Um dos maiores fansites do mundo, o Winchester Bros., fez uma entrevista em áudio com Jensen Ackles sobre os rumos de Dean no restante da nona temporada.

Ouça a voz do ser divino AQUI

E leia a transcrição abaixo:

1. Winchester Radio: É com prazer que recebemos Jensen Ackles para o nosso podcast. Bem-vindo, Jensen! Obrigada! Alô? Ele está aí? Perdemos Jensen?
Jensen: Não, estou aqui, estou te ouvindo. Alô? Oi! Ah, vcs me puseram no mudo! Que droga. (risos) Tudo bem. Estamos todos aqui. Obrigado por me receber.
3. Winchester Radio: Então , esse é um novo formato para vc. Bem-vindo ao formato podcast.
Jensen: (ri) É, normalmente eu me sento numa sala com gente enfiando microfones na minha cara. Isso é legal. Eu acabei de arrumar a minha cama enquanto falava com vcs, na verdade.
4. Winchester Radio: Vc pode se coçar, se quiser, que a gente nunca vai saber.
Jensen: É isso aí.
5. Winchester Radio: É como falar com amigos por telefone.
Jensen: Exceto que… quantas pessoas vão escutar isso aqui?
6. Winchester Radio: Nossa maior plateia foi de… uns 10 mil?
Jensen: Legal!
7. Winchester Radio: Não…estamos esquecendo Misha. É verdade, o do Misha teve mais público. Jim Michaels teve uns 2 mil. O do Misha teve 35 mil.
Jensen: Uau! Basicamente, 35 mil é o número a ser superado aqui, é isso que estão me dizendo?
8. Winchester Radio: Exatamente.
Jensen: (ri) Certo, eu vou querer o feedback de vcs, tenham certeza de…(ri mais) Está bem, O que está rolando? O que há de novo?
9. Winchester Radio: Então, nós vamos te entrevistar. Fica o aviso – haverá perguntas.
Jensen: Tem alguma pergunta escandalosa?
10. Winchester Radio: Vc pode torná-las escandalosas, se quiser.
Jensen: Não com 35 mil pessoas ouvindo.
11. Winchester Radio: (rindo) No mínimo.
Jensen: Está bem. Vamos lá, podem começar.
12. Winchester Radio: Em primeiro , vamos para os assuntos importantes…Caim, isso é o assunto do momento, e o quant ele alertou Dean de que a marca viria com efeitos colaterais em potencial. Você pode contar algo sobre o que vai acontecer com Dean como resultado da Marca?
Jensen: Sim. É… imagine Dean sob o efeito de anabolizantes. A marca está começando a afetar seu estado emocional, seu estado físico, ele está com o pavio mais curto e está com muito mais força – ele deixa seu lado emocional influenciar muito menos nas situações e está se tornando mais uma… uma ferramenta de caça, sabe? E ele está pagando o preço por isso. Vocês verão isso mais para o fim da temporada. Para onde isso vai… eu sei para onde vai, mas não sei como termina. Não tenho certeza, só li até o episódio 20, então ainda temos mais três episódios para falar disso, mas obviamente aguardando para ver como isso se desenvolve, mas por ora, está só começando.
13. Winchester Radio: Ah, legal! Seguindo…
Jensen: Também significa que eu tenho que fazer muito mais flexões ao longo do dia.
14. Winchester Radio: Oh! Eles estão te fazendo malhar.
Jensen: (ridso abafado) Eu sei. É uma tragédia, mas acontece.
15. Winchester Radio: Eles te deram uma dieta a seguir – muita proteína, any of that?
Jensen: Eles não pedem nada disso pra gente. Eles tentaram nos manter em forma antes da primeira temporada, quando estávamos nos vinte e poucos anos, mas depois disso, deixaram a gente em paz. Mas não – se quisermos fazer algo com nosso físico é por nossa conta. Digo, obviamente que vimos as transformações por que Jared passou. Eu não sei se aquilo foi pelo show ou se foi decisão pessoal, mas essa coisa de nutrição e programas de treino e esse tipo de coisa, que você ouve falar nos filmes e tal, (ri) eles estão muito ocupados aí no Sul escrevendo roteiros e nós muito ocupados aqui filmando, então não há tempo para isso. Se temos oportunidade – se Jared e eu temos chance de nos manter em forma, é no nosso tempo livre.
16. Winchester Radio: Não é a primeira vez que vemos os irmãos brigando. Acha que desta vez o afastamento é diferente? Pode ser em definitivo? Vamos ver mudanças no relacionamento deles? E se sim, como isso vai influenciar nos espectadores, e isso vai mudar o show?
Jensen: Desta vez estamos navegando em novas águas no tocante ao assunto brigas. Antes eram brigas entre irmãos e agora é mais sobre… os sacrifícios mesmo que esses dois estão dispostos a fazer um pelo outro. Obviamente, Dean está disposto a ir de cabeça e manter a família unida e manter os irmãos seguindo pela estrada, enquanto Sam cada vez mais parece disposto a cair fora. E ele não está disposto a arriscar a vida como Dean está, então é difícil para Dean aceitar isso. E acho que a única forma como ele está lidando com isso é não lidar com isso. A Marca de Caim deu a ele uma simplicidade de pensamentos que o permite ignorar a complexidade do relacionamento dos dois agora – e manter os olhos no alvo, que nesse momento é Abaddon. Então, eu acho que isso foi parar em algum canto do cérebro dele e ele não tem que lidar com isso. Sam está obviamente lidando com as suas questões pessoais. Eu eu não sei onde isso vai levar, não sei como eles vão fazer as pazes – não sei se será algo mostrado nos próximos episódios, porque eu ainda não vi, mas imagino que vá – até onde, não sei.
17. Winchester Radio: Mais ou menos na mesma linha – nessa temporada, estamos ven do versões mais frias dos irmãos. Dean, em particular, com sua reação a Sam e à frieza de Sam… também vimos Dean matar um cara a sangue frio no ultimo episódio, #Thinman, e também o quarto de Dean parece menos aconchegante agora, o que Jerry Wanek disse no twitter ser uma escolha deliberada. Essas ações estão ligadas à Marca de Caim, você acha, só um problema dos irmãos, ou as duas coisas?
Jensen: Sim, isso tudo tem um pouco da Marca de Caim e o como ela está agindo dentro de Dean e o que está fazendo com seu psicológico, seu emocional e físico. Ele está se tornando menos – como posso dizer – ele se importa menos com o lado humano do que faz, e é por isso que ele tirou uma vida humana em vez de derrubar o cara e deixá-lo numa delegacia, para ser julgado por seu crime, como eu acho que o Dean do passado faria. Em vez disso, ele pensou, “ele é o vilão, ele tem que morrer”. Então eu acho que a linha entre o branco e o preto está ficando… quase que perigosamente clara. As áreas cinza estão diminuindo cada vez mais, pelo menos no que se refere a Dean. Dean sempre foi do tipo preto ou branco – mas sempre houve um toque de civilidade sobre como agir com humanos maus. Eu eu acho que, por causa da Marca de Caim, por causa do rumo que a temporada está tomando, e da tensão entre os irmãos, isso tudo leva Dean a pensar ‘quer saber? Se você está do lado errado da minha arma, eu não quero saber se você é um monstro ou só um vilão humano, você vai morrer.’
18. Winchester Radio: Eu acho que essa mudança em Dean é muito interessante de se ver.
Jensen: É… – sabe, por um bom tempo, havia muitas estórias rolando, normalmente em torno de Sam, ou o que a história estava fazendo com Sam. Embora muitas delas – pode-se dizer que eram vistas pela perspectiva de Dean, o arco era sempre meio que sobre Sam e o que acontecia internamente com ele. Então é interessante ter essa mudança e ver Dean lutando contra demônios internos e com a Marca ou o que quer que seja. Com Sam era Lúcifer, eram essas coisas que os demônios dentro dele faziam, e agora é a luta de Dean – ou talvez ele não esteja lutando, talvez ele esteja aceitando, avho que ainda não chegamos a uma conclusão do quanto isso é ruim. Mas eu estou curtindo o fato de que é algo diferente para ele fazer.
19. Winchester Radio: A temporada passada terminou com aquele momento tocante de honestidade de ambos os irmãos dentro daquela igreja, durante aquela cena…
Jensen: Aham.
20. Winchester Radio: Pode falar sobre o que aquela cena significou para Sam e Dean, não só como dupla, mas individualmente? E o que ela significa agora que eles não estão se dando bem?
Jensen: Bem, vc tem duas perspectivas diferentes de duas pessoas diferentes. Sabe, eu acho que Dean estava querendo evitar perder o irmão a qualquer custo, mesmo que isso significasse abrir o Céu e fechar os portões do inferno e tudo aquilo que aconteceu no final de temporada e a forma como começamos essa. Dean tinha um objetivo claro – manter o irmão vivo a qualquer custo. Onde obviamente vimos Sam, basicamente dizendo ‘Não – eu estou pronto para morrer, já fiz o bastante, já me sacrifiquei demais, já matei demais, já fiz tudo, estou pronto para partir.’ E isso tem sido uma coisa difícil para Dean aceitar, porque ele não vê as coisas dessa forma. Ele as vê como, vc sabe, enquanto estivermos juntos, sempre haverá uma escolha a ser feita. E uma vez que eles desistirem dessa opção, eles se permitirão possivelmente ser regidos por demônios, anjos ou o que quer que seja, o caos total, não que não haja caos agora, mas pelo menos eles estão livres para seguir em frente, fazendo o que fazem. Cada um dos irmãos está em um lado oposto do espectro e isso tem sido o denominador comum da tensão dessa temporada. Dean quer a coisa de uma forma e Sam quer de outra, e tudo começou naquela igreja e com o que aconteceu ali. Então, sim, é interessante. Embora os irmãos estejam juntos, na verdade não estão.
21. Winchester Radio: Falando de Dean sofrendo os efeitos da Marca de Caim e talvez fazendo coisas que ele normalmente não faria, ele decidiu trabalhar com Crowley nessa temporada. Eu acho que Dean e Crowley têm uma química ótima, vc e Mark Sheppard tem uma química ótima. Você acha que Dean agiu corretamente em confiar em Crowley? O que pode dizer sobre isso? O que Sam acha disso? E vc sabe o que vem por aí para Dean e Crowley?
Jensen: Sim, a decisão de trabalhar com Crowley veio depois de Dean ter se dado conta de que tudo o que faz dá errado e de que não pode salvar pessoas porque mesmo quando ele o faz, acaba errando, aparentemente – de acordo com Sam, e quando ele pode salvar pessoas, ele perde essas pessoas a quem deveria proteger, como Kevin por exemplo. Essa culpa o levou a tomar medidas desesperadas – ou trabalhar com as pessoas erradas, para cumprir a missão que ele se determinou a cumprir, que é encontrar Abaddon e matá-la. Sua bússola moral deve ter se quebrado depois de Kevin de depois das conversas com Sam. Então ele não se importa com quem trabalha, só quer terminar o trabalho. Quanto a trabalhar com Mark, isso sempre foi muito divertido, porque vc sabe, sempre foram só Sam e Dean. Mark é um grande ator, acho que todos sabemos disso, e trabalhar com grandes atores é muito bom. Nós nos divertimos demais trabalhando juntos. Mas no tocante à história, Dean vai ao fundo do poço para conseguir o que pode – ou o que precisa. E infelizmente, isso não vai pegar bem com Sam. Então, novamente, teremos conflito aí.
22. Winchester Radio: Novamente, na mesma linha do que Sam pensaria sobre Dean trabalhar com Crowley…Dean já fez gestos imensos para salvar Sam no passado, como trazê-lo de volta à vida na segunda temporada e deixar Gadreel possui-lo nessa, mas Sam não… Ele não foi capaz de salvar Dean do inferno, Sam não foi capaz de trazer Dean do purgatório… acha que é hora de Sam salvar Dean de algo grande assim, talvez dos efeitos da Marca de Caim? E acha que isso talvez dê a Sam a perspectiva do porquê Dean faz o que faz?
Jensen: É, Sam tem sido um babaca egoísta, é a isso que tudo se resume, basicamente…
23. Winchester Radio: (risadas)
Jensen: (risadas) é verdade, Sam parece estar um pouco preocupado. Sei lá, talvez isso seja um acoisa de ‘irmão caçula’, talvez ele esteja pensando‘ah, você é o irmão mais velho. Vc pode descobrir isso sozinho.’ Mas, sabe, isso é um contraste do que Dean pensa, ‘Eu sou o irmão mais velho. Eu eu tenho que olhar pelo meu irmãozinho e protegê-lo e mantê-lo longe do perigo, e isso tem sido seu credo desde que se conhece por gente… Então acho que cada um vê a coisa por um ângulo diferente. Sam parece mais disposto a deixar as coisas acontecerem da maneira como têm que acontecer. E, sabe, ele é – na cabeça dele, o mundo é concentrado nele. E acho que sempre foi, o show tem sido centrado em Sam há algum tempo, e foi baseado em torno dele, e Dean era o protetor e o cara que está lá para ajudá-lo a seguir em frente e assegurar que nada aconteça com ele. E sempre foi assim, e não me supreende ver o rumo que as coisas estão tomando. Parece que continuamos seguindo pelo mesmo caminho que seguimos nesses nove anos.
24. Winchester Radio: Sam e Dean, assim como Cas, estão ocupados com váriso antagonistas nessa temporada: temos Gadreel, Crowley, Metatron, Abaddon, sem contra vários anjos e demônios…Nós veremos esses arcos todos se unirem ou cada um vai se ocupar de lutar suas próprias batalhas?
Jensen: Eu gostaria que elas todas se unissem e parece que vão. Eles normalmente trazem todos eles de volta e juntos todos fazem um final, e é engraçado porque há pessoas no show que eu ainda nem conheço, porque fazem parte de histórias opostas, eles realmente compartimentalizaram o show esse ano, a ponto em que as histórias, nós somos navios passando. Acho que em algum pont todos se juntarão e terão relação entre si e, como estamos chegando ao final da temporada, eu imagino que isso deve acontecer logo.
25. Winchester Radio: Parece bom. Acabamos de saber – a descrição do 9×17 foi liberada – que o episódio estará voltando para a história dos Homens das Letras e o retorno de Henry/Vovô Winchester. Você pode falar um pouco sobre isso?
Jensen: Sim, isso é meio que outra dessas coisas… voltar para repetir seu papel como Henry Winchester, o qual é ótimo. Eu acho que ele fez um ótimo trabalho da primeira vez e nós estamos felizes em tê-lo de volta. Infelizmente, eu não trabalhei com ele porque tudo dessa vez foi como flashbacks, como o que aconteceu lá atrás naqueles dias, então não tivemos a chance de estar juntos no set. Mas é bom ter um pouco de retrospectiva sobre a história do que aconteceu lá e o que aconteceu com ele e ter…lançado um pouco de luz sobre a história de Abaddon.
26. Winchester Radio: Legal. Ansiosa para ver isso. Amei Henry no episódio do ano passado. Foi ótimo.
27. Winchester Radio: Agora, Sam duramente disse a Dean que ele faz sacrifícios for razões egoístas porque ele não quer ficar sozinho… mas nós vimos ambos os irmãos irem a extremos pelo outro. Você acha que há alguma validade para a declaração de Sam? E Dean só faz o que ele faz por medo de ficar sozinho, ou é Sam, especificamente?
Jensen: Diga a pergunta mais uma vez.
28. Winchester Radio: Sam acusou Dean de fazer sacrifícios por razões egoístas porque tem medo de ficar sozinho. Você acha que isto é certo? Ele tem medo de ficar sozinho? Ou ele tem medo de perder Sam especificamente?
Jensen: Essa é uma boa pergunta. Eu não acho que Dean pensa sobre isso desse jeito… Eu não acho que ele senta e vai ‘Ok, por que eu fiz o que fiz?’. Eu acho que é simplesmente uma coisa instintiva – ele sempre foi protetor; proteger seu irmão, meio que tem sido sua missão de vida auto imposta, e ele o arrastou da faculdade nove anos atrás e ele provavelmente, culpa a si mesmo um bocado por enfiando Sam de volta nessa vida, e eu não sei se Dean se sente como ele precisa mantê-lo vivo por culpa ou protegê-lo por medo de solidão. Eu não sei. Na verdade, qualquer que seja o caso, eu não acho que Dean senta na cama e começa a fazer muita auto-análise, eu acho que ele vai com sua intuição e qualquer que seja a razão, ele não é muito preocupado sobre isso. Ele sente como isso é a coisa certa a fazer, então ele faz. Penso que, obviamente, o personagem de Sam é o mais analíticos e talvez ele faz Dean pensar sobre algumas coisas, mas o que quer que seja, acho que Dean preferia não ser analisado por seu irmão mais novo, mas pois é, quem sabe?
29. Winchester Radio: Apontando no sentido da volta de Henry Winchester, desde o final da última temporada e agora, ao longo dessa temporada inteira, nós vimos vários de nossos amados artistas convidados voltarem da tumba de algum jeito. Isso é algo que nós podemos continuar a esperar? Você pode nos adiantar sobre quem mais poderemos ver?
Jensen: Bem, definitivamente, temos algumas surpresas futuras, sobre as quais, obviamente, não posso falar. Embora, eu tenho certeza que vocês sabem, então provavelmente não há nenhum segredo. Vou fingir que vocês não sabem.
30. Winchester Radio: Houve alguns rumores em torno de…
Jensen: Do que?
31. Winchester Radio: Houve alguns rumores na internet, mas eles não estão confirmados.
Jensen: (gargalhada abafada) Bem, eu não quero mesmo saber dos rumores. Não acredite em tudo que você lê ou ouça, mas ao mesmo tempo eu direi que haverá algumas surpresas bacanas no futuro.
32. Winchester Radio: Quem você gostaria de ver de volta? Se você pudesse pegar qualquer pessoa, sabe, quase nove temporadas fazendo a série… Se você pudesse trazer alguém de volta, quem seria?
Jensen: Ah, isso é realmente muito difícil, há um bocado…
33. Winchester Radio: (sons abafados)
Jensen: (voz com risos) O que é?
34. Winchester Radio: Não há pressão para ser justo nem nada, mas…
Jensen: Sim, sem brincadeira. Isso é realmente difícil. Quando você tem, o que… 192 episódios, você tem um monte de pessoas que vem e vão através dos anos que nós queremos ficar juntos, sabe. Desde Sebastian Roché, para Rob Benedict e Speight, sabe, por mim.. Eu só… Especificamente por Dean. Deixe-me responder por Dean, porque por Jensen a lista é provavelmente de uma dúzia de pessoas. Acho que para Dean, se ele pudesse pegar qualquer um para voltar, seria seu pai. Tem sido meio que…. Tenho certeza que vocês tem visto as sutis mudanças em Dean a media que as temporadas e anos vão passando, estou tentando moldar Dean para o jeito que eu lembro de John ser… e então eu sempre pensei que Dean se tornaria seu pai em algum ponto. Hum, e então eu acho que há um enorme vazio deixado quando seu pai se foi. Dean, se ele pudesse desejar qualquer pessoa de volta, no mundo deles, seria seu pai. Mas, você sabe, nós sabemos que isso provavelmente nunca irá acontecer.
35. Winchester Radio: Eu meio que tenho uma pergunta que acompanha isso – você falando como Dean. O que você acha que John pensaria sobre os Homens das Letras? Desde que ele não sabia. Qual reação você acha que ele teria?
Jensen: Acho que, provavelmente, seria semelhante à reação que os rapazes tiveram quando eles descobriram. Seria uma virada de jogo, seria como, “uau, eu gostaria que tivéssemos sabido sobre isso mais cedo, porque isso é uma riqueza de informações e conhecimentos que poderia ser extremamente útil no campo que estamos”. Eu acho que John ficaria eufórico e ávido se lhe fosse oferecido uma batcaverna como aquela, cheia de intermináveis conhecimentos sobre o sobrenatural. Ele teria mergulhado direto nisso, o qual é basicamente o que os rapazes fizeram quando eles tropeçaram nisso. Também penso que lançaria um bocado de luz sobre o porquê de ele ter se tornado quem se tornou, ele baseou tudo isso no fato que ele perdeu sua esposa para algo sobrenatural e isso meio que definiu os rumos da vida que ele acabou tendo. Se ele soubesse que ele estava destinado a ter essa vida, independente de sua esposa, isso seria uma coisa muito pesada para entender e compreender. (o telefone toca). Eu atendo.
36. Winchester Radio: (risos) Ok, por falar em retorno de personagens….
37. Winchester Radio: Você falou sobre ter algumas surpresas chegando… Espero que dessa vez o departamento de promos não vá estragar as coisas como fez com Lauren Tom. Nós falamos com ela semana passada, sobre como eles passaram por tanto esforço para manter o nome dela fora dos créditos e então as promos destacou-a nelas…
Jensen: Oh, mesmo?
38. Winchester Radio: O departamento de promo canadense é… indulgente.
Jensen: Há uma grande quantidade de peças móveis nessa operação, é difícil ter controle sobre cada um deles.
39. Winchester Radio: Mas todo mundo estava animado para vê-la e tê-la de volta… E nós temos Mama Tran e Kevin… e agora Kevin está ligado a ela até que o Céu esteja de volta. E você acha que eles precisam enviar Kevin para o Céu e será seguido por… isto ajudará com a busca deles a lidar com Metatron, Gadreel e tudo isso?
Jensen: Nós achamos que Kevin iria…
40. Winchester Radio: (nem eu sei o que perguntei aqui, hahaha)
Jensen: Acho que é isso. É, definitivamente algo que, se eles podem arrumar um jeito de leva-lo para o Céu isto está em alta prioridade na lista deles. Mas eu não acho que seja a prioridade top. Lidar com a situação na mão – Metatron, Abbadon – e todas as coisas que os cercam, é obviamente a tarefa do momento e uma vez que eles descobrirem o que está acontecendo lá, eles podem voltar e ajudar as pessoas que significam algo para eles.

41. Winchester Radio: Ok, vamos sobre um assunto completamente diferente. Por anos, Supernatural tem sido referenciado como ‘o pequeno seriado que chegou lá’, e agora está gerando um spin-off. Como você se sente sobre ser parte de algo que está expandindo assim e como você acha que os atuais fãs de Supernatural se ligarão ao spin-off?
Jensen: Sim, essa é uma boa pergunta. Sabe, eu sou sempre desconfiado com spin-offs. Eu me sinto, sabe, eu não sei… Eu sempre sinto que a melhor versão é a original, sem falar que isso não pode se tornar algo de… Nós temos visto “The Originals”, eles estão se sustentando. Então, isso pode funcionar? Claro. Isso vai funcionar? Quem sabe. Isso é a mesma coisa com qualquer seriado, qualquer tipo de seriado, qualquer piloto que está sendo feito agora tem 86% de chance de falhar, então eu acho que eles podem se juntar a um seriado que é bem sucedido até certo ponto, pode dar-lhes uma ligeira vantagem em ir bem, mas ao mesmo tempo, eles têm que, assumidamente, segurar uma grande parte do público que temos e eles têm que dar conta. Nós não passamos por nove temporadas por nada, então eu penso que eles conseguirão. Eles têm um bom roteiro, um elenco decente e na verdade eu vou conhecê-los em algumas horas, então será interessante ver se eles podem aproveitar o que nós passamos nove anos criando e transformar isso em algo um pouco diferente e bem sucedido. Se isso vai acontecer, eu não sei. Não finjo saber os prós e contras de uma rede de televisão e o que faz um seriado ir bem e o que não faz. Eu simplesmente apareço para trabalhar, sei minhas falas, fico nas minhas marcas e eles me deixam em paz.
42. Winchester Radio: Bom, eu sei que um monte de fãs de Supernatural estarão lá. Nós vamos apoiar isso tanto pudermos, estaremos torcendo por isso, então…
Jensen: Legal, bom saber. Quando eu os vir hoje, direi a eles que só perdem se quiserem.
43. Winchester Radio: (ri) Isso mesmo. Vcs estabeleceram um padrão bem alto no original, então veremos.
Jensen: (ri) Jared e eu estávamos brincando com isso – será que a gente deveria ir à primeira leitura do eposódio de óculos escuros e uísque na mão, ‘Ouçam garotos – querem saber qual é a chave do sucesso depois de nove anos? Beber durante o dia.’
44. Winchester Radio: (ri) Vocês deveriam fazer isso.
Jensen: Eu sei, eu tenho a maior vontade de ir até lá e ser um mala com todos eles, mas acho que não posso. É como um trote. É uma fraternidade de faculdade e eles são os calouros.
45. Winchester Radio: Certo. Então deve rolar um trote, de alguma forma?
Jensen: Eu não sei – provavelmente será a única vez que trabalharei com eles, se o show vingar, eles vão tentar filmar em Chicago creio eu, e nós vamos continuar filmando o nosso. Para todos os efeitos, e para o bem de todos, nós vamos só dar-lhes alguns conselhos e torcer para que eles nos ouçam.
46. Winchester Radio: Você vem interpretando Dean Winchester há quase uma década – olhando para trás e vendo a evolução do personagem, pode falar sobre que partes do enredo moldaram Dean, primeiramente como um adulto?
Jensen: A caça pelo pai deles foi importante para me dizer quem era o personagem e de onde ele veio e me deu uma ideia de que direção emocional ele tomaria, então os primeiros dois anos foram os anos de crescimento. Mais recentemente… o Purgatório teve um peso importante em moldar como Dean pensa sobre sua vida e a dos outros e toda a situação que o Céu, o Purgatório, o Inferno me ajudaram a ver com mais clareza muitas das questões que ele tinha e seu propósito. Eu adorei aquele enredo e adorei os personagens trazidos por ele. Adorei os sets em que filmamos e a forma como ele foi filmado, achei uma coisa muito legal. Mas mais importante é que Dean foi realmente afetado por aquilo tudo. Outro fato que está no alto da lista foi quando Sam estava bebendo sangue de demônio e ele teve que ver o irmão se enfiando nessa situação e ele se sentiu inútil e isso acendeu algo em Dean, que pensou ‘Eu não vou ficar aqui sentado e ver meu irmão morrer consumido pelo fogo’. Acho que isso foi muito forte para esse personagem, para quem ele é e o que vimos dele na última temporada e nessa… Houve definitivamente coisas ao longo do caminho que ajudaram a construir sua personalidade e essas seguem acontecendo, como a maioria dos humanos, estamos evoluindo sempre, e com esses caras não é diferente.
47. Winchester Radio: Pensando nisso, há alguma decisão que Dean tomou ao longo dos anos que vc revisitaria e talvez mudasse de alguma forma – quais seriam e o que você teria feito?
Jensen: Bem, não ter convidado Gadreel para entrar no meu irmão (ri). Acho que esse é o número um da lista. É uma das razões para Dean se sentir como se sentiu – tudo o que ele toca estraga, foi isso o que o colocou nesse estado de aceitar trabalhar com Crowley, porque ele não se importa com quem – bem, isso não é verdade, ele não se importava cm quem seria afetado, só não queria que fossem pessoas que ele ama. Então se ele tivesse a chance de voltar e revisitar a situação, talvez tivesse alterado umas coisinhas.
48. Winchester Radio: Já houve momentos em que vc teve que interpretar Dean contra Jared como Sam, como Gadreel, Ezequiel, várias encarnações – e vc sempre manteve Dean muito estável como Dean, e isso não é fácil – como é trabalhar com Jared como Sam e como um personagem diferente. E há algum mais difícil?
Jensen: O mais difícil foi Soulless!Sam (Sem sem alma), eu acho, porque foi quase uma reversão de papéis, de repente Soulless!Sam estava tão pragmático e preto-no-branco e… não sem coração, mas mais sem emoções… como Dean, Soulless!Sam para mjim era um pouco como Dean, então em contraste não foi tão fácil para mim interpretar Dean… aquele comportamento meio emburrado e nem aí pro mundo, porque era o mesmo que Jared estava fazendo como Sam, o que faz sentido, porque quando você não tem alma, não poderia se importar menos com o que os outros querem ou pensam, que é mais ou menos o modo como eu faço Dean, então tive que diminuir um pouco o tom , o que foi difícil para mim – sei lá – eu acho que transformei Dean em um mala reclamão naquela temporada. E aquilo foi difícil para mim, porque eu mão gusto pessoalmente de fazer aquele personagem e não gostei quando ele ficou daquele jeito. O que o Soulless!Sam fez com Dean naquela temporada em particular foi bem duro – o lado chorão de Dean que eu não gosto de ver ou de fazer, mas que infelizmente foi necessário para criar um contraste com o que Jared estava fazendo como Sam. Dito isso, eu já tive que lidar com outras encarnações de Sam, e eu tento me manter como Dean, depois de fazer o cara por 9 anos, e tendo sido jogado em várias situações, enquanto eu puder perguntar a mim mesmo ‘Como esse cara encararia essa situação?’ e aí é assim que eu o interpreto – eu sempre volto à forma como eu sempre vi Dean, como ele agiu em situações no passado e isso me ajuda a amadurecer o conhecimento de quem eu sou, sabe? Me lembro de quando eles comentaram conosco a ideia de The French Mistake e eu falei, ‘Ouçam, vcs podem fazer o que quiserem. Desde que não me peçam para eu interpretar outra cara que não Dean, eu estou bem’ eu a essa altura eu sei como ele agiria em qualquer situação – bem, não qualquer uma –não quero dizer 100%, mas eu acho que conheço os diferentes aspectos de fazê-lo, independentemente do que ele esteja lidando – que é o mesmo de saber o que se passa com Sam, quer ele seja Gadreel ou Ezequiel ou Soulless!Sam ou Lúcifer ou qual das várias faces de Sam eles já criaram ao longo dos anos – sempre há uma parte de Dean ali. Pode ter sido adaptada para contrastar com o que acontece com Sam – mas há sempre um denominador comum ali, e eu acho que estou em um campo seguro.
49. Winchester Radio: Agora eu tenho duas perguntas completamente diferentes: a primeira, pode confirmar para nós, para que todos possam ouvir, que você não tem nenhuma conta em mídias sociais – que não está no Twitter, Facebook, Instagram, Skype…
Jensen: [vou por em negrito e caixa alta, galera] EU NÃO ESTOU EM NENHUMA MÍDIA SOCIAL. Eu não entrei no Myspace quando apareceu. Nunca abri conta em nenhuma delas. Nunca. E sei que aparentemente tenho toneladas de contas, mas adivinhe: não sou eu. Sabe, já houve tempos em que pensei que pudesse fazer uma conta privada ou algo assim para curtir tipo o Instagram com meus amigos ou ter conta no Facebook para falar só com meus amigos – não, nem isso eu fiz. Eu nem mesmo sei o que acontece por aí, no mundo das mídias sociais.
50. Winchester Radio: Mesmo que vc quisesse criar uma conta, seu nome já está sendo usado por alguém, e você nem pode ser você mesmo, já há variações demais e não dá pra você criar uma conta.
Jensen: Eu sei, é uma das razões – é tarde demais. Quem está por aí fingindo ser eu arruinou tudo para mim – então dane-se. [touché, Jensen! Alfinetou os impostores e ainda pôs todo o fandom contra eles, sem dizer que arrumou a desculpa perfeita pra não criar uma conta. Cheque-mate, meu caro.]
51. Winchester Radio: É verdade. Fico feliz – vc não faz ideia de quantas pessoas ainda acham que é você por aí.
Jensen: Isso é loucura. Ouça, se o inferno congelar e por alguma razão eu decidir entrar em alguma delas – tenho certeza de que será de conhecimento público. NA VERDADE, VC TEM MINHA PALAVRA DE QUE SERÁ DE CONHECIMENTO PÚBLICO, SE EU ENTRAR EM ALGUMA DELAS. Eu não o farei de maneira privada, eu o farei de com divulgação para que todos saibam e compreendam: ‘Ok, eu vendi a alma ao demônio e agora estou no twitter.’
52. Winchester Radio: (ri) Agora a outra pergunta, completamente diferente: Logo veremos em Supernatural a estreia de Misha como diretor – como foi trabalhar com ele como marinheiro de primeira viagem, ele te pediu conselhos, e a pergunta mais importante, pode nos contar mais sobre a brincadeira da torta na cara?
Jensen: Eu não sei do que vc está falando.
53. Winchester Radio: (ri)
Jensen: Quanto a conselhos, nós dois fomos jantar, isso foi algumas semanas antes dele ter que começar a fazer a pré-produção, e eu dei todos os conselhos de que pude me lembrar e que gostaria que alguém tivesse me dado, além dos que eu realmente recebi, na época em que dirigi “Weekend at Bobby’s” e Misha na hora pegou o telefone e começou a anotar tudo, então eu não sei se algum deles realmente o ajudou ou se ele estava escrevendo um email pra alguém e não estava me ouvindo. Tentei lhe dizer o máximo possível, dar-lhe uma ideia do que esperar, mas o negócio é que você pode dar os conselhos que puder, mas tudo se esvai ou é deixado de lado, porque o instinto ou a personalidade toma conta. Por sorte, Misha é um cara esperto e está cercado por gente que conhece bem o show e a galera da produção que o ama e todo o apoio que ele tem ali, que é o mesmo que eu recebi, tudo isso o ajuda a passar por qualquer desafio. E feliz ou infelizmente para ele, Jared e eu não trabalhamos muito tempo naquele episódio. Acho que só trabalhamos por 3 dias no episódio dele. (pensa) Quem era? Eu não sei, eu não estava trabalhando, então não estava lá. Então teve trote já no primeiro dia e, infelizmente para ele, nós nem pudemos dividir as brincadeiras pelos oito dias, foi meio “Nós só temos hoje e amanhã – desculpe, cara, você vai ser zoado pra caramba.” Foi uma atrás da outra. Na verdade, eu culpo vcs. Porque ficaram especulando tanto sobre o que a gente ia fazer com ele, que nós não podíamos não fazer nada. Então a culpa é de vcs, fãs, por tudo o que aconteceu com ele. Eu não assumo responsabilidade nenhuma.
54. Winchester Radio: A culpa é dele – foi ele quem disse que estava morrendo de medo do que vcs iam fazer com ele.
Jensen: Exatamente! Nós estávamos apenas cumprindo uma profecia.
55. Winchester Radio: Quem teve a ideia da torta?
Jensen: (não é possível ouvir a resposta, se é que houve uma, mas parece que ele ia dizendo que a ideia foi dele, antes de ser interrompido)
56. Winchester Radio: Nós vimos a torta na cara duas vezes – mas houve algo que não vimos em vídeo?
Jensen: Bem, teve muita coisa que não chegamos a fazer. Eu tinha uma lista de ideias. E era bem longa, mas não conseguimos fazer muito, porque depois do primeiro dia ele tomou medidas de segurança intensas, e algumas delas não chegaram a ser feitas – a que mais valeiu a pena foi a torta na cara e acho que uma vez o Jared roubou o roteiro dele, e aí as mais complicadas tiveram que ser abortadas porque A) nós não estávamos lá para fazê-las e B) ele tomou medidas de precaução que não pudemos contornar.