestimáveis e que hoje eu não me vejo mais sem a companhia deles. Me trouxe um mundo novo na internet que eu jamais julguei existir.
E além do que me tornou uma ‘hunter’ de notícias relacionadas a série.. Tudo mesmo. Meu dia começa sempre indo checar as fontes pra ver se existe alguma notícia sobre a série. Se tornou meio que uma rotina.

Quem quer ser o próximo? Quem quer sugerir perguntas para os próximos? Seja criativo em mostrar o quanto quer participar dessa coluna escrevendo para supernaturalislifeblog@gmail.com e seja o próximo HUNTER DA VEZ!

CARRY ON!