Pensaram que os spoilers da Comic Con haviam acabado? Estavam enganados. A produção e o elenco concederam inúmeras entrevistas aos jornalistas/colunistas/blogueiros presentes na SDCC 2013.

No seguinte algumas das mais importantes entrevistas dos patrões Jeremy Carver e Robert Singer, com suas respectivas transcrições.

Pergunta: Obviamente Felicia Day estará retornando. Seu personagem é alguém que está em sintonia com os fãs. Pode falar um pouco sobre como a veremos voltar para o mundo de Supernatural?
Carver: Charlie irá voltar em um dos episódios iniciais, no qual descobrimos um caso que aparentemente foi o primeiro para os Homens de Letras, logo que chegaram ao bunker em 1935. Felicia, nossa personagem Charlie, envolve-se nesse caso. O máximo que posso dizer é que tem muito a ver com o Mágico de Oz. Então é muito divertido.
Pergunta: Também quero falar um pouco a respeito de Crowley. Vimos um pouco de sua humanidade na última temporada, como acha que isso irá se desenvolver? Vamos ver mais disso? Ele vai usar essa situação envolvendo os anjos caídos para manipular as coisas novamente? O que está guardado para o personagem?
Carver: Crowley está na inconfortável, inviável posição de ser um prisioneiro dos rapazes. Ele é um prisioneiro no bunker dos Homens de Letras. Então, como você estava dizendo, Crowley está sempre deslizando para algo. Portanto, vê-lo tentar sair dessa situação, será muito divertido. Uma parte dele, seu lado humano, o qual ele quase obteve, deseja que isso nunca tivesse acontecido. Pelo fato de tê-lo feito questionar coisas sobre si mesmo que ele deseja que nunca fossem questionadas. Aconteceu. Acredito que ele deseja que nunca houvesse acontecido. Não posso dizer que essa parte se foi, completamente.
Pergunta: Temos essa situação onde os anjos caídos estão envolvidos, mas também temos Metatron e Abaddon, que continuam por aí. Vamos vê-los novamente no futuro?
Singer: Abbadon foi queimada, mas amamos a atriz, por isso acredito sermos capazes de encontrar uma maneira para trazê-la de volta. Amamos Curtis como Metatron. Acho que ele fez um ótimo trabalho. Acho que talvez ele percebe que foi um pouco precipitado, porque todos esses anjos caíram e ele conseguiu sua vingança, mas ainda está lá em cima por conta própria. Acho que ele gostaria de “re-popular” o Céu com anjos, mas em seus termos. Isso vai se desenrolar com o que está acontecendo, essa batalha entre os anjos na terra.
Pergunta: Também sabemos que Bobby pode estar retornando, de uma forma ou outra. Pode falar como isso vai se desenvolver no decorrer da temporada?
Singer: Não penso em como. Mas sim, ele vai estar de volta, de um modo que não o vimos.
Pergunta: O show tem acontecido por 9 temporadas. Por mais quanto tempo você acha que pode continuar?
Singer: Pensamos que havíamos acabado na 5ª, mas agora estamos quase no dobro disso. Suspeito que 10 seria o apropriado. 200 (episódios) é um número mágico para mim, e estou aqui desde o primeiro. Seria nessa base para mim. Acho que Jeremy pode ter outros planos, mas…

Pergunta: Se pudesse descrever o tema principal da temporada, de que maneira o faria?
Carver: É uma boa pergunta. Há diferentes modos de respondê-la, mas devo dizer que um dos temas serão as consequências. No final da última temporada, os irmãos escolheram um ao outro, invés do que estava indagado para a temporada. Existe muita casualidade, devido a isso. Particularmente, também há casualidade pelo o que Castiel fez. Todos estão lidando com as consequências de suas ações, do final do ano passado. E, francamente, consequências das ações e decisões que estão tomando no início desse ano. Acho que consequências e também decidir quem você é e quem quer ser. Acho que todos os nossos personagens principais vão encarar essa questão nessa temporada. Continua assustador e divertido, mas esperamos também, nesse ano, preencher ainda mais emocionalmente cada um desses personagens.
Pergunta: Se pudesse mandar uma mensagem aos fãs com o intuito de prepará-los para a nona temporada, qual seria?
Carver: Preparem-se para ver os personagens que amam lidando com lados de si próprios que nunca precisaram enfrentar antes. Aproveite assistir eles sofrendo, tendo calafrios, tremendo, ficando com medo e felizes. Aproveite assisti-los, novamente, atentando a quem são e quem querem ser. Não posso incumbir o suficiente, mas todos os personagens terão de encarar isso.

Pergunta: Estamos indo para algo completamente novo na nona temporada. O que pode nos dar?
Carver: Posso dizer que estamos indo para um panorama submisso, no qual os irmãos escolheram um ao outro, invés do que essencialmente era a caça da temporada. O relacionamento deles está mais forte do que nunca. O número de anjos caídos é enorme. Os conceitos normais condizentes a Céu e Inferno que existem há 8 temporadas em nosso show, não são mais os mesmos. O Rei do Inferno não está presente, ele é um prisioneiro. Os anjos caíram na terra, e estão assustados, confusos e vingativos. Acho que vai ser empolgante. Vai suceder a um personagem realmente valioso que também se desenvolve. Passamos muito tempo com nossos personagens, os quais estão vivenciando, de uma forma ou outra, algo novo, no início da temporada.
Pergunta: Castiel vai saber quem ele é no desenrolar da temporada?
Carver: Engraçado que tenha perguntado isso. Posso responder dizendo: ele sabe quem é, em termos de “ser humano”? Sim. Mas ele sabe quem é em termos de que tipo de homem quer ser? Isso é algo para se debater, assim que começamos nossa nona temporada.

Pergunta: O que pode dizer sobre o tema da nona temporada?
Singer: Indiferente dos outros anos, onde dissemos “esse é o nosso ‘ano do radar’, ou ‘ano de filmar a guerra'”, esse é provavelmente nosso ‘ano Game of Thrones’. Não que a história seja parecida. Temos um monte de personagens se desenvolvendo, um monte de níveis de narrar história. Mas em qualquer determinado episódio, podemos ter uma história A forte, uma história B e uma história C. Há muitos personagens sobre os quais podemos produzir efeito. Então eu diria que esse ano tem uma função afetiva, próxima ao drama.