Dean: Você não estava de bem com tudo isso?
Sam: Eu menti.

tumblr_n63xqs9rgZ1qkcx1fo1_500

tumblr_n63xqs9rgZ1qkcx1fo5_500
Começo minha análise com esse lindíssimo quote, que pra mim foi o melhor do episódio. Por mais que tenhamos guerra entre anjos, entre demônios ou qualquer outro ser sobrenatural, o mais importante sempre será o relacionamento dos irmãos, como o próprio Eric Kripke disse. Com o passar da temporada eu fiquei preocupado com o caminho que ambos estavam levando. Para começar, eu sempre estive do lado do Dean. Desde a Season Finale da oitava temporada, tanto Dean como Sam escolheram um ao outro e é lógico que o Dean não deixaria o irmão mais novo simplesmente morrer. Não é algo que seja cogitável. E depois de o Sam ter aceitado não fechar os portões do inferno, Sam simplesmente espera que Dean aceite que ele morra? Tudo bem, Dean errou em deixar Gadreel possui-lo, mas tudo que fez sempre foi por amor. Fiquei extremamente bravo com o Sam após ele dizer que não salvaria o irmão. Deu vontade de puxar a orelha de ambos e fazê-los se acertarem logo – Bobby serviria bem para esse papel -, mas eu nunca acreditei realmente que o Sam estava sendo sincero. Ambos se machucam há muitos anos, desde o segredo que Dean manteve na segunda temporada, o sangue de demônio, têm tudo isso, mas no final, eles sempre se acertam. Só basta esperar que um baixe o orgulho e acerte as coisas. Como eu já disse antes, uma coisa é dizer que não salvará o irmão, a outra é realmente não salvar. É triste, mas foi um alívio saber que todo o discurso do Sam fora apenas para magoar Dean por tê-lo enganado. Eles são pessoas diferentes, lidam com as coisas de maneira de diferente, mas o amor que um sente pelo outro é igual, ambos se amam muito e nada nunca mudará isso. “Somos irmãos, somos família. Não importa o quão ruim fique, isso não muda.”

 

Dos primeiros vinte minutos achei o episódio sem nada muito interessante. Metatron é um personagem bom, porém o enredo de anjos é um pouco parado comparado à Marca de Caim e Abaddon. Preferiria que explorassem mais o enredo que envolve o universo dos demônios, Abaddon é um demônio extramemente forte que poderia causar muitos estragos ainda, mas infelizmente continuaram com a guerra dos anjos e preferiram matá-la. O que mais gostei foi a interação do Gadreel com o Cas, eu não esperava que Gadreel pudesse se aproximar tanto dos meninos depois de ter matado o Kevin. Mesmo que ele seja considerado incompreendido e tenha errado, isso não é algo que se perdoe, mas acho ele um personagem importante para o enredo dos anjos, a conexão que ele tem com Lúcifer é algo incrível. Eu nunca conseguiria odiar esse personagem, na verdade, ele entrou para minha lista de anjos favoritos – ninguém nunca superará o Gabriel e Lúcifer -, infelizmente ele teve que sacrificar para acreditarem nele. Não gostei da morte, mas nem tudo é flor e rosas e foi uma cena bem feita. “Talvez eu seja conhecido como um dos muitos que deram ao Paraíso uma segunda chance.” Sobre o Cas, eu amo muito o personagem e nunca iria querer que ele saia da série. Porém, como o Misha mesmo disse, o personagem voltou depois de ter morrido na sétima porque os fãs insistiram, eu preferia que dessem um final digno ao personagem do que apenas estender sua existência pela pressão dos fãs. Acho que a exploração desse lado dos anjos faz os meninos ficarem muito de lado na história, e prefiro que o Cas volte na décima temporada com algo que seja fora isso. Que ele tenha um descanso quando se fala de anjos e céu. Esperava que o problema com sua Graça fosse resolvido nesse episódio, mas como não foi, fiquei curioso para saber o que vem a seguir disso. Outra coisa que me surpreendeu foi o fato de Metatron não ter morrido. Li em algum lugar que o personagem poderia voltar em um corpo diferente, só acreditaria vendo considerando que tanto eu como a equipe acha o Curtis incrível no papel. Isso significa que ele pode realmente voltar, mas espero que o filho de um aborto de leviatã apodreça nas celas do céu por tudo que fez.

 

Voltando para o relacionamento dos irmãos, eu tremi quando Metatron esfaqueou o Dean. E, sério, Sam, você não conhece seu irmão não? É claro que ele iria achar um jeito de ir enfrentar o inimigo sozinho. Quando Sam gritou “Não!”, eu já sabia que o que viria a seguir me faria chorar muito e estava certo, o que mais valeu no episódio foi ver o Sam se importando tanto, dizendo que acharia um jeito de salvá-lo, igual fez tantas vezes nas primeiras temporadas e foi difícil não associar a cena ao episódio 2×21, quando Jake esfaqueia Sam e Dean vem correndo em sua direção “Não!”, as cenas fizeram uma sincronia perfeita e eu chorei igual em ambas. Sam chorando e gritando para o irmão valeu por qualquer briga que ambos tiveram. E Sam indo invocar Crowley também me animou bastante, lembrou-me da segunda temporada – “tudo que precisa fazer é trazer Sam de volta – e do Dean convocando anjos para ajudarem o irmão. A cena de Sam bebendo e sozinho no bunker, o que quão triste e lindo foi aquilo? Confesso que chorei pelo resto do episódio.

 

Já falando sobre o Crowley, é um personagem único que só Mark Sheppard pode interpretar, as cenas que ele está presente são carismáticas de uma maneira única, o tom irônico que Mark da para o personagem, seu sotaque, tudo. Ele está presente desde a quinta temporada, e acho impressionante que não tenha morrido ainda. Sempre que volta é com um enredo digno de seu personagem.Quando estava ajudando Dean em sua investigação e citou o hambúrguer, fitou-o com um olhar suspeito e eu já imaginava que algo viria disso. A cena final em que ele fala com o Dean morto foi algo magnífico, Mark sempre me surpreende. Vi muitas teorias do que poderia acontecer com o Dean, e acreditava na possibilidade dele virar um demônio. Quando começara seu discurso sobre o Caim eu já estava pirando e dizendo “MEUS, SERÁ ISSO POSSÍVEL?”, E FOI! “Isso que você está sentindo não é morte, é a vida”, no começo eu fiquei pasmo e não sabia o que pensar sobre isto, mas foi um dos cliffhanger mais fortes que SPN nos proporcionou. Como não associar o “Você vai morrer, Dean. E isso? Isso é o que vai se tornar.”

 

Os J2 sempre piram quando leem os scripts das Finales, porém nesse eles se superaram, dizendo que seria o melhor gancho de todos, que deixariam todos chocados e etc, e eu não poderia estar mais satisfeito. Creio que Dean se tornará um Cavaleiro, igual Caim, e Crowley será seu tutor. E o mais importante disso é que Dean se tornou o que mais odeia, e nos perguntamos, como ele liderá com isso? Trará uma parte ainda mais obscura sua? Ele chegará ao ponto de enlouquecer? E como o Sam ficará nisso tudo? São tantas possibilidades. Eu gostaria que o Caim voltasse já que na próxima temporada eles focarão mais nesse enredo. Caim é um personagem que tem muita história para contar e um dos demônios mais fodas vivos.

Que venha o “Demon!Dean”, e Mark como regular na próxima temporada! Carry On!