Hello Hunters! A análise do episódio desta semana ficou por minha conta, vamos lá!

Depois de toda a emoção da semana passada eu imaginei que no episódio de hoje me sentiria menos emocionada e mais tranquila, talvez? Me enganei. Que episódio sensacional em várias sentidos!

O que mais me agrada nesta era Carver é que cada episódio mexe com nossos sentidos de maneiras diferentes. Semana passada estávamos todos sofrendo com os feels de nosso amor incondicional com a série, ao menos eu estava. E no episódio de hoje senti que foi dada a largada para o que de fato veremos no decorrer da temporada: muitas histórias e todas elas girando em torno dos irmãos e os afetando de alguma forma.

Crowley, nosso eterno Rei, sempre com suas tiradas sarcásticas. Gostei de ver que por alguns instantes ele sentiu novamente seu lado humano aflorar, bem de leve em suas memórias…o que será que virá daí? Gosto da ideia dele se tornar um personagem ambíguo. E sempre sabendo usar bem as palavras para manipular quem ele precisa, e neste caso foi nosso querido Kevin.

Oh Kevin, personagem que cresceu tanto na série e se tornou parte da família. Falando nisso, será que Mama Tran realmente não morreu? Ainda tenho a esperança de vê-la novamente. Confio em Kevin, mas confio ainda mais no poder de Crowley em persuadi-lo e conseguir sua fuga, porque convenhamos, ele não ficará preso para sempre…mas isso é só um palpite, por enquanto.

Vida longa a Rainha!! Eu amo Abbadon! Que vilã sensacional, forte, bonita, e revoltada com o fato do vendedor ter se tornado o Rei. Adorei a cena dela recrutando demônios, e gostei muito da demônio  sênior, destemida, desdenhou de nossa Rainha e se deu mal. Grande cena!

Falando em grandes cenas, vamos a nossos meninos! Dean finalmente quer falar. Não que ele esteja preparado para falar de amor, mas pelo menos ele quer falar. Depois da morte de sua mãe, Dean ficou um bom tempo mudo (Tá lá no Diário do John,  quem não tem, vá atrás) e agora ele se sente péssimo por guardar um segredo tão pesado quanto este. Ele precisa de alguém para desabafar e só lhe resta Zeke. (vou chama-lo assim agora).  A cena em que Sam se tranforma em Zeke foi uma das coisas mais lindas que já vi nesta série. Jared tem o personagem na mão! Maravilhoso! E pra mim o ponto alto do episódio foi quando Zeke diz a Dean que ele fez o que fez para proteger seu irmão. Ele fez por amor. Posso me afogar nos em meus sentimentos agora? Dean precisava ouvir isso, ele precisava ter certeza de que não está cometendo mais um erro, mais uma decepção para o mundo. Ponto para Zeke!

Sam está mais relaxado, mais confortável em seu papel. Agora ele se sente confiante, acho que isto se deve a conversa dos irmãos na Igreja no final da 8ª temporada. E fiquei triste ao vê-lo ouvir a garota dizendo que por causa dele os pais dela haviam morrido. Não tem jeito, seu passado sempre te persegue. E eu não gostei dela no momento em que a vi, menina chata. Tá, fiquei com raiva pelo que ela disse para o Sam. Mas pelo menos vimos Dean o defendendo e dizendo aquilo que sempre bati na mesma tecla dizendo: Sam (e Dean) são humanos. Eles erram, mesmo quando querem acertar. Que atire a primeira pedra quem nunca errou.

Adorei as cenas de ação! Gosto quando os meninos lutam contra o que quer que seja e tem muita ação, tiros, correria, socos, desmaios, etc… qual é gente, não só de drama vive Supernatural!

E as cenas de comédia? Foram perfeitas no episódio também, no ponto certo. Dean citando Breaking Bad! Dean protegendo o patrimônio do fandom, digo, dele, depois que Sam diz que a cidade está infectada foi hilário! E ele chamando Kevin de Katniss? E Kevin Solo? E os nomes que eles usaram quando estavam disfarçados de agentes do FBI: Banner e Stark! Todos meus fandoms  reunidos em um único episódio! Adorei!

E no final do episódio Dean diz a Kevin que ele, Sam e Cas são uma família e tudo o que eles têm é um ao outro.  Às vezes a vida segue por rumos diferentes e nós temos que encontrar e formar nossa própria família através dos amigos que fazemos durante nossa caminhada. É assim em Supernatural e no nosso mundo não natural também.

E Sam diz a Dean que finalmente ele está feliz. Realmente feliz. Alguém pode dizer que ele esteve feliz em Stanford, o que discordo, porque ele não tinha sua família o apoiando. Agora ele está limpo. Ele tem Dean o apoiando e não tem segredos para com ele. Ele não tem mais medo, está seguro com seu irmão. O que torna toda a situação de Dean ainda mais dolorosa, porque ele não quer que seu irmão sofra e se decepcione novamente.

E sempre que um deles fica feliz, é porque ficaremos tristes… foi muito pessimista ou realista no que diz respeito a Supernatural?

Será um longo ano…

Carry on!

PS: Dean e Abbadon? Tô shippando! AbbaDean! 😀