Hola, chicos malos!

 

Depois de muito tempo em pesquisas no meu próprio bunker finalmente está pronta mais uma sessão de Lore, e dessa vez eu vou aproveitar o episódio dessa semana como material! Se vocês gostarem disso, e mesmo tiverem interesse em dar dicas e sugestões sobre futuros textos, deixem nos comentários! Mas enquanto isso, que tal irmos em frente?

Como vimos no episódio, o Ragnarök é como o Apocalipse nórdico era conhecido, no qual uma série de desastres e mortes ocorreriam, e teria como seu estopim a morte de Odin, devorado pelo lobo Fenris (ou Fenrir, em outras traduções). Mas isso, na verdade, não é o começo, e muito menos o fim dele.

Para explicar melhor, é interessante conhecermos um pouco mais sobre os deuses nórdicos, e os motivos pelos quais o Ragnarök acontece.

De acordo com os mitos, existem nove reinos, ou mundos, que brotam dos galhos de Yggdrasil, a Árvore da Vida. Os mais relevantes aqui são Asgard, lar dos Æsir, os deuses “clássicos” que conhecemos, Odin, Thor e Loki, por exemplo, Jotunhein, reino dos Jotun, ou como são mais conhecidos, gigantes de gelo, e  a Terra, chamada de Midgard.

A Terra se tornou a favorita e cobiçada por todos os outros reinos, por seus ocupantes serem mortais e guerreiros, então Odin tomou posição de proteger esse reino, pois mesmo com sua força e coragem, os homens não eram páreo para o poder de deuses e criaturas como os jotuns.

Enquanto isso, os deuses proliferaram, e Loki acabou tendo dois filhos com uma Jotun, entre os quais Fenrir, um lobo gigante e insaciável que seria capaz de comer a própria Yggdrasil e tudo que havia se ficasse solto, portanto ele é posto em um prisão mágica para não causar problemas, e Jormungard, uma serpente que cresceu tanto que acabou dando a volta na Terra inteira, e acabou mordendo o próprio rabo, ficando presa na Terra, e acabou ganhando o nome de Serpente de Midgard.

Ao passar dos tempos, os povos viviam em relativa paz, mesmo com guerras entre eles de vez em quando, até que Baldr, o Æsir favorito dos deuses é morto por acidente, e isso causa ódio e uma guerra sem proporções que afeta a todos os reinos. Fenrir consegue se libertar da prisão e entra em um furor incrível e nem mesmo os poderes de Odin são capazes de vencê-lo sem luta. Odin acaba entrando em um sangrento combate com ele, e é devorado e morto ao mesmo tempo que consegue matar o lobo por dentro. Com sua morte, Midgard acaba se assustando e começa a tremer e se sacudir, criando terremotos e ondas gigantes, e tempestades com seus uivos. Os outros deuses vão perecendo da mesma forma, e assim, a Árvore acaba se queimando e morrendo completamente… Exceto por um pequeno broto que surgiu da esperança dos homens, e desse broto surge uma nova Árvore, e com ela os deuses renascem e recriam a humanidade de um jeito que eles possam ser felizes e pacíficos.

Mas essa lenda entra em uma grande controvérsia, visto que esses textos são de uma época em que os escandinavos estavam se misturando mais com os povos da Europa, e isso tem vários toques apocalípticos similares aos cristãos. Também não ajuda o fato de que originalmente os povos nórdicos não acreditavam que os deuses passavam mensagens ou ensinamentos que não se tratassem de artes de guerra, inclusive muitos dos deuses na verdade eram usados para retratar as forças da natureza mais brutais. E algo que também entra em contradição é que de acordo com os mitos quando os guerreiros mais ferozes morriam em combate, eram levados pelas Valquírias, mensageiras de Asgard, para viver entre os deuses, lutando e comendo pelo resto da eternidade, sem a necessidade de um “botão de reiniciar”.

 

E vocês, o que acham dessa lenda?

Continuem acompanhando o IsLife no Facebook, Twitter e no Tumblr

Adiós!