Simplesmente sensacional, chocante e surpreendente. Se alguém lembrar de mais um adjetivo me avise, por favor.

Se eu acredito em milagres, Carver? Só de ver MUITA gente desacreditada com a série elogiando essa season finale já é um motivo que me faz acreditar. Antes de falar do episódio em si queria citar isso. Muita gente do time do “deveria ter acabado na 5ª temporada” ou do “tô assistindo só por obrigação pra ir até o fim da série”(um alô aqui pra minha irmã hahah) se rendeu, se surpreendeu e bateu palmas de pé para o final dessa temporada. Li várias análises, conversei com muitos amigos que assistem à série e vi vários posts de amigos no Facebook exaltando a ousadia que o time do titio Carver teve.

Vi o episódio na quarta, por volta das 13h, estou escrevendo essa análise na sexta, por volta das 19h e ainda não consegui processar direito. Vou tentar aqui colocar as ideias em ordem, mas duvido que consiga. Vamos lá, vou falar o que vier na cabeça e como me senti e me sinto pós esse final.

Vi várias pessoas que durante o meio da temporada diziam: “Ah, esse negócio da Marca aí vai fazer o Dean virar um demônio!”. Eu ouvia isso e dava até risada. Eu respondia: “Tá doido? Supernatural não ousa assim! Isso nunca vai acontecer”. E aí? Doeu muito esse tapa na cara, Rafael?

Mas deixa eu falar primeiro sobre alguns personagens: Metatron. Nunca achei que ele fosse um dos melhores vilões, mas sempre achei um filho da puta ganancioso. Achei que ele seria morto, ou parado, e eu não sentiria nada ao ver. Mas depois de ter a arrogância de querer ser chamado de Deus, e principalmente depois de ter matado Dean, quando Cas mostra a ele que todos os anjos estavam ouvindo enquanto ele confessava que os enganava eu, sozinho em casa soltei um imenso “CHUPA SEU FILHO DA PUTA” e mais alguns outros palavrões que é melhor omitir. O fato dele ter ficado vivo, ao meu ver, significa que ele terá papel na busca de Cas pela sua graça, e consequentemente, ainda o veremos na série.

Gadreel pra mim foi um dos melhores personagens que Supernatural já apresentou, e teve seu arco muito bem definido. Ele nunca foi mau, sempre foi um anjo incompreendido e facilmente manipulado. Mas quando percebeu que estava errado, fez a coisa certa e inclusive se sacrificou para isso. Foi um final digno pra ele, mas ainda acho que ele poderia ter ficado vivo.

Quanto a Cas, perdi as contas de quantas vezes alguém o chamou de líder e ele rejeitou esse título durante a temporada. Eu mesmo quis dar um pescotapa naquela Hannah quando ela diz que ele fez o que um líder faria. Gosto do Cas e estendo isso à trama dos anjos. Sempre me agradou, mas confesso que nessa temporada essa história dos anjos caírem não foi como eu esperava e deixou um pouco a desejar. Como Cas continua na série, e [SPOILER] Gabriel voltará, teremos mais anjos na próxima temporada, mas acredito que serão plano de fundo do arco principal.

A “briga” de Sam e Dean, como era de se esperar, acabou. Eu confesso a vocês que tinha medo que no final da temporada Sam tivesse a chance de salvar Dean e não o fizesse. Ia doer demais. Ainda bem que ele foi o irmão que todos estamos acostumados a ver. Eu não concordo com as atitudes que Sam teve da metade da temporada pra cá e percebi que o Sam eue eu conheço estava de volta na hora que Cas e Gadreel falavam sobre Dean ser a chance de vencer Metatron e o Moose diz que não era uma bomba e sim, seu irmão. Foi um “my brother” com todas as letras, que encheu de orgulho.

A cena do Dean morrendo foi “pacabá” né, meu! Os dois já morreram várias vezes e continuam partindo nosso coração nessas cenas, além de Jared e Jensen terem matado a pau na interpretação. Acho que quando Metatron cravou a lâmina no Dean os mais “frágeis” já começaram a derramar lágrimas. Mas quando Dean olha pra Sam e diz “I’m proud of us” não teve quem se segurasse e todos começaram a suar pelos olhos, sem parar, até o fim do episódio.

Mas pra mim, onde a temporada mais acertou e o arco que mais rendeu e foi perfeito do começo ao fim (não bem “fim”, porque ainda tem coisa a ser contada né) foi a Marca de Caim e a relação de Dean com Crowley. Eu não imaginei ao assistir o episódio “First Born” que aquela mera caçada deles começaria a os tornar tão próximos. E não imaginei que a encrenca de Dean seria tão grande assim ao pegar a Marca.

Acredito que Crowley, como disse no final, não sabia que isso terminaria assim, mas com certeza ele tinha guardado em sua mente a história que não contou a Dean, meio que como um trunfo e querendo acreditar que fosse verdade. O King com certeza está feliz agora, porque viu no Dean um parceiro, e nessa situação vê mais ainda. Alguém para uivar para a lua com ele, né? Estendo aqui meus parabéns à atuação de Mark Sheppard, que teve a honra/ responsabilidade de fazer  – brilhantemente – o monólogo que encerrou a temporada.

Em resumo, a season finale cumpriu o que prometia. Chocar, emocionar e surpreender. Bom, quer coisa mais chocante que ver nosso Dean Winchester com olhos negros??

Não foi melhor que Swan Song, como vi muitas pessoas opinando, mas entrou no rol dos melhores episódios da série, sem dúvida nenhuma. Parabéns a Jeremy Carver por isso. E que outubro chegue num piscar de olhos. Ou num abrir de olhos, que seja!