Todos nós aqui do blog faremos uma Análise  sobre o episódio de hoje. Como a minha é a primeira, pensei em escrever logo após o final do episódio, com os nervos em pandarecos.

Obviamente, contém SPOILERS!

Não vou ser muito didática, não estou em condições!

Durante os primeiros 20 minutos de episódio, a minha ansiedade foi ficando cada vez maior. Toda aquela confusão com Cas e Gadreel, e Metatron dando uma de Messias. Eu senti uma urgência de ver logo o que seria resolvido a respeito do plot deles, que eu até gostei, mas confesso que me cansou um pouco toda esta coisa dos anjos. Na hora em que Cas e Gadreel entram no Céu e são presos, minha cara foi:

image

Pelo amor né gente? Foram muito amadores, que raiva que senti! Confesso que não sinto esta dó toda do Gadreel não, tudo bem que ele foi mal entendido, mas não o perdoo pela morte do Kevin. Sou dessas. Ele não fez mais do que a obrigação dele em tentar consertar as coisas. RIP.

Sobre Cas, eu gosto dele, mas é outro também que só se mete em confusão né gente? E agora que ficará sem poderes? Vai fazer o quê? Veremos na próxima temporada!

Metatron quis dar uma de esperto e se ferrou, ainda acho que ele vai aprontar mais, sei lá, só o fato dele estar preso não me parece suficiente. Acho que talvez seja a minha raiva falando mais alto! Detesto o Metatron!

Antes de falar sobre os meninos, tenho que fazer uma exaltação a Mark Sheppard. O cara domina todas as cenas que faz! A cena dele com Dean “morto” foi sensacional! Incrível como ele usa o tom certo na voz, nos envolve, nos emociona. Maravilhoso ator pra um personagem tão controverso!

Mas a verdade é que toda a minha ansiedade era por conta destas questões mal resolvidas entre os irmãos. Eu assisto Supernatural desde 2005 e a relação entre Sam e Dean é que me fascina e me faz querer assistir cada vez mais. Eles é que são importantes pra mim. É por causa deles que eu assisto, que eu apoio, que eu surto. Toda esta briga e desentendimentos entre eles estava me cansado emocionalmente, me peguei irritada, nervosa, triste. É muito estranha esta sensação, de estar tão apegada emocionalmente a um personagem de ficção. Talvez seja porque eles me façam enxergar a mim mesma em suas ações. 

Sam, ah, meu querido Sammy que eu defendo e defenderei sempre! Este temporada foi a que mais doeu ao ver tanta gente odiando um personagem que eu tanto amo, que eu tanto me identifico. E não estou falando de pessoas que não aprovam as ações dele, e sim de gente que de fato o detesta e odeia. Talvez em algum momento de TPM eu tenha sentido toda a negatividade do personagem como se fosse direcionada a mim. Eu que fui um pouco contra a maré enfurecida que sempre diz que Sam é um egoísta cretino que não tem sentimentos pelo irmão. Hoje, neste episódio, quando ele diz a Dean: “Sou eu quem acordo a noite com a imagem da morte do Kevin na cabeça, eu que me vejo matando-o” neste momento ele expressou sua dor. Não sei o que é sentir tanta dor e ressentimento que te fazem se fechar dentro de si e magoar, às vezes querendo, às vezes não, a pessoa que você mais ama. Você, caro leitor desta Análise de uma fã, pode discordar de mim totalmente, mas na minha opinião nem tão humilde, Sam ama Dean tanto quanto Dean ama Sam. Eles são duas pessoas diferentes com reações diferentes e humanas. Assim como eu sou. Então hoje senti falta de ar quando Dean vira para Sam e diz: “Estou orgulhoso de nós”.

Dean é o irmão mais velho com o qual me identifico. Também sou a irmã mais velha e sei o que é querer proteger um irmão, cuidar. Tomando as devidas proporções, porque Dean não é só irmão, ele é pai de Sam. Ele o entende. Ele o conhece bem, melhor do que a si mesmo. O sacrifício e amor de Dean é parte dominante na série. É ela quem dá o tom a história. Talvez parte da minha angústia nesta temporada tenha a ver com a angústia que Dean sentiu. O medo de perder o irmão, o ódio de si mesmo pelo erro que cometeu. Dean é herói e agora, bem agora ele está numa situação nunca vista antes! E eu estou animada com esta mudança de perspectiva. Apesar de Sam nunca ter virado um demônio, sempre  foi ele quem esteve do outro lado da força. Sempre foi ele o que perdeu controle do próprio corpo e mente e Dean foi sempre aquele quem teve que colocá-lo de volta nos eixos. Acredito que é isso que vai acontecer. Um irmão no lugar do outro. Enxergando e sentindo na pele o que é estar do outro lado da situação.

Quando Metatron filho da p*ta esfaqueou o Dean eu dei um grito. Não adianta, sempre dói. Mas nada vai superar Sam o carregando e dizendo que tudo iria ficar bem. Nada vai superar Dean dizendo que assim era melhor, que ele não queria se tornar o que estava se tornando.

Nada vai superar Sam dizendo “Eu menti” quando Dean o lembrou de que ele não o salvaria. E quando Sam foi conjurar  Crowley para este dar um jeito na situação e ajudar o irmão? Quotando Crowley, digo “Sam está lá,  me chamando pra fazer um pacto. Deus o abençoe”.

Fui transportada lá pra finale da 2ª temporada, quando Sam segura Dean nos braços e este morre. Eu não chorei. Mas minha cabeça dói, meu corpo dói, perdi o sono. Meu corpo reage as minhas sensações.

Pois é hunters amigos. Agora teremos um longo hiatus pela frente para fazer todo o tipo de teorias possíveis e impossíveis. Tem coisa melhor do que isso? Tem coisa melhor do que ser surpreendido e emocionalmente afetado pela arte? Pra mim não tem!

Amo Supernatural! Amo Sam e Dean! Amo Jensen e Jared que dão vida tão brilhantemente a esta série maravilhosa!

E como disse Jensen em uma entrevista: “It was a bit of an eye opener”

Carry on!

Fonte gifs: Tumblr itsjustjensen

Fanart de capa: Petit Madame tumblr: journal-of-a-man-of-letters